Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Crónicas, contos e confissões de uma solteira gira e bem resolvida que não cumpriu o papel para o qual foi formatada: casar e procriar. Caso para cortar os pulsos ou dar pulos de alegria? Provavelmente, nem uma coisa nem outra!

29
Mai18

33644935_10213298924760257_4287395088268525568_n.jViva!

Porque estou plenamente convicta do impacto que poderá ter na tua existência e porque a conselheira espiritual do Ainda Solteira merece este mais do que justo tributo, já que todos os meses nos cede pro bono as suas previsões energéticas, desafio-te a inscreveres-te no próximo workshop de reprogramação mental da spiritual coach Isabel Soares dos Santos, a minha guru do bem, como gosto de lhe chamar.

Feito um anjo de luz, esta alma iluminada adentrou pela minha vida para me consciencializar que a saúde espiritual  – a par da física e da mental  – é uma das três pedras basilares da felicidade humana. Foi com ela que me iniciei na arte da meditação, que encetei a minha primeira regressão a uma vida passada, que abri a minha mente para o invisível aos olhos, que aprendi a aquietar o meu coração e que renovei a esperança em mim e na humanidade. 

Desde que fiz este curso, no passado dia 28 de abril, a minha vida conheceu melhorias inesperadas e inimagináveis, numa mescla de milagres e mistérios. Não tenho dúvidas de que tais mudanças foram despoletadas pelos ensinamentos assimilados nesse dia e que se resumem a um único propósito: fazer da minha mente uma aliada e não uma adversária, como até então.

Para teres uma ideia mais concreta a que me refiro, digo-te que, apenas cinco dias depois de ter estado nesse evento, surgiu a oportunidade de viajar para Barcelona, uma oferta surpresa de uma amiga muito querida, que fez questão de me proporcionar a concretização de um sonho há muito acalentado. Literalmente de um dia para o outro, ainda por cima com o passaporte caducado, lá consegui apanhar um voo da TAP com destino à cidade de Gaudi. Coincidência? Provavelmente!

À chegada a Barcelona, ainda antes de recolher a bagagem, recebo um telefonema de uma antiga entidade patronal a perguntar se tinha disponibilidade para reforçar (temporariamente) o serviço com o qual colaborei há dois anos e no qual não consegui permanecer por pura implicância de uma Cruella de Vida que me considerou demasiado "vistosa" para a instituição em questão. 

Foi assim que – ainda que por meras semanas – regressei ao trabalho dos meus sonhos e com todos os meus direitos salvaguardados em contrato: descontos para a segurança social e fisco, seguro de saúde, salário decente, horário reduzido, uma equipa fantástica e a possibilidade de exercer na área que eu mais gosto e que tão bem sei criar valor. Outra coincidência? Já não estou tão certa disso! 

À minha amiga maior foi-lhe diagnosticada, no auge dos seus 40 aninhos, um tumor no peito, cujo índice de malignidade pairava entre os 50 e os 95%. Como é de se prever, ao tomar conhecimento da notícia desmoronei-me feito um iglu em plena praia de Ipanema, vergada pela antevisão do sofrimento pelo qual ambas iríamos seguramente passar. O desespero que me tomou de assalto a alma representou uma séria ameaça à onda de pensamentos e vibrações positiva na qual tinha estado a trabalhar até à data.

Numa operação digna de Hollywood, lá consegui resgatar os preceitos apreendidos no workshop, obrigando a minha mente a encarar o assunto, não como uma sentença de morte, mas antes uma provação, ainda que duríssima, por certo. Inspirada pela atitude serena e corajosa da minha mana do coração (que nem por um momento se deixou panicar), lá consegui voltar aos braços da aura positiva e otimista de antes, na firme crença de que no fim tudo acabaria por dar certo.

E não é que deu mesmo? O resultado da tal biópsia que visava determinar a localização do carcinoma, não poderia ser mais tranquilizador: a malignididade não se confirmou. Esta minha amiga revelou-se mais sortuda que o primo Gastão da Disney. Perante uma chance mínima de 50%, conseguiu ela a proeza de acertar em cheio na metade que lhe garantia conservar a saúde.

Removida a espada que nos pendia sobre a cabeça, eis-nos de volta à rotina nossa de sempre; eu em Lisboa e ela do outro lado do Atlântico. Depois do que acabaste de ler, ainda achas que a força do pensamento positivo é conversa de quem não tem mais o que fazer?

O texto já vai longo, reconheço, mas ainda há tempo para confessar que, ainda à custa deste workshop, rendi-me ao poder do ho'oponopono, uma técnica capaz de proporcionar a dose diária recomendada de leveza espiritual e mental e que consiste em duas meditações (de manhã e à noite) de 15 minutos apenas, durante 21 dias, tempo que o ser humano precisa para se adaptar à mudança.

A versão tradicional desta terapia é composta por quatro frases chaves: sinto muito, perdoa-me, amo-te e sou grata; ambicionando cada uma delas conduzir o praticante na passagem por quatro etapas sentimentais: arrependimento, perdão, amor e gratidão. De acordo com os entendidos na matéria, a simples repetição destas palavras revela-se capaz de ativar a libertação de bloqueios, lembranças negativas e traumas, de modo a podermos assumir um controlo mais tranquilo sobre o próprio corpo e a própria vida.

Se ainda te sobra alguma réstia de dúvida em relação à revolução que uma formação destas pode provocar na tua vida, deixa-me dizer-te que os seguidores do AS terão direito a condições especiais de participação, desde que para isso se inscrevam através do blog. Atreve-te, que não te arrependerás, garanto-te!

Deixo-te que são horas do meu ho'oponopono. Hasta!

Autoria e outros dados (tags, etc)

09
Mar17

Para melhor muda-se sempre!

por Sara Sarowsky

13996195_10210386048314591_192683616448203732_o.jpOra viva!

Pelos vistos, ainda não é desta que vamos falar sobre "aquele" assunto. Entre uma coisa e outra, a manhã já foi. Daqui a nada já é hora de ir à fisioterapia, mas antes disso convém alimentar o corpo, sob pena de desfalecer de fraqueza. Ou seja, ainda tenho que ir preparar o almoço.

Dado que não tenho tempo para relatar a estória daquele ex-padre a quem prometi ajudar a encontrar uma mulher que o inicie nas artes do amor, só me resta recorrer ao método partilha-de-artigos-alheios, o de hoje sobre algo tão caro a qualquer humano, mas nada fácil de efetivar (pelo menos para muitos): mudar de vida, de preferência para melhor.

Muda de vida, se tu não vives satisfeito
Muda de vida, estás sempre a tempo de mudar
Muda de vida, não deves viver contrafeito
Muda de vida, se a vida em ti é de outro jeito.

É com esta estrofe de uma popular canção do António Variações que começa o artigo Mude de vida, se não vive satisfeito (está sempre a tempo de mudar), assinado pela Sílvia Silva e publicado no passado dia 1 de fevereiro no Observador.
 
Fundamentado numa entrevista a Alexandra Vinagre, coach e autora do livro Até Onde Quer Chegar?, o artigo defende que a chave da felicidade e sucesso está na mudança, que significa, na maior parte das vezes, sair da zona de conforto sem garantias ou colete salva-vidas. É assim que aquela especialista incentiva os leitores à mudança através de exercícios, reflexões científicas e testemunhos pessoais.
 
Agora ou mais tarde, reserva dez minutos para interiorizar as dicas e conselhos de quem sabe. Um dos grandes chavões da minha vida e à qual me apego cada vez que a vida a isso me obriga é: "Para melhor muda-se sempre!".
 
Queres e mereces o melhor, certo? Agora é uma boa altura para fazeres por isso!

Autoria e outros dados (tags, etc)

04
Abr16

12189962_1072671412752808_7563561713519459629_n

 

Hoje deixo-te com este contributo da querida Jazinha.

Acho que todo mundo deveria ter o direito de ter um lugar para sonhar.

Um lugar para conhecer, finalmente, profundamente.

Um lugar para onde correr quando é preciso pensar em como arrumar a bagunça que se tornou a nossa vida. Um lugar para voltar quando é preciso recomeçar.

Um lugar para se sentir invencível.

Todo mundo deveria ter um lugar onde se sente amado.

Onde encontra o amor.

Onde ama tão verdadeiramente que todo o resto parece menor, menos o lugar.

Um lugar para se sentir completo.

Um lugar para andar de mãos dadas e sorrir de dentro para fora.

Um lugar para se lembrar de tudo isso.
Todo mundo deveria ter uma Lisboa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

30
Jan16

 

o-AGING-facebook-1080x540.jpg

 

1. A vida é boa.
2. Em caso de dúvida, dá apenas o próximo passo.
3. A vida é demasiado curta para perdermos tempo odiando alguém.
4. Teu trabalho não vai cuidar de ti quando adoeceres. Teus amigos e teus pais sim. Mantém contato.
5. Paga as tuas faturas de cartão de crédito todos os meses.
6. Não tens que ganhar todas as discussões. Concorda para discordar.
7. Chora acompanhado. É mais terapêutico do que chorar sozinho.
8. Não há problema em estar chateado com Deus. Ele aguenta.
9. Poupa para a reforma, começando com o teu primeiro salário.
10. Quando se trata de chocolate, resistência é em vão.
11. Sela a paz com o teu passado, para que ele não estrague o teu presente.
12. Não há problema em teus filhos te verem chorar.
13. Não compares a tua vida com a dos outros. Não fazes ideia da jornada deles.
14. Se uma relação tem que ser um segredo, não deverias estar nele.
15. Tudo pode mudar num piscar de olhos; mas não te preocupes, Deus nunca pisca.
16. Respira bem fundo. Isso acalma a mente.
17. Desfaz-te de tudo que não é útil, bonito e prazeroso.
18. O que não te mata, realmente torna-te mais forte.
19. Nunca é tarde demais para se ter uma infância feliz. Mas a segunda só depende de ti e de mais ninguém.
20. Quando se trata de ir atrás do que amas na vida, não aceites "não" como resposta.
21. Acende velas, usa lençóis bonitos e lingerie elegante. Não guardes nada para uma ocasião especial. Hoje é especial.
22. Prepara-te bastante; depois, deixa-te levar pela maré…
23. Sê excêntrica agora, não esperes ficar velha para usar roxo.
24. O órgão sexual mais importante é o cérebro.
25. Ninguém é responsável pela tua felicidade, além de ti.
26. Encara cada "fracasso" com essas palavras: em cinco anos, vai importar?
27. Escolhe sempre a vida.
28. Perdoa tudo de todos.
29. O que outras pessoas pensam de ti não é da tua conta.
30. O tempo cura (quase) tudo. Dá tempo ao tempo.
31. Independentemente da situação ser boa ou má, ela irá mudar.
32. Não te leves tão a sério. Ninguém mais leva…
33. Acredita em milagres.
34. Deus ama-te por causa de quem Ele é, não pelo que fizeste ou deixaste de fazer.
35. Não faças auditoria da tua vida. Faz o melhor dela agora.
36. Envelhecer é melhor do que morrer jovem.
37. Teus filhos só têm uma infância.
38. Tudo o que realmente importa, no final, é que amaste.
39. Sai para a rua todos os dias. Milagres estão esperando em todos os lugares.
40. Se deitássemos nossos problemas numa lixeira e víssemos os dos outros, levaríamos os nossos de volta.
41. Inveja é perda de tempo. Já tens tudo o que precisas.
42. O melhor está por vir.
43. Não importa como te sentes, levanta, veste e dá a cara.
44. Produz.
45. A vida não vem embrulhada num laço, mas ainda assim é um presente.

Regina Brett

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Melhor Blog 2020 Sexo e Diário Íntimo


Melhor Blog 2019 Sexo e Diário Íntimo


Melhor Blog 2018 Sexualidade





Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D