Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Crónicas, contos e confissões de uma solteira gira e bem resolvida que não cumpriu o papel para o qual foi formatada: casar e procriar. Caso para cortar os pulsos ou dar pulos de alegria? Provavelmente, nem uma coisa nem outra!


04
Fev22

Escolhe ser feliz!

por Sara Sarowsky

19233422_sNEuS.jpeg
Ora viva! 🌷

Numa formação desde as dez da manhã, hoje só arranjo criatividade e energia para requentar um texto resgatado dos primóridos deste blog. Originalmente publicado a 5 de fevereiro de 2016, já lá vão seis anos, este recai sobre as escolhas que fazemos - ou não - rumo a uma existência mais feliz. Boa leitura, mais importante do que isso, boa reflexão sobre as escolhas que tens feito na tua vida.

Quantas e quantas vezes não desperdiçamos nós tempo, paciência, expectativas e emoções com coisas e pessoas que não contribuem em nada para a nossa felicidade. Verdade?

Porque merecemos ser felizes, hoje escrevo sobre algumas atitudes que, por minarem o nosso bem-estar físico, emocional e psíquico, urgem serem banidas do nosso dia a dia. Por ora lembro-me destas cinco, mas caso me venha à memória outras, conta com um novo artigo sobre o assunto.

Viver em função dos outros
Ser algo que não somos - nem é suposto sermos - é uma tarefa não só frustrante como cansativa. Aceitarmo-nos tal como somos e aprendermos a valorizar as nossas qualidades e a conviver com os defeitos é mais do que suficiente para estarmos em paz connosco e com os que nos rodeiam. E um dos maiores atestados de maturidade e amor-próprio. Das poucas vezes que tentei fintar a minha natureza, mascarando a minha essência, na tentativa inglória de agradar ou ser melhor aceite pelos outros, a coisa não correu bem. Pudera! Cada um é como é. Quem gosta, convive. Quem não gosta, dá meia volta e vai à sua vida.

Temer as mudanças
"Para melhor, muda-se sempre!", ainda que isso implique deixarmos a nossa zona de conforto e assumirmos riscos. Entre rejeitar ou abraçar a mudança, mais vale optar pela segunda, já que a primeira vai deixar a nossa vida estagnada, presa à rotina, impedindo-nos de saber o que isso poderia fazer à nossa vida. Não devemos ter medo de abraçar coisas, pessoas, trabalhos, projetos, desafios ou amores novos. O bom da novidade é que a probabilidade de sermos surpreendidos pela positiva é infinitamente maior.

Deixar-se levar pelas aparências
Julgar os outros, ainda que inconsciente e involuntariamente, é prática comum a quase todos nós, já que fomos formatados para seguirmos os rótulos pré-estabelecidos pela sociedade. Apesar de eu não sofrer desse mal (pelo contrário), estou ciente de que nem toda a gente consegue libertar-se desse espartilho. Se fores como eu, uma eterna inconformada, deves saber que o segredo para não se vergar àquilo que os outros consideram "socialmente desejável" consiste numa mente aberta, numa escuta ativa (vocábulo adquirido nas entrevistas para call centers) e em aprender a aceitar, ou pelo menos respeitar, a diferença.

Deixar-se levar pelo medo
Medo do desconhecido, medo de arriscar, medo de dar o próximo passo, medo de falhar, medo de ser criticado... Enfim… muitos de nós, deixamo-nos aprisionar por todos estes medos, ao ponto de nem sequer tentarmos (como sei disso). Dado que este, muitas vezes, é um estado psicológico, para seguirmos em frente só temos que libertar-nos dele. Por mais que nos custe!

Inventar desculpas
A desculpa, uma preciosa aliada em determinados momentos pode revelar-se um implacável inimigo noutros, impedindo-nos de partir à conquista de quem ou daquilo que desejamos. Nessa matéria sou uma pro, já que passei a minha vida toda a inventar desculpas para não correr atrás dos meus sonhos. Agora que esgotei todo o stock de desculpas, só me resta ir à luta e fazer por acontecer.

Aquele abraço amigo de bom fim de semana!

Autoria e outros dados (tags, etc)

01
Fev22

68BA185C-1B03-4392-9936-769E7705E28C.jpegViva! ✌️ 

Janeiro findou. Ufa, que mês turbulento, caramba! Tenho a sensação de que já se passou um século desde a passagem de ano. Acaso, terás tu a mesma impressão? Auspiciosamente, o mês do amor - que por coincidência é também o mais frio do ano - entrou com sol, temperatura amena e cheiro de amor no ar.

Ultrapassado que está o primeiro mês do ano, um dos mais difíceis de 2022, de acordo com os entendidos na matéria, eis que entramos no mês mais curto do calendário sob a energia do apego ao passado. É melhor deixar que a própria conselheira espiritual deste blog, Isabel Soares dos Santos, te diga o que esperar dos próximos 28 dias.

Um dos meses mais desafiantes do ano já passou e devemos mesmo celebrar 🥳.

Entramos em fevereiro com uma maior leveza energética e com uma extraordinária janela de oportunidade: a partir do dia 5 de fevereiro não teremos planetas retrógrados até ao início de abril. É tempo de arregaçar as mangas e dar tudo pelos nossos objetivos.
 
O Tarot brindou-nos com a carta 'Agarrado ao passado' para nos relembrar de tudo o que ainda é necessário libertar… Não basta sonhar, é importante perceber o que ainda não nos permite realizar os nossos sonhos.
 
Será um mês de aprendermos a desapegar. Deixar ir de vez os pesos do passado que não nos permitem ainda ser felizes.
 
💕 Aconselho-te vivamente a veres este vídeo para compreenderes um pouco melhor estas previsões.
 
Desejo do fundo do meu coração que consigas desapegar e viver mais em amor. Que o teu fevereiro seja repleto de amor divino, saúde, abundância e sabedoria interior!
 
Abraço de amor,
Isabel 💗

Quanto a mim, só me resta reforçar estas últimas palavras e torcer para que fevereiro nos seja amoroso, em todos os sentidos. Estarei de volta na sexta-feira, até lá deixo-te com aquele abraço amigo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pág. 2/2



Mais sobre mim

foto do autor


Melhor Blog 2020 Sexo e Diário Íntimo


Melhor Blog 2019 Sexo e Diário Íntimo


Melhor Blog 2018 Sexualidade





Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2022
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2021
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2020
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2019
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2018
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2017
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2016
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2015
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D