Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Crónicas, contos e confissões de uma solteira gira e bem resolvida que não cumpriu o papel para o qual foi formatada: casar e procriar. Caso para cortar os pulsos ou dar pulos de alegria? Provavelmente, nem uma coisa nem outra!

46430828_2230107023937386_205621529231228928_n.jpg

Viva!

 

Era minha intenção publicar hoje um novo episódio da saga Como arranjar marido, desta feita sobre Como parecer bem na frente dele, assunto de que venho falando nas duas últimas crónicas. A meio da redação, adentra-me pela caixa de correio uma mensagem da Fixando a comunicar-me que aquela nossa parceria do final do ano, intitulada Como começar 2019 em grande, acaba de dar à luz a uma encantadora publicação no blog Inverno Quente. É pois com o coração repleto de orgulho e gratidão que transcrevo o texto deles.

 

Sapo do Ano na categoria 'Sexualidade': Ainda Solteira

 

Não falo muitas vezes de sexualidade aqui no blog, mas falo de mulheres fortes, independentes e que sabem o que querem. A Lego Luna (o moniker usado pela Sara), a autora do Ainda Solteira, é uma dessas mulheres. 41 anos, luso-cabo-verdiana, solteira por escolha própria. Agora, o blog Ainda Solteira! acaba de ganhar um 'Sapo do Ano' na categoria Sexualidade.

 

Aos 41 anos, a sociedade espera-te casada, mãe de filhos, recatada, sem ambições de subir muito mais na carreira. As pessoas perguntam-te o que há de errado contigo, porque não casas, porque é que ainda não és mãe. Relembram-te constantemente que é “agora ou nunca” porque estás a ficar velha, a menopausa está aí à porta (embora ainda te possa faltar mais de uma década...) e, como disse um determinado senhor francês, as mulheres com mais de 50 anos não podem ser sexy. Depois, vêm os julgamentos assim que "descobrem" que solteirice não equivale a celibato.

 

Isto porque não vale a pena ser hipócrita: a nossa sociedade só consegue conceber Marias e Marias Madalenas. As mulheres têm que caber numa dessas duas caixas, sem qualquer ponto intermédio. Nisso, ainda somos as nossas piores inimigas; as primeiras a julgar quem se atreve a não seguir o modelo familiar tradicional. Somos as primeiras a fazer as perguntas que não nos dizem respeito – porque não casaste, porque não és mãe, como é que és capaz de ter uma relação casual.

 

É sobre isso, mas não só, que o Ainda Solteira fala. Sobre as percepções que a nossa sociedade tem de mulheres que rejeitam os moldes familiares e que querem reescrever as regras do jogo. Cada pessoa tem de viver de acordo com as suas escolhas, não a de outra pessoa. Não deixes que nada te pare, ainda que os outros digam que toda a tua vida é uma heresia. O que é importante é que tu te sintas confortável, seja sozinha ou acompanhada. Não é uma corrida contra o tempo. E lembra-te que todas as mulheres podem ser sexy, independentemente da idade ;)

 

Um dia que parecia ter tudo para ser péssimo (por culpa da maldita virose que anda por aí a assombrar a saúde de todos e que conseguiu finalmente passar-me uma rasteira), num clique acaba de transformar-se num dos melhores deste ano, que já leva 16 dias contados. Sou ou não sou uma solteira abençoada?

 

Hasta, que é hora do chá de limão!

Autoria e outros dados (tags, etc)

26
Dez18

Como começar 2019 em grande

por Sara Sarowsky

meilleur-nouvel-an-paris.jpg

Viva!

 
Agora que o Natal se foi só consigo pensar no Ano Novo. Se 2018 foi um ano excecionalmente generoso para com esta pessoa aqui, as previsões energéticas da minha guru do bem apontam para um 2019 ainda melhor.
 
Sabendo de antemão que o novo ano me tem reservado coisas incríveis, é expectável que tenha estado mais empolgada com o reveillon do que com a consoada, uma celebração da qual me desapeguei há anos. Ao reveillon associo festa, música, dança, espumante, fogos-de-artifício, animação, mas sobretudo, amigos. Não atino com melhor forma de se dar as boas-vindas a um novo ano.
 
Acredito que o modo como viramos o ano é um presságio de como este vai correr, daí que sempre tenha feito questão de receber um novo ano na melhor companhia de todas: amigos. Mesmo quando emparelhada (sim já fui dessas), jamais me passou pela cabeça abrir mão de estar com eles nessa noite.
 
Era minha intenção receber 2019 no calor dos trópicos, ao lado da minha tribo, As Poderosas, coisa que já não acontece desde 2006. Só que com o falecimento da minha avó o meu desejo ficou adiado, dado que mandam os nossos costumes que durante o período de luto a paródia seja banida da agenda social.
 
Mesmo sem estar num clima de grandes festejos, sequer cogito a hipótese de deixar passar a data em branco. Afinal, trata-se da Passagem do Ano, o momento perfeito para renovar as minhas melhores expectativas nos 365 dias vindouros. É neste contexto que, ainda que de forma mais contida, tenha em mente uma noite discreta, pautada por um jantar requintado, regado a bom vinho, comigo espartilhada no vestido deslumbrante de lantejoulas que comprei há dias na Feira Outlet e rodeada do maior número possível de amigos. Na impossibilidade de desfrutar da presença dos que estão longe, contento-me de bom grado com a de todos aqueles que me quiserem dar essa honra.
 
A Fixando, uma plataforma online presente em 14 países, foi um dos que se interessaram em estar comigo nessa noite. Como? Divulgando o AS na sua rede de blogs interna. Em contrapartida eu menciono as suas ofertas para a passagem de ano nesta crónica. Dado que nada tenho a perder (pelo contrário), eis-me aqui a partilhar contigo os seus serviços de catering em Lisboa e no Porto que incluem dezenas de serviços de entrega de comida ao domicílio para todos os bolsos e paladares. Desde comida tradicional, passando por comida étnica ou um sushiman; tudo isso à distância de um clique. Até cachupa, vê lá tu!
 
A sua carta de catering é de tal modo variada que o melhor mesmo é dares um saltinho até ao portal deles, fazeres o registo, selecionares o que queres e solicitares um orçamento. Mais fácil do que isso, só mesmo o Tinder.
 
E já que 2019 promete ser um ano ainda melhor que este, presenteei-me a mim mesma com uma viagem à terra natal do reveillon: Paris, mon amour. Se te quiseres juntar a mim serás mais que bem-vinda, se não vai à Fixando, que lá hás de encontrar tudo que precisas para entrares no novo ano com pé direito ao lado dos que te são mais próximos.
 
Aquele abraço amigo e votos que esta época festiva seja mais um momento em que se acredite que vale a pena viver um Ano Novo!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Melhor Blog 2020 Sexo e Diário Íntimo


Melhor Blog 2019 Sexo e Diário Íntimo


Melhor Blog 2018 Sexualidade





Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D