Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Crónicas, contos e confissões de uma solteira gira e bem resolvida que não cumpriu o papel para o qual foi formatada: casar e procriar. Caso para cortar os pulsos ou dar pulos de alegria? Provavelmente, nem uma coisa nem outra!


26
Fev21

Cartaz_Live 5.jpgOra viva! ✌️ 

E cá estamos nós a braços com mais uma sexta-feira, em tudo igual às últimas seis, confinados e seguros. Como já é ritual, amanhã é dia de live, à hora de sempre, no sítio do costume. Esta quinta sessão do ciclo 'Saturday Single Spot' irá analisar as técnicas de engate online, mais precisamente, aquelas que garantem sucesso na procura de companhia amorosa.

A coprotagonizar este direto estará Carlos Castanheira, o puto-sensação da última live, o qual "recrutei" na hora, tamanho o impacto da sua performance. Solteiro e bom rapaz, adepto de amizades coloridas e cliente assíduo das aplicações de encontro, ele vai dar a conhecer a perspetiva masculina do assunto, enquanto que esta solteira aqui, igualmente à vontade com as mesmas, vai complementar a coisa com um olhar feminino.

As soluções tecnológicas para encontrar um par romântico nunca estiveram tão em voga como no último ano. Numa altura em que a vida amorosa dos desemparelhados encontra-se praticamente moribunda, é no online que estes depositam a derradeira esperança. Ainda que sem viabilidade de contacto físico, ou mesmo de convívio social, é preciso garantir que as investidas deem os frutos desejados e que o tempo despendido a fazer "swipe" resulte em algo concreto e não apenas frustração. Ciente de que muitos são aqueles que precisam de orientação para cativar com sucesso a atenção, e o interesse, de pretendentes, nesta live vamos apontar dicas e sugestões para ter sucesso no engate online. 

Não percas, que a noite promete emoção, revelação, elucidação e boa disposição. Amanhã, às 22 horas, no meu perfil do Instagram. Até lá, deixo-te com um abraço amigo e votos de um bom fim de semana.

Autoria e outros dados (tags, etc)

african-4333276_1920.jpgOra viva!

Esta crónica é inspirada num texto da Riley Cooper, publicado no thepowerofsilence, em que ela garante que não tem medo de estar sozinha, mas sim de estar numa relação unilateral. Por ter-me identificado com a sua visão do celibato, achei por bem trazer o assunto à baila, na esperança de lançar um novo olhar sobre a solteirice no feminino.

É sabido que muitas são aquelas que escolhem estar numa relação unilateral, na qual são as únicas a investir. Para essas mulheres o medo da solidão amorosa fala mais alto do que o amor-próprio e a dignidade emocional. Erroneamente, acreditam que a solteirice é sinónimo de solidão e infelicidade. Não poderiam estar mais desfasadas da realidade. O que elas precisam aprender (ou recordar) é que pior do que estar desemparelhada é estar numa relação de estéril, em que sequer são correspondidas, respeitadas ou valorizadas. Estar desemparelhada não deve assustar; o que deve assustar é estar numa relação de m*rda.

De acordo com Riley, o estar solteira fê-la mudar o modo como encara as relações amorosas, assim como a sua perspetiva de vida. Mais importante do que isso, fê-la explorar os recantos escondidos da sua alma e entender a importância da autoaceitação, do autocuidado e do amor próprio. Como tal, aponta sete argumentos:

1. Não ter medo de estar consigo própria, mas ter medo de estar com alguém que não a deixa ser ela mesma.

2. Não ter medo de passar o tempo sozinha, mas ter medo de passar o tempo em má companhia.

3. Não ter medo de dormir sozinha, mas ter medo de acordar ao lado de um estranho.

4. Não ter medo de cometer erros, mas ter medo de estar com a pessoa errada.

5. Não ter medo de fazer amor, mas ter medo de fazer amor sem sentir-se amada.

6. Não ter medo das conversas, mas ter medo de conversar com alguém que não a entenda.

7. Não ter medo de estar solteira, mas ter medo de estar com alguém que não está nem aí para ela.

Estar solteira, e em paz com essa condição, não é para todas, é certo. Muitas mulheres não se conhecem, nem gostam de si próprias, ao ponto de se sentirem confortáveis com a solitude. Para elas vale a máxima: "antes mal acompanhada do que só", mesmo que isso as faça sentir-se miseráveis. Suas vidas, suas escolhas, e por mais que lamente, há que saber respeitar que nem todas são como eu, uma solteira bem-resolvida, que, enquanto espera por um amor a que valha a pena entregar-se, vai desfrutando da sua condição amorosa com orgulho, dignidade e gratidão.

Aquele abraço amigo de sempre!

Autoria e outros dados (tags, etc)

22
Fev21

Porque temos um 'tipo'?

por Sara Sarowsky

black-and-white-2564387_1920.jpgOra viva! ✌️ 

Porque temos tendência a envolver-nos com o mesmo 'tipo' de pessoa, já te perguntaste? Eu já, daí que tenha ido em busca de uma resposta cabível. Para surpresa minha descobri que o motivo para que os nossos exs tenham caraterísticas semelhantes nada tem a ver com a noção de que temos um 'tipo', mas sim com uma questão de circunstâncias.

Pelo menos é o que garante um estudo conjunto das universidades da Califórnia, Texas e Utah, com base na análise de mais de mil casais heterossexuais. "Em princípio, os indivíduos poderiam formar relações românticas com um número vasto de pessoas. Contudo, apenas conhecem ou estão em contacto com um subconjunto dos seus pares - um subconjunto que historicamente foi circunscrito a partir de um contexto demográfico local específico", esclarecem os autores da investigação, originalmente publicada no Journal of Personality and Social Psychology, em março de 2017.

Essencialmente, acabamos por namorar sistematicamente parceiros com atributos e aspetos semelhantes, porque estes são os 'tipos' de pessoas que nos rodeiam - na escola, no trabalho ou em casa - e não porque estamos subconscientemente à procura deles. Quanto às semelhanças físicas das pessoas pelas quais sentimos atração, isso terá a ver com a nossa própria atratividade, uma vez que sentimo-nos atraídos por pessoas semelhantes a nós próprios e procuramos por esses predicados em cada novo parceiro.

Uma retrospetiva da minha vida amorosa é prova viva de que a probabilidade de termos antigos parceiros românticos com caraterísticas (físicas, religiosas, académicas e intelectuais) semelhantes é bastante comum. A não ser que resolvamos aventurar por mares nunca dantes navegados, a tendência de envolvimento com o mesmo tipo de pessoa será uma constante. Quanto a isso, os encontros online podem acrescentar alguma diversidade às nossas opções. Um dos autores do estudo, Paul Eastwick, considera que "com as plataformas de namoro online os indivíduos têm uma oportunidade de fazer uma escolha ativa acerca das pessoas que vão conhecer. Porém, a não ser que estejam numa fase experimental, o mais certo é que acabem num encontro com o mesmo 'tipo' de pessoa". 

Dá que pensar, não dá? Aquele abraço amigo de sempre!

Autoria e outros dados (tags, etc)

19
Fev21

Cartaz_Live 4.jpgOra viva!

Hoje é sexta-feira! Antigamente, esta frase seria procedida daquele estrondoso "yeah" que o Boss AC tão bem soube imortalizar. Contudo, nos dias que correm, a sua única particularidade é o facto de assinalar o término da jornada laboral semanal. De resto, é tão igual como os restantes, passado no confinamento domiciliar, essencial para conter esta pandemia, mas castradora do prazer que costumava ser o fim de semana.

Dado que de pouco adianta estar a "chover no molhado", como vaticina a sabedoria popular, vamos ao assunto que me trouxe aqui hoje. Como tem sido habitual ao longo das últimas semanas, este sábado ficará marcado por uma nova live no Instagram, que já não se chama @stillsingleblog, mas sim @sara_sarowsky. Porque mudar é preciso, sobretudo quando é para melhor, alterei o nome de perfil naquela rede social, mais não seja porque o antigo não permitia associar o perfil à persona por detrás das palavras, partilhas, imagens e vídeos.

Pegando num dos pontos mais acesos da live anterior, durante a qual a convidada Carmen Filipe assumiu ser uma adepta convicta deste tipo de relacionamento, e do qual sou opositora ferrenha, como deixou claro a argumentação tensa entre as duas, amanhã irei então analisar a amizade colorida, um tema muito em voga no atual panorama das relações amorosas. A blogger, traveler planner, assistente virtual, empreendedora e solteira Bia Dias será minha convidada, para juntas analisarmos os prós e contras da amizade colorida.

O que se entende por amizade colorida? É recomendável misturar amor com amizade ou sexo com amizade? Quais as vantagens de ter um amigo que também assume o papel de amante? O que acontece à amizade quando acaba o romance? O que é mais importante: a amizade ou o romance? O fim do romance implica necessariamente o fim da amizade? Estes são apenas alguns dos pontos que vamos abordar nesta quarta sessão do ciclo 'Saturday Single Spot'. Não percas, amanhã, no sítio do costume, à hora de sempre (22 horas).

Aquele abraço amigo de até amanhã!

Autoria e outros dados (tags, etc)

17
Fev21

success-1433400_1920.jpgOra viva!

Que tal falarmos sobre o sucesso, essa coisa tão ambicionada por (quase) todos os mortais, mas apenas alcançada por poucos? Ocorreu-me abordar este assunto após um desabafo que me fizeram esta manhã, assente na constatação, por parte de uma amiga minha, de que alguém muito próximo tinha-se afastado, ao que tudo indica, sem quê nem porquê.

Da leitura que fiz do quadro que me foi apresentado, é claro que o motivo do afastamento da segunda prende-se com o sucesso da primeira. Confusa? Passo a descodificar: enquanto que a primeira soma e segue rumo ao sucesso supremo, a segunda soma e segue ladeira abaixo. Assim, a segunda pessoa, que ainda vive com uma mentalidade de escassez, vê no sucesso da primeira o espelho invertido do seu próprio fracasso, daí que a constatação desse facto lhe seja demasiado duro, ao ponto de cortar os laços que as uniam, de modo a não acompanhar o sucesso da primeira, um lembrete constante do que poderia ter sido a sua vida se tivesse feito por isso.

É aqui que reside o cerne desta crónica. O sucesso raramente cai do céu, ele exige esforço, dedicação, empenho, perseverança, motivação, resiliência, trabalho duro e uma determinação inabalável. Requer ainda um investimento contínuo e uma manutenção constante. Recorrendo a uma frase mais mundana, garanto - por experiência própria e alheia - que o sucesso demanda sangue, suor e lágrimas. Sabemos nós bem que poucas são as pessoas dispostas a tal, daí que o sucesso não seja para todos nem todos sejam para o sucesso.

Até há bem pouco tempo, tudo o que acabei de expor não passariam de meras palavras, bonitas, é certo. Hoje, focada no sucesso e para ele trabalhando todo o santo dia, vejo o quão exigente é conseguir alcançá-lo e, mais ainda, mantê-lo. No outro dia, alguém comentou que sou uma famosa que tem um blog, o que não corresponde de todo à verdade. A minha fama é resultado do blog e não o blog que é resultado da fama. Não sou uma famosa que resolveu criar um blog, sou uma anónima que conquistou fama e sucesso por ter criado um blog. 

Com esta despeço-me com aquele abraço amigo de sempre!

Autoria e outros dados (tags, etc)

chair-2595311_1920.jpgOra viva!

Depois de um Banquete do Amor perfeito, que superou as melhores expectativas e do qual saí atacada por uma paixonite aguda à conta de um solteiro giraço, e livre para amar (será desta?), proponho para hoje um tema, não só pertinente em tempo de pandemia, como bastante relevante para quem celebrou a solo a efeméride de ontem, 14 de fevereiro.

Numa altura em que tanto se fala da solidão, agudizada pelo confinamento e pelo distanciamento social de que o planeta terra anda refém há quase um ano, um artigo da Revista Pazes, sobre oito caraterísticas comuns a pessoas que adoram estar sozinhas, afigura-se como um bom tópico de análise, daí que o tenha escolhido para tema desta crónica. Vamos lá então conhecer quais são estas tais caraterísticas.

1. Limites claros
Quem aprecia a própria companhia acredita que quem não reza pela mesma cartilha dificilmente terá algo de bom para oferecer, daí que coloque limites claros nas relações e não deixe que ninguém as ultrapasse.

2. Poucos amigos
Apesar de serem os melhores amigos que se possa desejar, possuem poucos, pois sabem ser seletivos e não precisam de receber demasiada atenção. Gostam de se fazer presente apenas quando existe real necessidade de afeto e companheirismo.

3. Novas aventuras
Por conta da sua mente aberta e curiosa, querem sempre inovar e abraçar novas aventuras, de modo a nutrir seu intelecto de coisas interessantes e de uma adrenalina saudável.

4. Autorreflexão
O gostar de estar sozinho dá-lhes uma grande vantagem quando precisam tomar decisões e passam por momentos de estress e pressão. A autorreflexão constante coloca-os em vantagem para fazer as melhores escolhas em benefício próprio e dos outros.

5. Conhecem-se muito bem
São pessoas incansáveis na busca do autoconhecimento, e por isso não se demoram em momentos de tristeza e depressão. Sabem quais os canais que devem ativar dentro de si mesmos para atingir um nível de equilíbrio e satisfação.

6. O tempo é precioso
Fazem do tempo o seu melhor amigo. Tanto como querem ter seu próprio tempo respeitado, respeitam o tempo dos outros. Não gostam que invadam seu espaço e que desperdicem o seu tempo com coisas inúteis e também não fazem isso com os outros.

7. Honestidade para consigo próprias
Têm plena consciência de que ninguém é perfeito, por isso não cobram perfeição de ninguém. Demonstram muita tolerância para com as falhas alheias, assim como tolerância zero para com os ignorantes.

8. Sensibilidade ao sentimento do mundo
A maioria dos solitários são empáticos, sensitivos ou até paranormais. Revelam maior capacidade de sentir que os outros sentem e conseguem perceber a falsidade alheia de longe. Por isso mesmo gostam da reclusão, uma forma de se preservarem.

Remato frisando que existem pessoas - e assumo-me como uma delas - que preterem a companhia dos outros em detrimento da sua própria. Para essas pessoas, os seus pensamentos e emoções são mais importantes, motivo pelo qual não são propensas a jogar conversa fora nem a contactos sociais frequentes. Comum, e erroneamente, vistas como solitárias e depressivas, elas na verdade gostam mesmo é de pensar e concentrar-se nas suas próprias vidas, aprofundando, assim o seu autoconhecimento e amor interior.

Por hoje é tudo. Despeço-me com aquele abraço amigo de sempre e desejos de um bom feriado de Carnaval, de preferência em casa, na segurança do confinamento, como recomendam as autoridades.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Cartaz_Live 3.jpgViva!

Só passei para lembrar que hoje é dia de live lá no Instagram, desta feita com o tema 'A vida sexual dos solteiros em tempo de pandemia'. Igualmente solteira, a minha convidada, a artista plástica Carmen Filipe, é daquelas que joga na mesma equipa que eu, ou seja, fala de sexo sem tabus e sem meios termos.

Como andará a vida sexual dos celibatários nos tempos que correm? Em que prateleira foi guardado o sexo 'au pair'? Como se estão a "desenrascar" os desemparelhados nestes tempos de distanciamento social? Até que ponto é possível aos solteiros manter uma vida sexual ativa no último ano? Haverá sexo para lá da quarentena? Estes são apenas alguns dos tópicos a serem abordados com a Carmencita, esta noite, a partir das 22 horas, em direto no @stillsingleblog.

Espero por ti!

Autoria e outros dados (tags, etc)

12
Fev21

Sem Medo

por Sara Sarowsky

No fear.jpgOra viva! ✌️ 

Estes dias têm sido uma loucura ainda maior do que o habitual. Para além de tudo o resto na minha já concorrida agenda, ando a braços com os preparativos do lançamento oficial do meu serviço de matching, o Love for You, que será este domingo, durante um jantar romântico (virtual), a que batizei de 'Banquete do Amor' e para o qual estás desde já convidada.

Se a isso acrescentar o recrutamento de convidadas para as lives do ciclo 'Saturday Single Spot', o jogging (às segundas, quartas e sextas), o trabalho por conta de outrém (de segunda a sexta, das 9 às 18), o voluntariado na AMCDP, o curso de tarot mediúnico (às quintas), a procura de casa (todo o santo dia) e as solicitações imprevistas, abençoo o facto de estar solteira, pois sei que de contrário não seria capaz de dar conta do recado.

O assunto que me trouxe aqui hoje foi a prosa com que concorri ao Prémio Literário Hernâni Cidade, promovido pela Câmara Municipal de Redondo, em outubro passado, e cujos resultado foram revelados esta semana. Dado que não fui um dos felizes contemplados, já me considero livre para dar-to a conhecer, mais não seja para não desperdiçar conteúdo inédito.

Sem Medo
Traiçoeiro, ardiloso e cobarde, ages pela calada, feito um inimigo inexorável.
Guloso, possessivo e compulsivo, nunca estás satisfeito, queres sempre mais.
Impiedoso, oportunista e calculista, alimentas-te da tua própria força, da minha própria fraqueza.
Invasivo, inconveniente e desleal, vais ceifando almas, mentes e corações, na tua eterna sede de poder.
Não te vejo, mas pressinto-te.
Não te toco, mas sinto-te.
Não te quero, mas tenho-te.
Não te desejo, mas possuis-me.
Estás comigo tantas vezes, há tanto tempo, que já és parte de mim.
Podes não desaparecer, contudo sigo adiante, levando-te comigo.
Limitas. Intimidas. Paralisas. Incapacitas. Vergas. Magoas. Corróis. Destróis.
És real, aceito-o.
Mas fica sabendo que eu não tenho MEDO de ti!

A minha primeira aventura nos concursos literários não teve o desfecho pretendido, mas fica a experiência e a vontade de voltar novamente à carga, da próxima vez com mais qualidade e profundidade. Peço-te, não sejas muito dura na crítica, lembra-te que sou novata nisto. 😉

Que o amor que anda no ar paire sobre o teu coração!

Autoria e outros dados (tags, etc)

naked-1123184_1920.jpgOra viva!

Circunstâncias adversas impelem-nos a adotar soluções menos convencionais, daí que aproveite este tempo de antena para anunciar que procuro um(a) sexólogo(a) para a próxima live do ciclo 'Saturday Single Spot', cujo tema será 'A vida sexual dos solteiros em tempo de pandemia'.

Tenho preferência por alguém sem papas na língua, capaz de abordar a questão numa perspetiva pragmática, direta e simplificada. Se for do outro lado do Atlântico, entenda-se Brasil, melhor ainda, pois tenho imensos seguidores lá.


Caso conheças alguém com o perfil mencionado, agradeço a indicação do meu email direto: aindasolteira@gmail.com.

Agradeço desde já a tua ajuda. Aquele abraço amigo!

Autoria e outros dados (tags, etc)

08
Fev21

boudoir-4669606_1920.jpgOra viva!

Em complemento ao tema abordado na live de sábado, 'Sexo sem amor ou amor sem sexo', e porque trata-se de um assunto que não se esgota, sem falar que nunca é demais lembrar, para hoje proponho analisarmos as vantagens da atividade sexual na saúde humana. É consensual que o sexo reúne a simpatia de (quase) todos, assim como é que, quando praticado com gosto e regularidade, traduz-se em inúmeros benefícios, cientificamente reconhecidos, os quais passo a citar:

Queima calorias
O sexo pode não ser tão eficaz quanto outras formas de exercício físico, mas certamente queima calorias. Um estudo da Universidade de Montreal garante que durante uma sessão de 30 minutos, os homens queimam uma média de 101 calorias, enquanto as mulheres 69.

Aumenta o sistema imunitário
Outro estudo, que reuniu uma série de estudantes que fizeram sexo pelo menos uma vez por semana, confirmou que estes tinham níveis mais altos de um anticorpo vital para combater as doenças. De facto, os níveis eram 30% mais altos do que naqueles que não tinham sexo algum.

Previne problemas cardíacos
De acordo com o National Health Service, qualquer atividade que exercite o coração é bom e isso inclui sexo. Mas os benefícios dependem de quão rigoroso se é ao praticar. Em média, o pico da frequência cardíaca durante o ato sexual é quase o mesmo que subir um lance de escadas.

Diminui o stress
Ainda que em qualquer das suas variantes ajude as pessoas a relaxar, uma pesquisa provou que o sexo com penetração ajuda as pessoas a lidar melhor com os níveis de stress.

Reduz o risco de cancro da próstata
As ejaculações frequentes parecem estar ligadas a uma diminuição do risco de cancro de próstata, garante um outro estudo.

Aumenta a sensação de bem-estar
De acordo com um estudo junto de três mil americanos, com idades entre 57 e 85 anos, as pessoas que faziam sexo classificaram sua saúde geral mais alta do que aquelas em abstinência sexual.

Reduz o risco de uma úlcera
Um casamento feliz pode influenciar, em homens, a redução do risco de angina (doença cardíaca) e úlceras no estômago, revela uma pesquisa.

Reduz a pressão arterial
Um estudo de 2003 apurou que os amantes de abraços, provavelmente, terão pressão arterial mais baixa e que casais que se abraçam e seguram as mãos acusam menos o stress.

Melhora a qualidade do sono
Através da libertação de oxitocina, que ajuda a que fiquemos mais sonolentos, o sexo tem um efeito positivo na qualidade do sono, algo fundamental ao bem-estar humano.

Faz com que os homens estejam mais contectados com as suas emoções
Uma pesquisa do Centro Médico da Universidade de Groningen registou um aumento do fluxo sanguíneo para a ínsula - uma área que está ligada ao processamento de emoções, dor e calor.

Ajuda a melhorar a memória
O sexo pode melhorar o desempenho humano em testes de memória a curto prazo, de acordo com um estudo de 2018.

Ajuda a reduzir os níveis de ansiedade
O sexo diminui o fluxo sanguíneo para a amígdala, a área do cérebro ligada a distúrbios de ansiedade.

O sexo liberta substâncias que aliviam a dor
Durante o sexo, as endorfinas - analgésicos naturais do corpo - inundam o corpo e o cérebro, aliviando qualquer tipo de desconforto. Para algumas pessoas, pode mesmo curar uma dor de cabeça.

Os benefícios do sexo não se esgotam na prevenção de doenças, menos ainda no prazer físico. Estes são capazes de melhorar substancialmente a nossa saúde e, por consequência, influenciar o nosso dia-a-dia de forma positiva. Motivo pelo qual o sexo seja remédio santo para todos os males, isento de receita e sem efeitos secundários indesejados.

Que o sexo seja presença constante na nossa vida e que nos livre de todas as doenças são os meus desejos. 
Aquele abraço amigo só nosso!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor


Melhor Blog 2020 Sexo e Diário Íntimo


Melhor Blog 2019 Sexo e Diário Íntimo


Melhor Blog 2018 Sexualidade





Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D