Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Crónicas, contos e confissões de uma solteira gira e bem resolvida que não cumpriu o papel para o qual foi formatada: casar e procriar. Caso para cortar os pulsos ou dar pulos de alegria? Provavelmente, nem uma coisa nem outra!

27
Mar23

actionvance-m2h5-H_08Qk-unsplash.jpg
Ora viva!  👋

A mulher cabo-verdiana celebra hoje o seu dia. Sim, nós as criolas somos tão especiais que temos um dia inteiramente dedicado a nós. Na verdade, festejamos a nossa condição três vezes ao ano: no dia 8 de março (Dia Internacional da Mulher), no dia 27 de março (Dia da Mulher Cabo-verdiana) e no dia 31 de julho (Dia da Mulher Africana). É meu bem, ser mulher, africana e... cabo-verdiana não é para todas. 😉

Em mais uma de muitas que vou fazendo, a crónica de hoje visa render homenagem às mulheres, independentemente do continente ou país onde tenham nascido, ainda que com uma ênfase propositada na mulher da minha terra, aquela que mais me inspira e pela qual tenho admiração e adoração infinitas.

Publicado há instantes no Balai Cabo Verde, portal para o qual colaboro como cronista, a (incrível) arte de ser MULHER é na verdade o meu contributo para o terceiro volume da antologia Mulheres e Seus Destinos, cujo lançamento deu-se no passado dia 8 de março, na Praia, minha cidade-natal.

a (incrível) arte de ser MULHER
Bebé. Criança. Menina. Moça. Jovem. Adulta. Idosa. Anciã.
Namorada. Noiva. Esposa. Amante.
Solteira. Casada. Amancebada. Divorciada. Viúva.
Filha. Mãe. Avó. Irmã. Tia. Sobrinha. Enteada. Neta. Nora. Sogra. Cunhada. Madrinha. Afilhada. Prima. Vizinha. Cumbossa.
Amiga. Colega. Companheira. Parceira. Aliada. Adversária. Rival.
Contente. Triste. Feliz. Desgostosa. Amada. Amargurada. Desejada. Rejeitada.
Madura. Infantil. Realizada. Frustrada. Confiante. Insegura.
Bazofa. Desleixada. Primorosa. Caprichosa. Afável. Arrogante.
Mansa. Braba. Humilde. Altiva. Convencida. Modesta. Descarada. Tímida.
Airosa. Desajeitada. Poderosa. Frágil. Subversiva. Encolhida. Orgulhosa. Despretensiosa.
Ativa. Sedentária. Trabalhadora. Preguiçosa. Empoderada. Incapacitada.
Segura. Acuada. Livre. Cativa. Emancipada. Oprimida.
Culta. Ignorante. Letrada. Analfabeta. Refinada. Impolida.
Sensível. Impiedosa. Permissiva. Castradora. Caridosa. Maldosa.
Sorridente. Chorosa. Otimista. Deprimida. Maravilhada. Desapontada.
Justiceira. Vingativa. Corajosa. Amedrontada. Heroína. Vilã. Guerreira. Pacificadora.
Moderna. Conservadora. Curiosa. Alienada.
Gentil. Hostil. Agressiva. Passiva. Doce. Amarga. Amável. Rude.
Preferida. Preterida. Prestigiada. Desrespeitada. Usada. Abusada. Estimada. Desapontada.
Ajuizada. Insensata. Sabida. Ingénua. Oportuna. Inconveniente.
Imprudente. Precavida. Teimosa. Dócil.
Abundante. Desvalida. Esfusiante. Contida. Abençoada. Amaldiçoada.
Íntegra. Desonesta. Sortuda. Azarada. Sorridente. Carrancuda.
Nobre. Plebeia. Distinta. Vulgar. Arretada. Cabisbaixa.
Vencedora. Sofredora. Afetuosa. Severa. Calorosa. Fria. Íntima. Distante.
Resistente. Débil. Mandona. Submissa. Amorosa. Odiosa.
Pura. Impoluta. Casta. Libertina. Íntegra. Devassa. Digna. Desonrada.
Virtuosa. Promíscua. Santa. Pecadora. Divina. Diabólica.
Negra. Branca. Amarela. Vermelha.
Africana. Europeia. Asiática. Americana. Latina. Indígena.
Grande. Pequena. Alta. Baixa. Magra. Gorda. Bonita. Feia. Rica. Pobre. Cosmopolita. Rural.
Princesa. Rainha. Presidenta. Ministra. Governadora. Gestora. Empreendedora. Subordinada. Serviçal. Doméstica.
Educadora. Educanda. Professora. Aluna. Mestra. Aprendiz.
Deusa. Mortal. Humana. Mulher!!!
A MULHER é o que ela quiser!
Uma vez MULHER, para sempre MULHER!

Por hoje é tudo. Regressarei amanhã com mais um episódio do podcast Ainda Solteiros, focado no meu plano 'Emagrece comendo de tudo, mas fazendo escolhas inteligentes'. Até lá, beijo em ti💋 e votos de uma semana esplendorosa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

03
Out22

Até sempre papá!

por Sara Sarowsky

2FAF50E8-6D5C-4E92-8D2C-F05F02E59444.jpeg
Ora viva! ✌️ 

Com toda a certeza, já deves ter reparado que raramente falo da minha família. Bons motivos tenho eu para tal, acredita em mim. Na próxima crónica para o Balai Cabo Verde, a sair daqui a uma semana, levanto um pouco mais o véu sobre esta questão.

Mesmo zelando pela discrição em relação à minha vida privada, há coisas que não tenho como deixar de partilhar, como é o facto de já não ter pai vivo, e cujo falecimento dei conhecimento no post Hoje faço a viagem mais triste da minha vida.

É justamente a ele, ao meu saudoso progenitor, que dedico esta crónica, em forma de carta, à semelhança das incontáveis que lhe escrevi ao longo das mais de três décadas apartados pela emigração. Como sou pessoa de celebrar a vida, e não a morte, reservei a homenagem para o dia em que nasceu e não para o dia em que desapareceu, como faz tanta gente.

Papá,

Hoje são os teus anos, parabéns! No dia 3 de outubro de 1954 vieste ao mundo, com o firme propósito de o tornar um lugar mais divertido, animando todos aqueles que tiveram a sorte de cruzar o teu caminho. Essa característica herdei de ti, também sou assim, por onde vou faço questão de espalhar alegria e boa disposição. Obrigada por me ensinares como deixar marcas no coração dos outros.

Foste embora de repente, sem anúncio nem despedida. Além da saudade, imensa, infinita, eterna, ficaram os risos que não partilhamos, as paródias que não fizemos, as palavras que não dissemos, os perdões que não pedimos, o orgulho que não superamos, os abraços que não demos, o amor que não declaramos. Ficou também por dizer que sempre foste o meu herói, o amigo das brincadeiras, aquele que fazia da nossa vida uma festa sempre que por perto estava.

Em criança, era contigo, e só contigo, que as minhas irmãs e eu íamos à Praínha, comíamos fora (sempre churrasco) e visitávamos a tua família "la fora". Convivemos pouco, como o lamento, mas a vida tem dessas. Em busca de uma vida melhor para todos nós, partiste para longe, tinha eu 8 anos. Desde esse dia, que só te via uma vez por ano (quando desse para ires à terra ver os teus), e nunca mais do que durante quatro semanas, quase sempre coincidente com o período de Natal.

Mesmo por tão pouco tempo, eram os tempos mais felizes. Eram os tempos do Lindinho ou Lindos Melia, como carinhosamente eras tratado. Para além das tão ansiadas prendas que trazias na mala, era a tua presença a mais desejada. Garboso e charmoso, eras um chamariz por onde passasses. De porte atlético, com uma vaidade que eu tão bem entendo e uma boa disposição constante, não havia quem te resistisse. Afável e nada violento (não fazes ideia de quão grata te sou por isso), com todos te relacionavas na base do respeito e da brincadeira.

De ti herdei a predisposição para ser feliz, e pelo caminho fazer os outros felizes. Porque na vida é o que mais importa: as pessoas que cativamos, os corações que tocamos, as almas que inspiramos. Não foi por acaso que, no teu funeral, eu tenha visto catraios a chorar baba e ranho a tua partida. Digo partida e não perda, porque não te perdemos, apenas partiste para outro plano, onde quero acreditar que tenhas conquistado um lugar no regaço divino.

Tanto mais tenho para te dizer, para te transmitir, só que tratando-se de um desabafo público, convém que o resto seja dito no silêncio do pensamento. Termino dizendo que guardo-te no coração, que tenho-te como a minha maior inspiração, o meu maior orgulho, o meu amor maior.

Beijo 💋 em ti e até sempre meu querido papá!

Autoria e outros dados (tags, etc)

EMBCV - Jantar Mulher CV - 2018 - 152.jpg

Ora viva!

Hoje é dia de festa para as crioulas da morabeza, já que é neste 27 de março que se comemora o Dia da Mulher Cabo-verdiana. Orgulhosa das minhas raízes, não posso deixar passar esta data em branco, até porque a mulher da minha terra merece toda a homenagem possível e intencionada.

Palavras ficam sempre aquém da eloquência da mulher cabo-verdiana. De uma beleza, intensidade, complexidade e autenticidade ímpares, ela representa tudo aquilo que me identifica, motiva, orgulha e faz querer ser mais e melhor. Tantas vezes a minha alma precisasse reencarnar num corpo feminino, tantas vezes ela escolheria o de uma mulher cabo-verdiana, tamanha a identificação com a sua essência.

Na sua mensagem, o ano passado, o chefe de Estado cabo-verdiano considerou que a "A mulher cabo-verdiana sempre foi um pilar da nossa sociedade na família e, cada vez mais, na vida socioeconómica e política do país. A sua presença é tão marcante que, por vezes, passam despercebidos os inúmeros problemas e desafios que ainda enfrenta para se afirmar em diversas áreas e para vencer as discriminações que subsistem com base no género." Segundo Jorge Carlos Fonseca, "... a mulher cabo-verdiana tem sabido sempre esculpir, na fina porcelana do nosso destino, um rosto da Nação", daí que deseja que "seja cada vez mais apreciada, valorizada e reconhecida..."

Às cabo-verdianas espalhadas por este mundo diaspórico presto esta singela homenagem, fazendo votos para que, a cada 27 de março, as vicissitudes das suas vidas se aliviem ao ponto de, num futuro próximo, deixarem de determinar o seu destino e moldar o seu querer.

Uma salva de palmas para a Mulher Cabo-verdiana!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Melhor Blog 2020 Sexo e Diário Íntimo


Melhor Blog 2019 Sexo e Diário Íntimo


Melhor Blog 2018 Sexualidade





Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2022
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2021
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2020
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2019
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2018
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2017
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2016
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2015
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D