Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Crónicas, contos e confissões de uma solteira gira e bem resolvida que não cumpriu o papel para o qual foi formatada: casar e procriar. Caso para cortar os pulsos ou dar pulos de alegria? Provavelmente, nem uma coisa nem outra!


617011_436488216389315_142272784_o.jpg

Viva!

 

Com um fim de semana extenuante nas costas, que soube a tudo menos a descanso – já que laborei o dia todo de sábado e no domingo estive na homenagem fúnebre à minha avó – eis-me aqui com uma crónica inspirada numa expressão que ouvi há dias da boca de uma formadora de ética e deontologia profissional: "É a nossa vontade que muda o acaso!"

 

Desde que a ouvi que esta frase não para de me ecoar na mente, razão pela qual desafio-te a refletir comigo sobre o seu real significado. Citando uma das (muitas) definições do dicionário de língua portuguesa, por acaso entende-se "o conjunto de factos sem causa aparente que determinam um acontecimento"; o que me leva a deduzir que este será alheio à nossa vontade, algo sobre o qual exercemos pouco ou nenhum controlo.

 

Ora, a ser assim, o destino (teoria com a qual me identifico em género, número e grau) será o mentor de todos os acasos, o responsável pela sequência de casualidades que, se não determinam, condicionam flagrantemente a nossa vivência. A ser assim, eis a pergunta que não posso calar: em que medida é que a nossa vontade poderá alterar o que é suposto não sermos capazes de controlar? Penso que seja altura de chamar à conversa o mestre livre-arbítrio, o responsável pela última palavra na nossa vontade.

 

Nesta grande produção cinematográfica que entendo ser a existência humana, ao destino atribuo o papel de argumentista, a quem cabe a (ingrata) missão de escrever a estória da nossa vida, adaptando as experiências, vivências, expectativas, vontades e personalidades de cada personagem às exigências dos demais envolvidos. Ao livre arbítrio associo o papel de realizador, a quem cabe a (hercúlea) responsabilidade de coordenar com êxito a atuação de cada um, por forma a assegurar a harmoniosa gestão de todos os cenários e todos os elementos. À dupla sensibilidade & bom senso outorgo o papel de produtor, a quem confio a (árdua) tarefa de garantir o bom funcionamento de toda a dinâmica social, com o menor drama possível e com a eficiência desejável para que todos os intervenientes possam conduzir a produção à realidade tangível.

 

E a cada um de nós mortais qual o papel que nos caberá? Protagonistas, adjuvantes, coadjuvantes, antagonistas ou meros figurantes? Penso que a resposta seja o resultado da soma das partes a dividir pelo número de intérpretes, vezes número de vezes que interagimos. Para quem não está muito à vontade com a ciência do cálculo, traduzo para a ciência do conhecimento: a resposta está à mercê dessa tal "nossa vontade" capaz de mudar o acaso. Esclarecida ou ainda mais baralhada do que antes?

 

Seja lá qual for a tua resposta, gostaria sinceramente de saber o que tens a dizer sobre o assunto. No aguardo da tua reação, termino com aquele abraço amigo de sempre e desejos de uma semana maravilhosa.

 

Até já!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Mais sobre mim

foto do autor


Melhor Blog 2020 Sexo e Diário Íntimo


Melhor Blog 2019 Sexo e Diário Íntimo


Melhor Blog 2018 Sexualidade





Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D