Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Crónicas, contos e confissões de uma solteira gira e bem resolvida que não cumpriu o papel para o qual foi formatada: casar e procriar. Caso para cortar os pulsos ou dar pulos de alegria? Provavelmente, nem uma coisa nem outra!

13
Jul21

Saturday Single Spot (1).jpg

Autoria e outros dados (tags, etc)

eye-3339668_1920.jpgViva! 👋

A infidelidade - ou traição, se assim preferires - é, e sempre foi, um dos principais problemas das relações amorosas, sejam elas sacramentadas ou não. Existem vários tipos de traição, ainda que ela seja commumente associada ao sexo fora da relação.

Para hoje proponho então analisarmos os cinco tipos de traição que mais comprometem a felicidade conjugal:

Emocional
Este tipo de traição dá-se quando um dos parceiros partilha com outra(s) pessoas(s) detalhes da vida privada do casal ou quando cultiva sentimentos por outra pessoa, ainda que sem passar dos pensamentos aos atos.

Financeira
Mentir ou ocultar informações relativas à situação financeira configura traição, pois revela que se quebrou a confiança do parceiro, do qual se esconde o estado das finanças. De acordo com a experi|encia da terapeuta de casal, Isabel Soares dos Santos, é o tipo de traição mais difícil de perdoar.

Sexual
A mais banal de todas, em que um dos parceiros, ou até ambos, tiveram ou têm intimidade sexual com uma terceira pessoa. Há quem defenda que a traição emocional é mais grave do que a sexual, por implicar apenas desejo físico e não sentimentos.

Virtual
Este tipo de traição dá-se quando um dos parceiros procura “companhia” virtual, com a qual pode nunca chegar a ter contacto físico. O sexting (troca de mensagem de teor sexual) assume aqui um papel relevante, tendo sido o tipo de traição que mais cresceu com a pandemia, se acordo com esta reportagem da RTP.

Mental
Neste tipo de traição uma das partes está sempre a pensar que consegue algo melhor, um parceiro mais bonito, mais ousado, mais próspero e por aí adiante. A insatisfação com o relacionamento atual faz com que alimente a ideia de que sairá dela mal consiga algo melhor.

Que os casais tentam força para viverem afastados destes cinco inimigos, intrinsicamente ligados aos cinco tipos de traição acima descritos: a luxúria, a raiva, a avareza, o apego e o egoísmo, e que sejam felizes em todas as estações da vida.

Um beijo, um abraço e um sorriso!

Autoria e outros dados (tags, etc)

30
Jun21

goose-3265356_1920.jpgOra viva! ✌️ 

Já que estamos sintonizados na frequência do amor, nada mais plausível do que dar continuidade ao assunto, cuja primeira emissão foi para o ar esta segunda-feira com a live do Love for You Match dedicado ao tema traição. Na sequência disso, a outra mentora deste serviço de consultoria amorosa, a Isabel Soares dos Santos, levou ontem a cabo uma outra live, desta vez dedicada ao tema 'Voltar a acreditar no amor'. Para hoje proponho então falarmos de atitudes que minam as relações, ao ponto de acabar por destruí-las. 

Nenhum relacionamento é perfeito, disso estamos todos cientes. Contudo, existem umas quantas atitudes que, quando praticadas de forma reiterada, funcionam como uma sentença de morte da harmonia do casal. Nesse sentido, o psicólogo John Gottman, especialista em uniões, identifica quatro fatores como sendo aqueles que mais influenciam o (in)sucesso de uma relação. São eles:

Criticismo
Questionar frequentemente o caráter e a postura do outro fomenta um clima de animosidade entre o casal, o que se traduz em constantes discussões e acusações de parte a parte.

Desprezo 
Não há felicidade conjugal que consiga resistir por muito tempo à arrogância ou à indiferença. Este tipo de postura faz com que o outro se sinta desprezado, logo desvalorizado enquanto pessoa e enquanto parceiro.

Postura defensiva 
Está na defensiva quem evita constantemente as responsabilidades que uma relação amorosa implica. A falta de empenho de um dos envolvidos é apontada como um dos grandes causadores da ruptura do casal.

Ambiguidade 
Quando um dos parceiros recusa comprometer-se com assuntos inerentes a uma vida a dois, como, por exemplo, conta conjunta, crédito habitação, eventos familiares ou até mesmo apresentar aos amigos.

Importa salientar que é a frequência com que estes fatores se manifestam que determina o fracasso de uma relação, ou seja, quanto mais rotineiras pior para o casal. Para quem está numa dinâmica a dois este post deve ser encarado com uma chamada de atenção no sentido de evitar estes comportamentos e, caso existam, trabalhá-los de modo a (re)estabelecer a harmonia do casal.

Um beijo, um abraço e um sorriso!

Autoria e outros dados (tags, etc)

18
Jun21

background-2062206_1920.jpgViva! 💖

Parece que os meus seguidores (finalmente) decidiram-se a dar uma oportunidade ao amor. Após um mutismo ensurdecedor, eis que acordaram para a minha oferta de consultoria sentimental gratuita. Como num passe de mágica, começam a chover pedidos de ajuda, os quais vou materializando nos tais anúncios sentimentais que aqui tenho publicado.

Será efeito do verão, do desconfinamento ou tão simplesmente da solidão? Seja lá qual for o motivo por detrás deste despertar da consciência amorosa, o facto é que estou contente por ver que os corações solitários resolveram confiar em mim, ao ponto de saírem da sua zona de conforto. É como disse lá atrás: o amor só precisa de coração e os solteiros de uma oportunidade. E essa oportunidade, por ora, são os anúncios sentimentais.


Caso também andes à procura de amor, e estejas disposta a fazer algo nesse sentido, toma nota de que continuo disponível para dar-te uma mão amiga. Pode ser que não dê em nada, mas e se der? Pensa nisso!

Aquele abraço amigo e bom fim de semana!

Autoria e outros dados (tags, etc)

09
Jun21

Merecemos amar e ser amados

por Sara Sarowsky

couple-560783_1280.jpgViva! ✌️ 

Conforme adiantado no post anterior, cá estou eu para dar-te conhecimento da minha última crónica no Balai Cabo Verde, desta feita dedicada ao amor, tema que nunca se esgota, tamanha a sua importância na nossa vida. Espero que gostes!

Hoje quero falar de amor. Não desse de que se ouve falar por tudo e por nada, instantâneo e efémero, mas daquele maior, verdadeiro o suficiente para durar toda uma vida. Para grande desconsolo meu, tenho que reconhecer que vivemos tempos que promovem relações efémeras, despoletadas num clique, dissolvidas num instante...

Nos dias de hoje, mais fácil do que entrar num relacionamento amoroso é dela sair. Fala-se de amor ao primeiro olhar e vira se lhe as costas ao primeiro desgosto. A culpa - se é que a podemos imputar a algo, ao invés de a alguém - parece residir na infinidade de alternativas disponíveis, em que, por cada parceiro que fica pelo caminho, abre-se uma dezena delas. E as aplicações de encontro, pensadas para solucionar um problema, mas acabando por criar outro ainda mais alarmante, parecem ter um papel incontornável na agudização deste cenário.

Perante a imensidão de opções que elas oferecem, poucos são os dispostos a apostar seriamente no romance. Como tal, esforçar-se para conhecer verdadeiramente alguém, investir numa relação, trabalhar a dinâmica do casal, não desistir à primeira dificuldade, batalhar pela felicidade a dois e aceitar que o amor demanda sacrifícios não é para todos. Daí que considere que esse amor maior que há pouco descrevi seja o novo el dorado da contemporaneidade; dele ouve-se falar o tempo todo e até se acredita que existe, mas somente uns poucos o conhecem realmente.

Ao longo destes seis anos de dedicação à solteirice, em momento algum conheci quem assuma não querer ser amado. Independente da dimensão da nossa veia romântica, estamos todos cientes de que amor faz toda a diferença. Desejo primeiro e último de qualquer humano, é ele que dá sentido à sua existência, que o faz querer ser melhor a cada dia, que dignifica o divino que nele habita. A questão é que nem todos são suficientemente corajosos para enfrentar a sua força, a sua dimensão, a sua grandiosidade. Contudo, quem for capaz de superar a turbulência de emoções que ele acarreta e se permitir ser vulnerável, facilmente chegará à conclusão de que não há sensação mais apaziguadora, mais compensadora, mais libertadora.

Amor verdadeiro é mais do que sexo escaldante, beijos apaixonados ou declarações inflamadas nas redes sociais. É partilhar sonhos, respeitar o outro acima de tudo, fazer da lealdade o maior aliado, abraçar um projeto a dois, ser genuinamente compreendido pelo outro, ter um verdadeiro amigo para conversar e um companheiro para ajudar a enfrentar as provas e as turbulências da vida. Amar e ser amado é a maior aventura da vida.

E todos nós merecemos experienciar um amor assim, nem que seja por uma única vez. Resta saber o que estamos dispostos a fazer por isso. Por estar ciente do enorme desafio que está a ser encontrar esse tipo de amor, coloco à disposição de qualquer pessoa que ainda mantém viva a chama da esperança os meus préstimos de consultora sentimental,. Para tal, basta entrar em contacto comigo, que tudo farei para ajudar. Que o amor esteja connosco e que a esperança esteja com todos os corações solitários.

Autoria e outros dados (tags, etc)

heart-1192662_1920.jpgViva! ✌️ 

A inspiração que andou arisca no sábado voltou em força, pelo que hoje estou on fire, cheia de ideias e novidades. Para começar, decidi avançar com o workshop dedicado ao sucesso de que te falei no post anterior. Assim, este sábado, a partir das 22 horas, vou transmitir em direto só que no Facebook, através de um grupo que vou criar para esse propósito.

Em caso de interesse, e relembro que valerá a pena, só tens que seguir a minha página e manifestar interesse através do Messenger. Ao longo da semana, receberás um convite e no dia e hora marcada bastará acederes ao tal grupo para teres acesso à minha partilha. Para além de mais profissional, parece-me ser a opção que permitirá o acesso apenas àqueles que tiverem genuíno interesse em conhecer as minhas dicas para atingir e manter o sucesso.

Outra novidade é que esta tarde, a partir das 19 horas, vou participar num direto da cinderelasobrerodas, para dar a conhecer os próximos passos do serviço de cupido profissional Love for You Match, do qual sou mentora, juntamente com a Isabel Soares dos Santos. É cada vez mais incontornável o facto de que o mundo anda precisado de amor. São demasiadas pessoas à procura de uma oportunidade para ser feliz. E como queremos fazer a diferença na arte de juntar corações solitários, voltamos em força, após a pausa ditada pela minha viagem a Cabo Verde, mais motivadas do que antes. Conto com a tua presença nesta live.

A terceira e última nova do dia, porque tenho umas quantas outras na calha, tem precisamente a ver com esta pandemia de solteirice que anda a assolar as sociedades modernas e ao qual eu própria não sou alheia, até porque dela também padeço. A pedido de muitos desemparelhados, e sobretudo porque acredito que todos merecem a oportunidade de encontrar o amor, independemente da sua capacidade financeira, dou-te conhecimento, em primeira mão, de que o Love for You Match terá uma versão gratuita, através da qual vou oferecer os meus dotes de casamenteira a custo zero.

Em tempos idos, os solteiros procuravam par em anúncios de jornais, os quais cumpriam todos os requisitos de seriedade e credibilidade. É minha intenção resgatar esse costume caído em desuso, mas com eficácia comprovada. Tudo isso para contextualizar em que moldes vai-se processar a versão gratuita dos meus dotes de cupido profissional. Quem tiver interesse só terá que enviar um pequeno texto (contendo primeiro nome, dados biográficos que considerar relevante, cidade de residência, interesses e predicados que procura num parceiro). Através dos meus canais, tratarei da divulgação, salvaguardando sempre a identidade e a privacidade do anunciante, na expectativa de obter manifestações de interesse dignas de serem consideradas uma opção viável e sustentável. Caso queiras saber mais detalhes, é só entrar em contacto comigo.

Por hoje é tudo, voltarei na quarta. Até lá, fica com aquele abraço amigo!

Autoria e outros dados (tags, etc)

woman-1006102_1920.jpgOra viva! ✌️ 

Uma vez comprovado que o amor à primeira vista existe e que pode acontecer a qualquer momento (vide post anterior), é de todo pertinente falarmos sobre o final que nenhum amor - seja ele à primeira, segunda, terceira ou enésima vista - deseja: desilusão. Infelizmente, faz ela parte da dinâmica existencial, daí que cumpre esta crónica a missão de dar conhecimento de quatro mandamentos para amenizar o impacto de uma desilusão, seja ela amorosa ou não.

As desilusões podem ser desmotivadoras, arrasadoras mesmo. Várias são as pessoas que na sequência delas acabam desistindo, de algo, de si, da alegria de viver, em alguns casos, da própria vida. Sobre isso, considera a psicóloga Jennice Vilhauer, ao Psychology Today, que "dependendo de como se olha para as coisas, a desilusão pode ser devastadora ou uma oportunidade para algo melhor." Daí que recomende estas quatro estratégias para reprogramar o seu significado, de modo a superá-las com mais eficácia:

Não generalizar
O facto de não ter dado certo desta vez não quer dizer que será sempre assim.

Não personalizar
Nem sempre o problema somos nós, existem factores situacionais que estão para lá do nosso controlo.

Não rotular como "má"
As situações dececionantes tendem a ter o potencial para abrir portas a eventos positivos, basta encararmos a situação com outros olhos.

Aprender com ela
Muitas vezes, é do fracasso que advém o sucesso.


Estas dicas, igualmente aplicáveis às demais esferas da vida (profissionais, sociais ou familiares, por exemplo), cumprem o dever de te munir de ferramentas capazes de ajudar-te a gerir com sabedoria e leveza de espírito as agruras da vida. Por isso, faz bom uso delas.

Aquele abraço amigo!

Autoria e outros dados (tags, etc)

17
Mai21

couple-1030744_1920.jpgOra viva! ✌️ 

Terá fundamentação científica a ideia cliché - nem por isso menos romântica - de dois estranhos trocarem olhares e terem a certeza de que foram feitos um para o outro, tamanha a atração existente entre ambos? Será o amor à primeira vista, perfeitamente ilustrado no cenário há pouco descrito, um fenómeno real ou uma mera fantasia emocional? É o que intenta esclarecer este artigo.

Apesar de não abundarem dados empíricos sobre o tema, um estudo de 2017 oferece evidências que suportam a teoria de que ele é, de facto, real. Uma investigação da Universidade de Groningen, que pediu a quase 400 indivíduos de ambos os sexos que se manifestassem, imediatamente após o primeiro encontro, sobre potenciais parceiros românticos, permitiu tirar as seguintes ilações:

O amor à primeira vista não é só memória tendenciosa
A amostra relatou tê-lo sentido no instante em que se encontrou com alguém. Trata-se, portanto, de uma forte atração inicial que, posteriormente, pode transformar-se num relacionamento.

É mais provável sentirmos amor à primeira vista por pessoas bonitas
Os participantes com classificações mais altas na escala da aparência física tinham uma probabilidade nove vezes maior de despertar esse sentimento.

Os homens assumem sentir amor à primeira vista mais do que as mulheres
Os investigadores não foram capazes de apurar o motivo concreto para que assim seja, pelo que recomendaram estudos complementares.

O amor à primeira vista tende a ser um fenómeno tipicamente unilateral
Os cientistas suspeitam que a intensa experiência inicial de um parceiro pode ajudar a moldar as lembranças do outro, mudando-a para a crença de que este também sentiu amor à primeira vista.

O amor à primeira vista, tecnicamente, não é “amor”
O tipo de qualidades que espelham amor (intimidade, compromisso, paixão) não é particularmente forte nos momentos iniciais desse sentimento. No entanto, aqueles que o sentiram parecem ter maior predisposição para tal do que aqueles que reconheceram não ter sentido amor à primeira vista.

Crença e/ou experiência pessoal à parte, a verdade é que as evidências existem e foram aqui citadas. Eu acredito em paixão à primeira vista e não tanto em amor à primeira vista. Isto porque o amor - que demanda conhecimento, investimento e comprometimento - não é sentimento que surge de forma tão instantânea e espontânea. Ele vai sendo construído, e fortalecido, com tempo e convivência, daí que não desapareça à primeria crise.

Por hoje é tudo, voltarei na quarta para mais uma conversa amiga. Até lá, fica com o meu abraço e muita energia positiva para a semana.

Autoria e outros dados (tags, etc)

social-networks-5025657_1920.jpgOra viva! ✌️ 

Nas das minhas recentes andanças pelos bastidores do blog encontrei um rascunho sobre as aplicações de encontro adequadas a cada tipo de personalidade. Dado que este é um tema que mesmo requentado sabe sempre bem, eis-me aqui a partilhá-lo contigo, na expectativa de que te possa proporcionar um bom repasto.

Sobre as ofertas para encontrar o amor online pouco mais há a dizer, pelo que vou pular essa parte. Inúmeras são as opções disponíveis no mercado, cada uma tentado marcar a sua posição e distanciar-se da concorrência. Entre essas, existem umas quantas que, segundo uma publicação da Maag datada de 2018, podem ser catalogadas em função do propósito do utilizador. Ei-las:

Tinder
Por ser o mais popular, esta aplicação é ideal para quem prefere a quantidade à qualidade. Assim, se és do tipo de gosta de conhecer muitas (mas mesmo muitas) pessoas, esta é uma boa opção. Há de tudo e para todos, à vontade do freguês. A superficialidade e a instantaniedade são os ingredientes principais, isto de acordo com a minha apreciação.

The League
Adequado a quem tem uma vida ocupada, sem tempo para o romance nos moldes tradicionais, esta aplicação faz o trabalho todo. Diariamente, às 17 horas, sugere três candidatos com base nos nossos "requisitos", que podem ir da altura até à educação. Assumidamente elitista, por ali não figuram ligações random, jogos, perfis falsos, decoro ou voyeuristas.

Bumble
Esta app resume-se a uma coisa: poder de iniciativa da mulher. Se és das que considera que já não faz sentido serem os homens a darem o primeiro passo, esta opção é perfeita para ti, já que aqui quem manda é a mulher, e é a ela que cabe ir atrás deles, sem medos ou vergonhas.

Hinge
Assume-se como uma aplicação que segue a premissa de juntar os seus utilizadores ao "amigo do amigo" através das ligações de Facebook, portanto a probabilidade de encontrar alguém completamente fora do teu círculo é bastante menor. Ainda assim, é uma boa escolha para quem procura uma relação verdadeira.

Coffee Meets Bagel
O mote aqui é qualidade em vez de quantidade. Todos os dias os utilizadores recebem uma lista de 21 potenciais candidatos, que podem aprovar ou não. Quanto mais utilizamos a app mais inteligente ela fica, uma vez que regista os nossos gostos e aplica-os na próxima vez que sugerir alguém.

Hater
Para quem odeia tudo e mais alguma coisa esta é aquela que deve instalar. Com mais de quatro mil tópicos de coisas para odiar (ou não), a aplicação apresenta pessoas com base nos ódios que as unem. Afinal, não há nada que una mais duas pessoas do que partilhar coisas de que não gostam.

Taffy
Esta aplicação acredita que a ligação entre duas pessoas surge através da conversa e não da aparência. Por isso mesmo, as imagens de todos os utilizadores estão desfocadas até começarem a conversar. Ainda assim, ela não é exclusiva de quem quer uma relação séria, uma vez que podes procurar pessoas de acordo com o que elas andam à procura - seja uma relação séria, casual ou amizade.

Happn
Nesta aplicação os utilizadores têm de se cruzar para se poderem ver. Depois, são eles que decidem se se aprovam mutuamente, antes de poderem iniciar uma conversa. Portanto, para quem não quer correr o risco de interessar-se por alguém a léguas de distância, esta é uma alternativa bem viável.

Agora que já te apresentei o menu das aplicações de encontro à medida do teu gosto, é hora de fazer bom proveito! 😉

Ate breve!

Autoria e outros dados (tags, etc)

12
Mar21

Cartaz_Live 7.jpgViva!

Preciso lembrar-te que amanhã é dia de live no Instagram? Acompanhada pela minha business partner, Isabel Soares dos Santos, vou falar sobre a missão que recentemente abraçámos: ajudar os corações solitários a encontrarem o verdadeiro amor. 

O que é um serviço de matching (correspondência amorosa, para quem não está familiarizado com o termo), como funciona, o que fazer para aderir, quem pode inscrever-se, quais as fases do processo de triagem e seleção e como é que os pretendentes são apresentados são apenas alguns dos pontos que vamos abordar nesta sétima sessão do ciclo 'Saturday Single Spot'.

Para além disso, é nossa intenção promover matchs em tempo real, ou seja, fazer correspondência amorosa durante o direto. Caso estejas interessada, ou conheces alguém que esteja, serás muito bem-vinda. Para participar, basta enviar, por email ou direct message, o primeiro nome, idade, altura, peso, localidade, signo e perfil do par ideal.

Nessa live vamos ainda falar do próximo evento do Love for You Match, um Festival do Amor agendado para o dia 20 de março, entre as 18 e as 20 horas, via Zoom. Muitas supresas temos reservadas para os participantes: música, dança, terapia, meditação, partilha e, quem sabe, uma ou outra correspondência amorosa. Porque o amor não tem estado civil, nem deve permanecer confinado por muito mais tempo, abrimos este evento a todas as pessoas que queiram desfrutar de um final de tarde diferente, descontraído, animado e deveras inovador.

Curiosa? É só aceder ao perfil @sara_sarowsky
, amanhã, a partir das 22 horas. Até lá!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Melhor Blog 2020 Sexo e Diário Íntimo


Melhor Blog 2019 Sexo e Diário Íntimo


Melhor Blog 2018 Sexualidade





Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D