Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Crónicas, contos e confissões de uma solteira gira e bem resolvida que não cumpriu o papel para o qual foi formatada: casar e procriar. Caso para cortar os pulsos ou dar pulos de alegria? Provavelmente, nem uma coisa nem outra!

06
Fev16

12647168_786149791517924_5179289957251232167_n.jpg

 

Porque é sábado e estou completamente anestesiada pelo Atarax (semanas há que ando a braços com uma crise alérgica que nunca mais passa), partilho contigo este artigo da revista Cosmopolitan sobre 21 erros que todos nós já cometemos (pelo menos) uma vez na vida. Será assim? A ver vamos.

 
1- Cortar o cabelo muito curto. Quem nunca chegou a casa e se arrependeu do corte de cabelo que fez? (o meu pão-nosso-de-cada-ano).


2- Estar a falar mal de alguém, e a pessoa estar mesmo atrás a ouvir tudo (inocente, já que sou demasiado inteligente para me deixar apanhar).


3- Confiar nas pessoas erradas, e acabar desiludidas com o mundo (o meu erro de todos os dias).


4- Sexo em locais públicos. Atenção, só será um erro se te apanharem em fragrante (na minha terra há um ditado que diz que "depois da diversão, a morte não é nada", por isso discordo que este seja um erro).


5- Aceitar um emprego de que não gostas, só porque precisas de dinheiro (mais ou menos).


6- Apanhar um escaldão (uma vez para nunca mais).


7- Medo de estar grávida. Depois de uma noite de loucura, pode vir sempre esta grande preocupação (nunca passei por isso, mas acredito que deva ser um daqueles erros...).


8- Uma enorme crise de ciúmes. Tudo bem, até és bastante controlada em relação aos ciúmes, mas a realidade é que pelo menos uma vez não os conseguiste controlar. Acontece (oh se acontece!).


9- Sair com um homem pelo qual não tens interesse nenhum, mas ainda assim insistes (confere).


10- Ressaca. Não sabes como foste para casa, a tua cabeça vai explodir e prometes a ti mesma que nunca mais irás beber daquela maneira. São só mesmo promessas (nunca me aconteceu).


11- Achar que é amor. Tinhas a certeza que era amor, mas afinal passou depressa. Carências (hum...).


12- Comprar uns sapatos que não podes pagar. Estavas completamente apaixonada por eles e não conseguiste resistir. A verdade é que te vais ver mesmo aflita para pagar o cartão de crédito nos próximos meses, e os sapatos não vão sair tão cedo de casa (rien de tout).


13- Sair de casa com uma maquilhagem péssima. Às vezes pode acontecer (não comigo).


14- Sim, também já todas nós uma vez na vida erramos no look para sair de casa (isso sim).


15- Passar frio, só porque o casaco não combinava com o resto da roupa. Quem nunca? (touché!)


16- Fingir que sabes algo, quando na verdade não fazes a mínima ideia do que estão a falar. Normalmente isto acontece em jantares de amigos, ou com a família, quando todos já viram aquela série, ou aquele livro, menos tu, mas como é óbvio não vais dar a parte fraca e vais entrar na conversa (não faz o meu género. Se não sei não sei e não fico a armar-me).


17- Chorar em público. Foi impossível controlar o choro naquela altura, erro comum nas mulheres (ui... que vergonha!).


18- Esqueceres o nome de alguém. Chega a hora de apresentar a pessoa e tu não te lembras do nome dela, também acontece (mais vezes do que o desejado).


19- Ter uma primeira má impressão de alguém, mas com o passar do tempo mudas de opinião e afinal aquela pessoa pode ser uma grande amiga (nisso sou uma expert).


20- Fazer uma dieta maluca (guilty!).


21- Beber demais e perder a pose. Infelizmente é verdade já todas, pelo menos uma vez na vida, descemos dos saltos, na altura até fez sentido, no dia seguinte é que não (never!)

 

Apesar de alguns destes erros me passar ao lado, penso que o artigo confere bastante com a realidade. E tu, qual o teu parecer sobre esta lista? Confere?

Autoria e outros dados (tags, etc)

28
Dez15

geiton_thumb_edit.jpg

 

Um artigo da Ana Areal, autora do Sapato Nº 37, não poderia ser mais esclarecedor em relação aos benefícios do sexo na vida de qualquer ser humano. Dá uma olhadela e depois diz-me se confere ou não com a tua percepção.

 

"Andas mal-humorada e sem vontade de te divertires? Dói-te a cabeça e ainda invejas o corpo tonificado da tua vizinha, achando-te feia?! Então minha cara, o teu problema é falta de sexo. Todos já sabemos que o sexo faz bem à saúde e à mente. Mas queres saber exatamente a que é que o sexo faz mesmo bem? Então lê e começa a praticar.

 

Quilos a mais? Troca as dietas por prazer
Fazer sexo regularmente tonifica todos os músculos do corpo e queima as calorias em excesso acumuladas que vais ingerindo diariamente. Fica mais "boa" do que a tua vizinha.

 

Qual depressão, qual quê? Dorme sobre o assunto
O ato sexual liberta endorfinas no organismo e na corrente sanguínea, produzindo uma sensação de euforia e bem estar. Além disso, o sexo é o tranquilizante mais poderoso de todos. Chega a ser dez vezes mais eficaz do que todos os outros calmantes juntos.

 

Aspirinas para o lixo
Alivia as dores de cabeça com sexo. Fazer amor acaba com as dores de cabeça porque alivia a tensão que aperta os vasos sanguíneos no cérebro. Por isso, aspirinas para o lixo!

 

Sexo puxa sexo

É quase como quem faz desporto regularmente. Quanto mais fazemos mais queremos fazer. Um corpo sexualmente ativo, produz maior quantidade de feromonas, para o caso, uma espécie de perfume natural, que em contato com o sexo oposto deixa-o totalmente excitado.

 

Anti-histamínico natural
O sexo é um autêntico anti-histamínico natural, pois está provado que alivia a asma e a febre do feno.

 

Esquece os problemas de pele
Sabias que se fizeres sexo se reduzem as probabilidades de sofreres de dermatites, manchas ou erupções cutâneas? É que o suor produzido durante o ato sexual limpa os poros da pele, tornando-a muito mais saudável e igualmente muito mais lisa e macia.

 

Queres cabelo mais brilhante e saudável? Faz sexo
Testes científicos descobriram que quando as mulheres fazem sexo produzem o dobro de estrogénio, o que torna os seus cabelos muito mais brilhantes e saudáveis.

 

Convencida?
Consegui convencer-te? Ou preferes continuar com a tua falta de humor, borbulhas, cabelo sem brilho, ataques de asma, depressão e a olhar de lado para a tua vizinha jeitosa do lado, em vez de a fitares com um sorriso na cara?"

 

Outrora, quando a minha vida sexual pautava-se por três (fartas) refeições diárias - uma logo ao acordar, para começar o dia cheia de genica, e duas à noite, o primeiro, aquela base, e o segundo apenas por uma questão de viciadessa de corpo - expressão crioula que significa vício - os meus músculos do abdómen eram visíveis a olho nú (sem nunca ter posto os pés no ginásio, diga-se de passagem), a minha pele era de uma maciez e luminosidade dignas de um anúncio da Shiseido, passava semanas sem sequer lembrar que os anti-histamínicos existiam (sofro de urticária crónica, alergia ao pólen, a certos bichos do mar, ao pelo dos animais e uma data de outras coisas), se me deixassem dormia 15 horas seguidas, nunca tinha dor de cabeça, o meu cabelo era uma coisa só, ria e sorria por tudo e por nada (à toa mesmo), a autoestima e o sex-appeal absolutamente fatais (encantava e conquistava sem fazer por).

 

Hoje em dia, debato-me com manchas na pele (que me custam uma fortuna para tratar); borbulhas assassinas que não me dão tréguas (com toda a certeza em grande parte responsáveis pelos fios de cabelos brancos e rugas de expressão); os abdominais são fruto de árduo trabalho no ginásio e mesmo assim não estão visíveis a olho nu; o Atarax e o Kestine são companhia dia sim, dia não; as horas de sono não ultrapassam as sete (e mesmo assim...); o cabelo está uma miséria; o mau humor insiste em querer boicotar a minha alegria e positividade inatas e a tesão encolhida mudou-se de armas e bagagens cá para a casa (e pelos vistos, sem dia nem hora para ir embora).

 

Tudo isso para dizer que não poderia ser mais verdade que o sexo é o melhor remédio para todo (e mais algum) mal. Assim como é facto empírico que o mal de muito mulherio que anda por aí destilando mau humor, amargura, veneno e frustração é precisamente a ausência dele (ou quiçá a fraca qualidade dele).

 

Despeço-me com um conselho amigo: motivos já tens, portanto se a oportunidade se propiciar, não te acanhes: come, repete, lambuza, lambe os beiços, arrota, faz a digestão e recomeça de novo, quando e quantas vezes quiseres. Para nós que estamos na inatividade ou na clandestinidade, façamos a nós mesmas o favor de providenciarmos logo logo um provedor de orgasmos, que a vida é curta, é bela e com sexo fica melhor ainda.

 

E depois desta, saio daqui direitinha para o Tinder!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Melhor Blog 2020 Sexo e Diário Íntimo


Melhor Blog 2019 Sexo e Diário Íntimo


Melhor Blog 2018 Sexualidade



Posts mais comentados



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D