Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Crónicas, contos e confissões de uma solteira gira e bem resolvida que não cumpriu o papel para o qual foi formatada: casar e procriar. Caso para cortar os pulsos ou dar pulos de alegria? Provavelmente, nem uma coisa nem outra!


09
Jan20

new-years-day-4720210_960_720.jpg

Viva!

Este início de ano tem sido de tal modo turbulento, que só hoje consigo um break para te escrever. De forma resumida, porque o assunto desta crónica é suposto ser outro (vai depender da extensão deste preâmbulo), faço aqui um apanhado dos seus melhores momentos:

Regresso a Lisboa
A turbulência começou logo aí, quando perdi a viagem. Acredites ou não, o ticket continha informação desatualizada sobre o local de embarque. Ou seja, fui parar a um sítio quando o autocarro partiu de outro. Como se não bastasse ter passado uma noite ao relento, em França, em janeiro, vi-me obrigada a comprar uma nova viagem (pelo triplo do valor); isso se quisesse estar de volta a tempo de honrar compromissos assumidos. Para além do enorme desgaste financeiro, físico e emocional, aguarda-me uma exaustiva batalha jurídica com a empresa, a qual está a tentar, de forma indecente, eximir-se da culpa pelo sucedido. Aguarda pelo post onde descrevo detalhadamente (mais) este drama na minha vida.

Situação profissional
Como já aqui referi antes, o contrato de trabalho com a minha entidade empregadora terminava no final de 2019. Quando me propuseram renovar, nas mesmas condições, recusei; afinal porque iria querer continuar num emprego em que era a única do meu departamento que ganhava menos (bastante menos), tinha as piores funções, o pior horário e o vínculo mais precário? Como tinha férias marcadas para as duas últimas semanas do ano, fui à minha vidinha na firme convicção de que iniciaria 2020 sem emprego, mas absolutamente livre para me dedicar ao AS e aos demais projetos pessoais e profissionais que tenho vindo a adiar, precisamente por causa desse trabalho. Esta segunda-feira (6 de janeiro), para incredulidade minha, fiquei a saber que passei a efetiva, e com o mesmo horário que as restantes colegas. Para breve está o ajustamento do meu salário. E esta, hein?

Ano novo, casa nova?
Com este volte-face, que me apanhou de surpresa, os meus planos para este início de ano terão que se reajustar às atuais circunstâncias. E um dos ajustes prende-se com a moradia. Depois de ter ficado sem casa no início do ano passado (como te contei neste post), passei os últimos 12 meses da minha existência em situação de alojamento provisório, numa habitação aquém das condições desejáveis no que ao conforto e à dignidade dizem respeito. À luz desta minha nova realidade laboral, a mudança de residência torna-se, portanto, inadiável. Assim, tenho estado a correr atrás de uma casa nova, no centro de Lisboa, cuja renda seja compatível com o meu salário. Como deves imaginar, será uma missão quase impossível, da qual espero sair vitoriosa.

Outro projeto literário
Há mais de um ano que tenho vindo a alinhavar um projeto literário, desta vez a solo, à volta da cultura cabo-verdiana. À custa da falta de tempo (e de empenho, confesso), os meses foram passando, sem que eu conseguisse dar-lhe corpo. Ao que tudo indica, ele nascerá este ano, provavelmente no segundo semestre. O projeto já foi "comprado" por uma editora, pelo que agora não tenho como não fazer para torná-lo realidade. Árdua tarefa se avizinha: muito trabalho de campo, imensa recolha de informação, inúmeras portas para bater, enorme pedra para lapidar, vários negas para ouvir e tudo o mais. Ou seja, uma grande quantidade de sangue, suor e lágrimas terei eu que dispender nos próximos meses. Só mesmo a antevisão da tal luz ao fundo do túnel para me ajudar a preservar a fé, o foco e a motivação necessários para levar a cabo tal desafio. Toda vez que se justificar (que o segredo continua a ser a chave do sucesso), far te ei um ponto da situação sobre este assunto.

Vida social reabilitada
Assumidamente comprometida com Os meus votos para 2020, sobretudo aqueles que dizem respeito à interação com outros humanoides, o ano começa com uma agitada na minha há muito moribunda agenda social. Este sábado, para além de marcar presença num evento literário, vou ao jantar do tal Grupo Livres para Amar, do qual te falei há uns mesitos. Vamos ver no que vai dar.

Como temia, já não tenho mais "tempo de antena" para abordar o tema que tinha definido para hoje: dicas para atrair sorte, prosperidade e abundância. Fica para a próxima. Um abraço amigo e continuação de bom ano.

Estamos juntos!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Mais sobre mim

foto do autor


Melhor Blog 2020 Sexo e Diário Íntimo


Melhor Blog 2019 Sexo e Diário Íntimo


Melhor Blog 2018 Sexualidade





Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D