Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Crónicas, contos e confissões de uma solteira gira e bem resolvida que (ainda) não cumpriu o papel para qual foi formatada: casar e procriar. Caso para cortar os pulsos ou dar pulos de alegria? Provavelmente, nem uma coisa nem outra!


girl-1258739_960_720.jpg

Viva!

Um estudo de comportamento apurou que cerca de ¼ da população norte-americana entre os 18 e os 29 anos não teve qualquer relação sexual durante um ano ou mais; uma tendência transversal a várias sociedades ocidentais e que tem vindo a acentuar-se nas últimas três décadas.

Para os especialistas, a explicação para este fastio sexual dos millennials (nome porque é tratada esta geração) parece residir na apetência pelo virtual em detrimento do real. "Há demasiadas solicitações virtuais que exigem respostas e que satisfazem esta geração. O próprio sexo pode ser sem parceiro ativo. O prazer, o desejo ou a atividade sexual já não são uma prioridade", considera um dos envolvidos no estudo.

A propósito disso, Luís Pedro Nunes, numa crónica para a GQ, descreve o estado anémico da vida sexual dos jovens nestes termos: "Li algures uma série de possibilidades que podem estar a contribuir para esta crise de tesão-jovem: alterações na cultura de engate; viver na casa dos pais até tarde; efeitos secundários dos antidepressivos; a explosão do Netflix; aumento do estrogénio devido ao plástico na comida; queda da testosterona; vício no porno digital; viver-se a era de ouro do vibrador; obsessão na carreira; as apps de engate; privação de sono; epidemia da obesidade e mais uma catrefada. Há ainda questões religiosas de jovens que optam por permanecerem virgens até encontrar 'a pessoa certa'". 

Na ótica deste cronista, "o real é cada vez mais um lugar perigoso, onde as regras são pouco claras, cheio de armadilhas e múltiplas interpretações, para além do risco de se ser humilhado pela rejeição – o maior dos medos. E estas apps de engate estão pensadas para que tal humilhação não aconteça, pois há uma troca feita para anular a possibilidade de rejeição. Perante tanto sexo digital, tanta excitação online, tanta emoção de expectativa nas apps, tanta conversa no sexting, o sexo em si – o sexo tradicional, aquilo, tipo, um com uma e nada mais – acaba por parecer dececionante para um jovem".

Se a malta continuar a pinar a este ritmo cada vez mais desacelerado, a humanidade caminha a passo de corrida para a extinção, já que o sexo é a matéria-prima sem a qual a fábrica de bebés dificilmente consegue laborar a pleno vapor. A diminuição do número de cambalhotas é tão flagrante que a maternidade anda em gestão lay-off e as mulheres engravidam cada vez menos e em idade mais avançada.

Just saying, afinal quem avisa amigo é!

Autoria e outros dados (tags, etc)


8 comentários

Imagem de perfil

De Luísa de Sousa a 03.04.2019 às 16:46

Olha que eu até concordo com tudo o que foi escrito!!!!
Imagem de perfil

De LegoLuna a 03.04.2019 às 16:55

🙏🏾 😘
Imagem de perfil

De Sem Sentido a 03.04.2019 às 16:54

A propósito do seu último parágrafo, não me parece que a falta de bebés tenha muito que ver com a falta de sexo. Muito pelo contrário: é pelo facto de as pessoas quererem continuar a fazer sexo que não fazem bebés. Quanto aos motivos que levam as pessoas a não fazerem bebés – para além do facto de quererem continuar a fazer sexo –, aconselho a leitura do texto da hiperligação que se segue:

https://semsentidocon5entido.blogs.sapo.pt/mas-afinal-por-que-e-que-nao-se-fazem-32320
Imagem de perfil

De LegoLuna a 03.04.2019 às 17:03

Obrigada pela partilha. O seu artigo detalha com rigor as razões por detrás do reduzido número de nados. Contudo, continua por explicar porque não pinam mais vezes os jovens de hoje
Imagem de perfil

De Sem Sentido a 03.04.2019 às 17:30

Não acredito muito nesse estudo que diz que há falta de sexo entre os jovens. Acredito, sim, que o estudo tenha sido feito por alguém que já não faz sexo há muito tempo e que adulterou os resultados para rotular os jovens de totós e não se sentir tão mal...
Imagem de perfil

De LegoLuna a 03.04.2019 às 17:34

Pela minha experiência pessoal e pelos dos outros que partilham estórias comigo, infelizmente é verdade
Lembro-me do pessoal da minha geração nessa idade fazê-lo sempre que der e com gosto. Hoje em dia, só querem saber do sexo na ou através da rede
Imagem de perfil

De Sem Sentido a 03.04.2019 às 18:20

No meu tempo, havia rapazes que passavam tardes inteiras em frente ao portão da escola, dentro do seu carro todo quitado, à espera das adolescentes que de lá saíam... Enfim, outros tempos!
Sem imagem de perfil

De Urso a 04.04.2019 às 00:45

Isto é grave tem consequências nefastas nfo do no efeito do envelhecimento da opulsvso mas pior que tudo na saúde mental dos jovens e adultos que entram nesta abstinência
Há que alertar as pessoas e te tar mudar o paradigma por muito difícil que seja

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Melhor Blog 2019 Sexo e Diário Íntimo


Melhor Blog 2018 Sexualidade





Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D