Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Crónicas e confissões de uma rapariga gira e bem resolvida, na casa dos 30, que (ainda) não cumpriu o papel para a qual foi formatada: casar e procriar. Caso para cortar os pulsos ou dar graças? Talvez nem uma coisa nem outra!


IMG_2470.JPG

 

Ontem, estando esta single lady aqui em pleno modo curtir o domingo de chuva apenas na companhia do sofá, cobertor, televisão, pipocas e vinho, eis que entra na minha inbox do SL esta mensagem, muito peculiar, logo digna de ser partilhada:

"Vou procurar ser o mais sincero, se não disser algo importante foi porque me esqueci e sente-te à vontade para perguntar.
Procuro emoção, aventura, sexo, o prazer dos dois corpos unidos, o sentir de um olhar, procuro o suor depois de te penetrar, o sentir o teu corpo a entrar em mim, quero dar prazer, sentir-te a gemer, sentir-te a querer, quero ver-te a desejar, uma mensagem, um telefonema, um encontro, procuro a cumplicidade, quero ouvir-te se quiseres falar, aconselhar se me deixares, acima de tudo, quero viver a vida, com cumplicidade, loucura, mas também ternura, achas que somos capazes disso?
Não sou o homem perfeito, alto, lindo de morrer, mas posso tentar ser o que possas desejar, tentarei o meu melhor, não sintas que podias ter tentado e não tentaste, vamos tentar, a seguir, logo se vê...
Beijinhos"

 

O que se responde a isso? Primeiro pensei em ignorar, como faço a maior parte das vezes, mas perante o imperativo do título da missiva, "Vamos ver se tens coragem de responder...", e dado que não sou mulher de dar as costas a um desafio desta natureza, não resisti e lá dei feedback ao dito fulano, de nickname dreamthinker. Só não sei se foi a aquela que ele esperava, mas isso já não é assunto meu. A mim ele apenas cobrou uma resposta, sem nunca ter referido que esta tinha que ser positiva .

 

Antes de revelar o que escrevi, convém referir que o perfil do indivíduo apenas fazia referência aos seus 32 anos de idade e à residência em Lisboa. Nada mais: nada de fotografias, nada de estado civil, nada de altura, nada de peso, nada de escolaridade, nada de hobbies (elementos fundamentais para traçar o retrato físico da pessoa e decidir se este é ou não um pretendente elegível).

 

Uma vez decidido que não iria deixá-lo a falar para as paredes, melhor dizendo para o ecrã do seu dispositivo móvel, afinal há que reconhecer-lhe o mérito do discurso todo trabalhado na extensão e fruto de um copy-paste (aposto que sim), respondi-lhe nos seguintes termos:

"Caro dreamthinker, aprecio e agradeço o seu interesse pela minha pessoa, mas digo-lhe que está a perder o seu tempo comigo. Remetendo ao que escreveu, o que quero mesmo é um homem perfeito, alto e lindo de morrer. Já que se trata de dar o corpo ao manifesto apenas para bons momentos, que seja com alguém digno de uma história de encantar. Desejo-lhe boa sorte na sua procura e faço votos para que encontre logo aquela que saberá apreciar os seus encantos, que reconheço serem notáveis. Fique bem e tudo de bom."

 

Preciso dizer que o fulano não voltou a dar sinais de vida?

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D