Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Crónicas e confissões de uma rapariga gira e bem resolvida que (ainda) não cumpriu o papel para a qual foi formatada: casar e procriar. Caso para cortar os pulsos ou dar graças? Talvez nem uma coisa nem outra!

9Pypem.jpg

Viva!

 

Single mine, já viste a lista viral com O top 20 de coisas que uma mulher NÃO deve usar depois dos 30? Se sim, faço-te um lembrete; se não, é com todo o gosto que a partilho contigo. Já vais perceber porque vale a pena perderes 10 minutos do teu tempo com isto.

 

Eis a lista das coisas que uma trintona (ou trintinha) não deve usar:

1 – Mochila-jato que nunca foi testada.

2 – Túnica feita em carne num país cheio de cães ferozes.

3 – Galhos colados com supercola em forma de vestido.

4 – Sapatos de salto alto se estiveres a ser perseguida num filme de terror.

5 – Um fato de veado no meio da floresta durante a época de caça.

6 – Camisola feita de vespas.

7 – Armadura completa numa piscina.

8 – Falso colete de bombas num aeroporto.

9 – Colar feito com orelhas humanas.

10 – Amostra de pele de animal de uma espécie em vias de extinção.

11 – Amuletos amaldiçoados.

12 – Camisola em mohair que está a pegar fogo.

13 – Uniforme de polícia roubado a um agente.

14 – Anel do senhor dos anéis.

15 – Qualquer coisa coberta em comida de peixe.

16 – Acessórios feitos em pele, como uma hiena de estimação.

17 – Sombra de glitter com feromonas de Oastride.

18 – Chinelos que na verdade são apenas gaivotas mortas que colocaste nos pés.

19 – Mochila a pingar com creme de sopa de cogumelos.

20 – Calções curtos com mensagens militares secretas escritas no rabo.

 

Portanto, se tens menos de 30 anos, fica à vontade para usares todas essas coisas e o que mais te apetecer. Para quem já dobrou o cabo da boa "enta", resta seguir a moda dos comuns mortais.

 

Até breve!

Autoria e outros dados (tags, etc)

26
Out16

Gabrielle-Union-most-beautiful-black-women-39.jpg

Em entrevista à revista Veja, a cantora e ex-primeira dama francesa Carla Bruni proferiu este inspirador e tocante testemunho:

"Depois dos 35 anos, a beleza é resultado da simpatia, da elegância, do pensamento, não mais do corpo e dos traços físicos.

A beleza torna-se um estado de espírito, um brilho nos olhos, o temperamento.

A sensualidade vai decorrer mais da sensibilidade do que da aparência.

Uma mulher chata pode ser bonita antes dos 35 anos. Uma mulher burra pode ser bonita antes dos 35 anos. Uma mulher egoísta pode ser bonita antes dos 35 anos. Uma mulher deprimida pode ser bonita antes dos 35 anos. Uma mulher desagradável pode ser bonita antes dos 35 anos. Uma mulher oportunista pode ser bonita antes dos 35 anos. Uma mulher cobarde pode ser bonita antes dos 35.

Depois, não mais, depois acabou a facilidade. Depois o que ilumina a pele é se ela é amada ou não, se ela ama ou não, se ela é educada ou não, se ela sabe falar ou não.

Depois dos 35 anos, a beleza vem do caráter. Do modo como os problemas são enfrentados, da alegria de acordar e da leveza ao dormir.

Depois dos 35 anos, a amizade é o creme que tira as rugas, o afeto é o protetor solar que protege o rosto.

A beleza passa a ser linguagem, bom humor. A beleza passa a ser inteligência, gentileza.

Depois dos 35 ,45 ,55 , 65... anos, só a felicidade rejuvenesce."

 

Dá que pensar, não dá, solteira minha?

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

_vmujMOB.png

 

O lifehack.org publicou há dias um artigo com 20 conselhos de uma mulher de 40 anos destinadas a nós trintinhas e trintonas. Ei-las:

 

1. Ama a ti mesma e aceita-te por completo

Estou convencida de que poderia ter evitado muitos erros se, quando mais jovem, tivesse aceitado o bom e o mau que existe em mim. Depois de aprenderes a amar-te a ti mesma, poderás também amar e aceitar as outras pessoas. Isto é muito importante para te relacionares de maneira saudável com os outros.

 

2. Enriquece a tua alma

Se nãos sabes do que precisa a tua alma e nem do que realmente gostas, experimenta algo novo, vai a eventos aos quais nunca tinhas ido, por exemplo, até que encontres algo que te dê a sensação de seres livre e te preencha como pessoa.

 

3.Encontra apoio

Durante muito tempo tentei, sozinha ou com a ajuda dos amigos, esquivar-me das dificuldades. Logo entendi que ter amigos e entes queridos que possam ajudar e apoiar ativamente em situações difíceis é muito importante.

 

4. Sê honesta

Antes, quando perante alguma dificuldade, simplesmente punha uma máscara com um sorriso e fazia de conta que nada aconteceu. Só pessoas muito próximas sabiam o que na realidade se passava. Mas a verdade é que não há nada de mau em demonstrares o que se passa contigo, todos passamos por situações difíceis na vida e isso faz parte da nossa existência. Além disso, as pessoas que sentem um carinho sincero por ti vão-se aproximar mais ao saber que, assim como elas, também tens problemas, alegrias e tristezas.

 

5. Vive por ti

Dediquei grande parte da minha vida a cuidar dos outros, sem deixar tempo para mim. O resultado disso foi que consegui fazer a minha vida mais complicada do que poderia ter sido na realidade. Lembra-te, nunca conseguirás fazer felizes todos os que te rodeiam, por isso começa a fazer coisas que te alegram e a tua vida será bem melhor.

 

6. Não te sacrifiques com tanta frequência

O sacrifício é necessário em qualquer relacionamento porque somos diferentes e temos necessidades distintas. E é aceitável, desde que ambas as partes o façam por igual. Se és sempre tu quem sacrifica as suas necessidades e desejos para satisfazer os outros, então é hora de repensares se esses relacionamentos valem a pena. Precisas realmente ter algo assim na tua vida?

 

7. Viaja mais

Talvez seja isso o que mais lamento. Não viajei o suficiente quando era mais jovem e ainda não tinha filhos. Foi um erro. Podes escolher no que gastar o teu dinheiro: comprar lembranças ou coisas. Se eu tivesse entendido isto antes, teria deixado de gastar em coisas de que na verdade não precisava e teria investido dinheiro em visitar ao menos um novo país por ano. As viagens dão a sensação de liberdade, abrem a mente e permitem que te dês conta do quanto diferente a vida pode ser num outro lugar do mundo.

 

8. Preocupa-te menos

Antes, eu andava sempre a braços com a preocupação e a angústia. As preocupações alimentavam a angústia e a minha personalidade mudava até tornar-se quase irreconhecível. Mas logo te dás conta de que o facto de te preocupares não irá mudar a situação de maneira nenhuma. E então começarás a aceitar o que acontecer. Entenderás que, no fim das contas, tudo acabará se encaixando e que deves fazer aquilo que está dentro do possível, do contrário é inútil preocupares-te. Quando parei de me preocupar tanto, o meu nível de estresse baixou imediatamente.

 

9. Para de comparar

Às vezes penso que as redes sociais deveriam acabar agora mesmo. Uma coisa é comparares a tua vida com a da tua melhor amiga, outra muito diferente é compará-la com a de alguém da tua lista de 500 'amigos' do Facebook. Isso machuca, e só irás superar isso quando entenderes que o facto de te comparares aos outros não mudará nada na tua vida, irá apenas diminuir a tua autoestima. Haverá sempre alguém mais inteligente, mais bonito ou melhor que eu, e aceitei isso. No momento em que sinto que vou começar a comparar-me, foco o meu pensamento no quão agradecida sou pelo que tenho, e desta forma tiro algo bom daquilo que poderia ter chegado a deprimir-me.

 

10. Esquece as expectativas
Cresci com a 'síndrome da Disney'. Cresci pensando que um dia encontraria o meu príncipe encantado, casaria e viveria feliz para sempre. Mas isto não é verdade, não tem nada a ver com a realidade. Depois de ter aguentado dois maus casamentos, joguei minhas expectativas no lixo. Feito isso, podes começar a pensar na tua vida sem esperar nada das outras pessoas, e passarás a viver aqui e agora.

 

11. Vive para trabalhar, não trabalhes para sobreviver

Se eu pudesse voltar a começar do zero, gostaria de tentar profissões diferentes para escolher a que melhor combina comigo. Depois de encontrares uma vocação que possas seguir de verdade até o fim dos teus dias, irás entender que viver para trabalhar significa amar e respeitar a tua escolha. Muitos ficam presos num trabalho de que não gostam apenas pelo salário, e isso está longe de ser saudável.

 

12. Economiza

Pode parecer que não é necessário pensar muito para decidir algo assim, mas eu não o fiz quando era mais jovem. Agora, ao ver meus pais aproveitarem a reforma, penso no que devo fazer para poder garantir financeiramente a minha velhice. A vida muda constantemente e pode fazer-nos uma boa quantidade de surpresas, por isso economizar para as emergências é algo necessário e inteligente.

 

13. Doa-te mais

Compreendi um pouco tarde que gosto de ajudar as pessoas. Seja como voluntária, fazendo obras de caridade ou simplesmente ajudar um amigo próximo que esteja numa situação difícil. Quando fazes algo por outra pessoa, esqueces-te um pouco dos teus próprios problemas. Ao fazeres isto de todo coração, e sem esperar nada em troca, verás que os problemas da tua vida começarão a resolver-se pouco a pouco, e de formas inesperadas.

 

14. Perdoa-te e perdoa os outros

Durante grande parte da minha vida estive aborrecida por causa de situações pelas quais tive de passar e tinha 100% de certeza que a culpa era de outra pessoa. Quando entendi que a impossibilidade de me perdoar e perdoar os outros por erros do passado não me deixaria viver feliz, decidi mudar. Levou algum tempo para que eu tirasse este peso das costas, mas, depois, senti-me realmente livre. Deixa que o passado vá embora e irás entender que a vida é bela.

 

15. Não gastes muito tempo com pessoas negativas

Às vezes é difícil deixar de se relacionar com pessoas negativas, principalmente se são colegas ou membros da família, mas sempre é possível escolher o tipo de amigos que queres e com quem poderás passar a maior parte do tempo. Quando souberes claramente quais são os limites que protegem a tua tranquilidade da energia das outras pessoas, vais sentir que, sem a influência negativa deles, a vida será mais fácil e alegre.

 

16. Diz não mais vezes

Foi-me sempre muito difícil dizer 'não'; queria dizer sempre 'sim' e fazer toda gente feliz, mas isso é impossível. Cada vez que dizia 'não', tentava justificar-me ou explicar a situação. Depois de amadurecer um pouco mais, ficou claro que dizer 'não' com consciência é muito importante e que não sou obrigada a justificar porque não quero tomar a responsabilidade por algo ou não posso fazer algo por alguém. Se estiveres certa de que queres dizer 'não', é provável que a outra pessoa aceite a tua posição com mais facilidade.

 

17. Pensa bem antes de dizer sim

Divorciei-me e é-me difícil aceitar isso, mas agora sei o que quero, o que desejo e o que mereço. É muito fácil afundarmo-nos em emoções e sentimentos. Eu contava o tempo que estava com certa pessoa, queria mais do que tinha e por isso casei-me esperando que tudo mudasse para melhor por si só. De facto, tudo mudou, mas para pior. Se não sentes que o relacionamento em que estás no momento é para a vida toda ou se existem muitos 'mas', então deverias reconsiderar se essa pessoa deve continuar na tua vida. É muito mais fácil acabar uma relação antes que ela se transforme em algo mais sério.

 

18. Alegra-te com as pequenas coisas

Vivemos num mundo no qual cada pessoa está conectada ao seu computador ou smartphone, e ficou mais difícil desconectar-se e simplesmente aproveitar a vida. Presencia um entardecer ou acorda cedo para ver o amanhecer, apaixona-te por uma noite estrelada, para um momento para cheirar uma flor, observa o mar ou as montanhas, reserva um tempo para contemplar a natureza. Como disse um herói de um filme: "a vida passa muito rapidamente. Se você não parar para observá-la, pode até perdê-la".

 

19. Deixa de te preocupares com o que os outros pensam

Como eu gostaria de ter entendido isto antes. Estava sempre muito preocupada com o que os outros pensariam de mim, e com certa frequência fazia coisas que pensava que esperavam que eu fizesse. Quando entendi que as conjeturas dos outros nada têm a ver com minha vida, pude finalmente motivar-me com aquilo que realmente desejava. Quando te transformares na tua melhor versão e não tentares agradar os outros, a vida fica mais fácil, e bem mais leve.

 

20. Muda

Quando eu era mais jovem, queria que tudo fosse previsível e estável. Achava que era mais fácil pensar que a minha vida seria de uma forma ou de outra no decorrer dos anos. Quando precisei encarar grandes mudanças, não estava pronta. Agora sei que a única certeza na vida são as mudanças. Quando entenderes que a tua vida pode ter curvas inesperadas, será mais fácil estares preparada para tudo o que possas encontrar pelo longo, interessante e feliz caminho da vida.

Autoria e outros dados (tags, etc)

01f88ec2e03a2e3d71cfce22533ebf98.jpg

 

Um estudo da House of Fraser, citado pelo jornal britânico Daily Mail, mostra que é depois dos 30 anos que as mulheres se sentem mais sexy. Mais precisamente aos 34, idade em que atingimos o auge da confiança sexual.

 

A investigação, baseada nas respostas de duas mil mulheres, mostra que depois dos 30 a confiança sexual do género feminino aumenta – 64% das inquiridas afirmam que gostam do estatuto de 'trintonas'. Para além disso, 34% das mulheres com mais de 30 anos assumem que parte dessa confiança deve-se a existência de uma vida a dois satisfatória e 26% diz estar sexualmente satisfeita.

 

Um brinde às minhas seguidoras de 34 anos - este post é para vocês com todo o meu afeto. Outro brinde para todas as outras (de vinte, trinta, quarenta, cinquenta ou até mais), que o que importa mesmo é termos vida, saúde, espírito jovem, mente aberta, coração puro e alma nobre. O resto é só uma questão de perspectivas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

06
Jan16

988787_767287280070842_4422215048738841737_n.jpg

 

Brasileirismo à parte, não resisto a partilhar este texto: verídico, hilariante e digno de continência.

 

À medida que envelheço e convivo com outras, valorizo mais ainda as mulheres que estão acima dos 30. Elas não se importam com o que você pensa, mas dispõem-se de coração se você tiver a intenção de conversar. Se ela não quer assistir ao jogo de futebol na tv, não fica à sua volta resmungando, vai fazer alguma coisa que queira fazer...

E geralmente é alguma coisa bem mais interessante. Ela se conhece o suficiente para saber quem é, o que quer e quem quer. Elas não ficam com quem não confiam. Mulheres tornam-se psicanalistas quando envelhecem.

Você nunca precisa confessar seus pecados... elas sempre sabem... Ficam lindas quando usam batom vermelho. O mesmo não acontece com mulheres mais jovens... Mulheres mais velhas são diretas e honestas.

Elas te dirão na cara se você for um idiota, caso esteja agindo como um!

Você nunca precisa se preocupar onde se encaixa na vida dela. Basta agir como homem e o resto deixe que ela faça... Sim, nós admiramos as mulheres com mais de 30 anos! Infelizmente isto não é recíproco, pois para cada mulher com mais de 30 anos, estonteante, bonita, bem apanhada e sexy, existe um careca, pançudo em calções amarelos bancando o bobo para uma garota de 19 anos...

Senhoras, eu peço desculpas! Para todos os homens que dizem: "Porque comprar a vaca, se você pode beber o leite de graça?". Aqui está a novidade para vocês: Hoje em dia 80% das mulheres são contra o casamento e sabem por quê?

"Porque as mulheres perceberam que não vale a pena comprar um porco inteiro só para ter uma linguiça!".

Nada mais justo!
Arnaldo Jabor

 

É assim ou não é, camarada?

Autoria e outros dados (tags, etc)

12
Nov15

Uma lady na mesa...

por LegoLuna

ng4681863.jpg

 

Sabes aquela máxima que diz que mulher que é mulher deve ser "uma lady na mesa e uma louca na cama"? É precisamente sobre ela que recai o post de hoje. Bem... pelo menos sobre uma parte dela, que da outra, a que toca à loucura na cama, prometo falar noutro dia. Combinado?

 

Óbvia para muitos, para outros nem tanto, uma inspeção períodica às regras de etiqueta, a meu ver, nunca é acessória, principalmente para nós trintinhas e trintonas, profissionais ativas, bem resolvidas e que ambicionam um lugar ao sol no mercado de trabalho.

 

Quanto a ti não sei dizer, mas uma das coisas que mais abomino numa criatura é a falta de modos e etiqueta social. E olha que sou uma pessoa que não teve uma educação aprimorada, e que, por isso mesmo, fez questão de se ir refinando ao longo da vida, por forma a correr atrás do prejuízo de não ter nascido num berço de ouro. Tenho perfeita consciência que nem toda a gente tem acesso ao conhecimento, à formação e à etiqueta, mas há coisas que são básicas e que devem fazer parte da existência de todo ser social, independentemente de pertencer à classe A, B ou C.

 

Eis então 30 (numa mais que óbvia homenagem à nossa faixa etária) das principais regras, que convém fazerem parte do nosso quotidiano, sobretudo no contexto laboral, aspeto assumidamente fulcral nesta fase da nossa vida.

 

Principais regras à mesa para recordar ou apre(e)nder:

1. Reservas. O protocolo exige que se ligue para o restaurante com um ou dois dias de antecedência. Para os restaurantes que têm lista de espera, aconselha-se marcação com uma ou duas semanas de antecedência. Reconfirmar o almoço ou jantar horas antes da marcação.

2. Entrevista de emprego. A mesa é um dos locais onde se avaliam candidatos para qualquer emprego. Se for este o caso, o candidato deve seguir quem o convidou em todos os seus passos, desde o pedido da comida ou bebida, evitando pratos complicados, bem como temas polémicos.

3. Postura. Sente-se comodamente, costas direitas, mãos sobre a mesa e cotovelos junto ao corpo. Os cotovelos só podem estar em cima da mesa quando não há pratos, nem talheres.

4. Equipamentos de comunicação. Convém desligar ou colocar no silêncio todo e qualquer dispositivo de comunicação antes de entrar no restaurante. Se se esquecer e o telefone tocar, não atenda e desligue-o imediatamente, não enviando sequer mensagens.

5. Sentar-se. Quando se tratam de grupos num restaurante, por exemplo, é o empregado que leva os clientes à mesa. No caso de ser numa casa particular, é o anfitrião que senta os convidados.

6. Fazer o pedido. Para mostrar que está pronto para pedir, feche o menu e coloque-o sobre a mesa. Abra o guardanapo em cima do colo e mantenha-o aí durante toda a refeição.

7. Começar. Espera-se que seja o anfitrião a dar inicio à refeição. Se for num restaurante, o empregado serve a comida à sua esquerda e bebidas à direita. Quando o empregado apresenta a travessa, deve servir-se com o garfo na mão esquerda e colher na direita.

8. Esperar por convidado. No sentido de melhor sentar os convidados, é admissível esperar por alguém que está atrasado. No entanto, nunca além de 20 minutos.

9. Copos. Os copos de cocktail não devem ser levados para a mesa do jantar ou almoço, porque aí vão ser servidas outras bebidas com a refeição. Os copos de vinho branco seguram-se pelo pé e os copos de vinho tinto pelo balão.

10. Talheres. Na maior parte das situações, o uso dos talheres faz-se no sentido de fora para dentro. Comida servida num prato come-se com garfo e faca, numa taça, com uma colher. Quando surgem um garfo e uma colher, saiba que o garfo serve para segurar a porção e a colher para cortar e meter a comida na boca.

11. Falar, comer e beber. Se estiver a participar numa conversa, engula primeiro a comida, pouse o garfo no prato e só depois fale. Quanto à bebida, para evitar que o copo fique sujo ou entre comida para o seu interior, aconselha-se a limpeza da boca com o guardanapo antes de beber.

12. Gesticular. Quando segura um talher, descanse a outra mão no colo. Quando não segura os talheres, as mãos devem estar no colo. Não aponte ou gesticule com os talheres, muito menos mexa no cabelo.

13. Comer sopa. Levar a colher à frente da boca e não de lado. A colher descansa sempre fora da taça da sopa, sobremesa ou outra, mesmo quando termina é aí que fica, fora da taça, no prato por baixo.

14. Provar a comida alheia. Se tiver muita curiosidade em relação ao prato do colega, entregue-lhe o seu garfo, ele espeta um pouco da sua comida e devolve-lhe o garfo colocando-o no seu prato.

15. Espirrar, tossir e assoar o nariz. Se não tiver como evitar, cubra o nariz e a boca com o guardanapo e proceda discretamente e o mais rápido possível. Numa emergência, saia da mesa.

16. Bebidas quentes. Para verificar a temperatura de uma bebida quente, aconselha-se um simples sorvo com a ponta da colher. Se bebeu sem provar e queimou-se, beba água imediatamente.

17. Comida desconhecida. Espere até que alguém comece a comer e faça igual. Se não tiver vergonha, pergunte se o prato deve ser comido à mão ou com garfo.

18. Cortar comida. Cortar a comida em um ou dois pedações, com a dimensão de uma dentada. Comer silenciosamente. Raspar o prato, bater com os talheres ou sorver e mastigar com vigor a comida é considerado deselegante.

19. Comida à mão. Coloque a comida no prato, coma à mão, mas não lamba os dedos, use o guardanapo. Se tem dúvidas como proceder, observe ou use o garfo.

20. Buffets. Para reabastecer o prato num almoço ou jantar num buffet faça-o com um prato novo, entregando o sujo ao empregado.

21. Lidar com comida desobediente. Num almoço ou jantar formal, a faca deve empurrar a comida contra o garfo. Numa refeição mais informal, esta função pode caber a um pedaço de pão.

22. Tirar comida da boca. Um osso ou uma espinha devem ser tirados da boca da mesma forma que foram lá parar. Ou seja, se está a comer com as mãos é com as mãos que tira, se for com um garfo, é com o garfo.

23. Comida presa nos dentes. Pode ser bastante desconfortável, mas nunca, em circunstância alguma, remova esta comida à mesa, muito menos com um palito. Faça-o em privado.

24. Sair da mesa. Se por qualquer motivo tiver de sair da mesa por uns instantes, diga "desculpem-me, não demoro nada" ou algo do género.

25. Comida na cara. Se perceber que alguém próximo de si tem comida na cara, faça um gesto discreto com dedo indicador apontando na sua cara o local onde está a comida.

26. Pedir um vinho. Comece por procurar uma região que o interesse e, dentro disso, o preço em que se sinta mais confortável. Indique ao empregado a sua escolha e peça-lhe a opinião, não se esquecendo que o preço é o critério não o nome do vinho.

27. Serviço. Numa refeição informal, são os convidados que se servem, passando as travessas ao convidado mais perto de si, e habitualmente, à sua direita. Não se esqueça de agradecer.

28. Mala e carteiras. Num almoço ou jantar privado são entregues à chegada ao anfitrião da casa. Num restaurante devem ser colocados e no colo e não em cima da mesa, pois criam confusão com pratos, talheres, copos.

29. Batom. Uma senhora deve abster-se de retocar o batom antes de ir para a mesa, para não deixar copos e guardanapos marcados durante a refeição.

30. Chapéus e bonés. Adereços desaconselhados, embora sejam permitidos em algumas refeições ao ar livre.

 

Não vou dar uma de snob e vangloriar-me de ter tirado 20 valores, mas orgulho-me de admitir que nenhuma destas regras me soou a novidade; o que a meu ver, me habilita para fazer boa figura em qualquer evento que me apareça pela frente.

 

E tu, meu bem, desta lista quantas regras fazem parte do teu dia-a-dia? Faz o teste e depois conta-me o resultado. Pode ser?

Autoria e outros dados (tags, etc)

18-mulher.jpg

 

Depois da noitada de ontem, cujo relato farei noutra altura, portanto em modo "só me apetece estar na cama", eis que me deparo com esta prenda amiga da SapoLifestyle. Através de um artigo, que tem tudo a ver com este blog, o portal aborda 17 importantes descobertas que todas as mulheres na casa dos trinta (trintinhas ou trintonas, tanto faz) devem saber. E seguir à risca, já agora!

 

O texto começa com a pergunta à qual nenhuma de nós consegue ser indiferente: "sente-se melhor consigo própria do que se sentia quando era mais nova?" Caso a tua resposta coincida com a minha (aposto que sim), eis as 17 descobertas que todas nós devemos praticar (vezes e vezes sem conta), a fim de fazermos da nossa passagem pela casa dos "inta" uma experiência plena, feliz e inesquecível.

 

17 Máximas para mulheres de 30

1 - Não precisa de perder tempo com pessoas tóxicas (não contribuem em nada para a nossa felicidade, logo são dispensáveis)
2 - Aprenda a não dar ouvidos aquilo que os outros dizem de si (a opinião deles sobre nós é problema deles, logo não nos interessa)
3 - Se ainda está solteira não se preocupe, pois tem mais tempo para si (tem como refutar isso?)
4 - Se estiver numa relação, a pessoa que está consigo de certeza que é uma pessoa cheia de sorte (e convém que ele esteja ciente disso)
5 - Não deixe que ninguém a pressione a casar-se, se achar que ainda não está na altura de o fazer (até porque de nada adiantaria, mulher bem resolvida assume o comando da sua vida)
6 - O mesmo vale no que diz respeito a ter filhos. A escolha é sua e não dos outros (procriar é um compromisso para a vida toda, portanto convém estarmos seguras dessa decisão)
7 - Se for casada, acredita que a felicidade em conjunto é um sentimento verdadeiro e além disso ganhou um parceiro para o resto da vida (pode não ser bem assim, mas que seja eterno enquanto durar)
8 - Se já for mãe, vai perceber tudo o que a sua lhe dizia e fazia consigo, até porque a vida é um círculo (touché!)
9 - Vai conseguir perceber que a sua mãe estava sempre certa, e as mães tem sempre razão, embora não queiramos admitir (e assim consuma-se a vingança da sua mãe que sempre lhe dizia "quando fores mãe, vais entender")

10 - Não necessita de ser amiga de todas as pessoas que conhece, porque os seus amigos mais próximos estão na sua vida por algum motivo, por isso pense bem nisso (amigos poucos, mas bons, que o que importa aqui é a qualidade e não a quantidade)
11 - Estar na casa dos 30 é sem dúvida mais divertido, até porque já conseguiu ganhar mais confiança em si do que a que tinha anteriormente (e se não conseguiu ainda, é hora de começar a fazer por isso)
12 - Não pense que a consideram velha com esta idade e por isso não reclame que se sente assim, porque as pessoas acabam sempre por projetar o que diz sobre si mesma (transforme-se na sua melhor amiga e seja fiel a ela até à medula)
13 - Não existe necessidade de avaliar o que anteriormente pensava que iria fazer quando tivesse 30 anos, até porque se o fez diferente é porque já estava destinado (a vida é uma eterna aprendizagem e nós queremos ser aprendizes aplicados, certo?)
14 - Se prefere ter uma carreira sólida em vez de uma família, está de parabéns, porque nem sempre as mulheres estão dispostas a isso (mas não abra mão da sua vida pessoal, porque "da vida só levamos o que vivemos")
15 - Se fizer o contrário, também está de parabéns, até porque cada uma escolhe aquilo em que acredita e o que é melhor para si (o que importa mesmo é sermos e estarmos felizes)
16 - Entenda o que é mais importante para a sua vida e não se preocupe com o resto (nem poderia ser de outra forma)
17 - Mas a conclusão mais importante que pode tirar dos seus trinta anos é ter consciência que é uma mulher feliz consigo própria e não admite que ninguém lhe diga o contrário (e ai de quem se atrever).

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Blog do Ano




Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Pesquisar

  Pesquisar no Blog