Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Crónicas e confissões de uma rapariga gira e bem resolvida que (ainda) não cumpriu o papel para a qual foi formatada: casar e procriar. Caso para cortar os pulsos ou dar graças? Talvez nem uma coisa nem outra!


Diapositivo1.JPG

Viva!

 

Porque não quero que mais ninguém das minhas relações caia em semelhante esquema, partilho contigo um resumo alargado da novela Livoo, a estória de uma burla.

 

Não deve ser novidade para ti que eu sou, desde há muito, freguesa assídua dos cupões de desconto na internet. Inclusive, publiquei dois artigos exclusivamente dedicados a esta temática, um deles "patrocinado" pela MaisCupão. Modéstia à parte, devo ter sido das pioneiras a aderir a este tipo de promoções. Anos se passaram desde que descobri essa forma económica, prática e diversificada de aceder a uma infinidade de produtos e serviços a preços verdadeiramente irresistíveis. Só para teres uma ideia, nessa altura o Forretas não chegava às 100 ofertas diárias. Neste momento, a média anda a beirar as quatro mil.

 

Tirando um ou dois casos sem grande relevância, ao longo destes anos a minha experiência em relação a este assunto sempre foi muito positiva. Até à semana passada, quando tive a infelicidade de adquiri um voucher para tratamentos estéticos, por via de uma empresa chamada Livoo, com a qual não estava minimamente familiarizada, apesar de saber que era mais uma que operava no mercado dos cupões de desconto.

 

Para que percebas melhor toda a estória, deixo aqui um copy-paste da reclamação que submeti ao Portal da Queixa, após o qual fui agraciada com uma resposta no mínimo intrigante por parte de alguém da empresa.

 

Boa tarde.
Adquiri um voucher no dia 3 de julho e ao tentar fazer a marcação junto da empresa, qual não foi o meu espanto ao ser informada de que a mesma não trabalha com a Livoo desde 31 de dezembro do ano passado.
Tentei entrar em contacto com a empresa, através dos números disponíveis no voucher, mas nunca ninguém atendeu, não obstante as minhas inúmeras tentativas.
Resolvi então enviar um email à empresa solicitando o reembolso imediato do valor pago, assim como a retirada dos meus dados pessoais da base de dados deles.
Considero inadmissível que, volvidos mais de seis meses após a cessação do acordo comercial, a empresa ainda continue a vender um serviço para o qual não estão "habilitados".
Já se passaram cinco dias e nenhuma reação da empresa.
Continuo a tentar ligar e ninguém atende.
Para mim é cada vez mais claro que se trata de um caso flagrante de burla.
Alerto a todos os incautos e desinformados para que não adquiram absolutamente nenhum serviço desta empresa.
Muito obrigada.

 

Isto aconteceu esta segunda-feira à tarde. Horas depois, por volta da meia-noite e tal, alguém que se autodenominou "Apoio Livoo", responde à minha reclamação nestes termos:

 

Bom dia,
estimada ....,
lamentamos a situação ocorrida, mas repare que existem vários parceiros que encerram as portas sem que nos avisem de tal situação e muitas as vezes só temos conhecimento quando os clientes nos confrontam com essa situação.
não obstante, verifique por favor se está a enviar o e-mail corretamente, pois não recebemos qualquer comunicação, queira enviar novamente para clientes@livoo.pt
aproveitamos para informar que não deverá efetuar julgamentos de valor que prejudiquem a nossa imagem e bom nome, sem que tenha reais motivos para tal, pois desde que efetuou a sua compra até hoje apenas passaram 4 dias uteis e as acusações de burla são de facto prejudiciais para a nossa empresa que atua de bom fé para com os clientes.
Melhores cumprimentos,
Apoio Livoo

 

Nem vou perder o meu tempo e o teu a descrever o sentimento de que fui acometida quando me deparei com esta resposta logo pela manhã ao conectar-me com o ciberespaço. O que te posso dizer é que foi só o tempo de chegar ao trabalho, beber um chá verde, respirar fundo e por os dedos a trabalhar a todo o valor, no sentido de apresentar uma contraargumentação à altura.

 

Caro Apoio Livoo,

É de se louvar a sua resposta, sobretudo por constatar que esta foi efetivada às tantas da noite (insónias ou horas extras?, resta saber). Contudo, tenho a dizer que esta ficou incomensuravelmente aquém do que seria desejável, pelos motivos que posso a citar:

Motivo 1 – Para sua informação, o parceiro não encerrou portas. Ao contrário, goza de boa saúde, tanto assim é que adquiri o mesmo voucher comercializado por si na concorrência. O parceiro apenas deixou de trabalhar consigo (por motivos que opto por não referir, sob pena de atentar contra essa "boa imagem" que daqui a pouco desmistificarei). Ouvi da boca do próprio parceiro que o desvinculo foi-vos comunicado várias vezes. Palavras do mesmo: "Com a Livoo não trabalho desde 31 de dezembro e ainda continuam a vender os nossos vouchers. Estou farta de os avisar que não trabalho mais com eles e volta e meia aparecem pessoas com um voucher deles. Com eles não trabalho. Pode comprar noutras empresas, menos na Livoo".

 

Motivo 2 – Acatando a sua sugestão, confirmo que o endereço de email é exatamente o mesmo para o qual enviei a minha reclamação. Sou uma profissional de comunicação e marketing que lida o tempo todo com o costumer care, razão pela qual tenho o cuidado em esgotar todas as alternativas antes de vir para a praça pública lavar a roupa suja. Agora é a minha vez de lhe sugerir que verifique a sua caixa de correio, em especial o endereço legoluna.

 

Motivo 3 – O seu argumento de que só se passaram 4 dias úteis seria válido se estivéssemos a falar do Serviço Nacional de Saúde ou da Segurança Social. Tratando-se de uma empresa de pequena dimensão, com meia dúzia de colaboradores, e que subsiste essencialmente à custa dos cupões de descontos adquiridos pelos clientes, quatro dias úteis são uma vida. Devo lembrá-lo que estarmos em pleno século XXI, e que, nos tempos atuais, a satisfação das necessidades dos clientes encontram-se à distância de um clique? Portanto, este seu argumento é contraproducente, para não dizer retórico.

 

Motivo 4 – Agora é a minha vez de ter a audácia de lhe dar uma lição de moral: a "imagem e o bom nome" de uma empresa não é algo que se exige do público. É algo que se conquista, diariamente, com base em valores como credibilidade, competência, confiança, integridade, humildade e muito foco no cliente. Ter consciência disso e traçar uma estratégia corporativa que vá de encontro a esse posicionamento é o que separa as empresas bem-sucedidas das restantes.

 

Motivo 5 – Os meus julgamentos de valor não foram feitos de forma leviana. Têm fundamento e esses foram expostos de forma transparente e desprovida de motivações ocultas. Paguei por um serviço; não obtive esse serviço; tentei, sem êxito, contactar com o fornecedor desse mesmo serviço, pelos meios por ele facultado; e, só em última instância, recorri ao Portal da Queixa, um canal credenciado e perfeitamente alinhado com o Estado de Direito que é Portugal. Como pode constatar, tenho reais motivos para tal e esses são absolutamente legítimos.

 

Motivo 6 – A ser verdade a sua preocupação com a boa imagem institucional, o meu conselho (perdoe-me o atrevimento) é que não se ponha a jeito. Um maior cuidado na forma de atuação e atenção ao cliente seria um bom começo. Ao invés de perder tempo com lições de moral, deveria estar a envidar mais e melhores esforços no sentido de dar vazão à demanda de clientes insatisfeitos, que, a julgar pelo que circula na rede, são em nada abonatórias dessa "boa imagem" pelo qual assume tanto zelo. Só deve atirar pedras ao telhado alheio quem não o tem de vidro. No caso da Livoo, já nem telhado deve ter, tantas as pedradas que tem levado de clientes insatisfeitos nos últimos tempos.

 

Motivo 7 – Ao longo da minha vida profissional e pessoal aprendi que, mais importante do que se diz, é o que não se diz. E em momento algum disse que iria proceder à devolução do dinheiro e menos ainda que iria tomar providências no sentido de evitar que situações semelhantes se repetissem, no futuro. Estou certa ou estou errada?

Motivo 8 – Por último, desafio-lhe a fazer prova de toda essa boa-fé que teve a amabilidade de arrotar por cima da minha reclamação e proceda à devolução imediata do valor pago, que é irrisório, mas meu por direito.

 

Sem nenhuma estima,
.....

 

A seguir cenas do próximo episódio, que acredito deverá estar para breve. Até lá, deixo-te com aquele abraço amigo de sempre!

Autoria e outros dados (tags, etc)


2 comentários

Imagem de perfil

De Nuno a 05.10.2018 às 10:48

Aserio que depois dessa burla têem a distinta lata de vir falar em boa imagem?
Imagem de perfil

De LegoLuna a 05.10.2018 às 12:18

Podes crer!

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D