Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Crónicas e confissões de uma rapariga gira e bem resolvida, na casa dos 30, que (ainda) não cumpriu o papel para a qual foi formatada: casar e procriar. Caso para cortar os pulsos ou dar graças? Talvez nem uma coisa nem outra!

 

19954521_ys6IW.jpeg

Ora viva!

 

Há exatamente um ano, escrevia eu sobre a carência de beijos gostosos nos dias que correm. Por considerar que este é um assunto sempre atual e tão caro, principalmente aos que estão no mercado, partilho contigo a versão reeditada do artigo Mais e melhores beijos, sff, pubicado no dia 6 de outubro de 2016.

 

Para mim, o beijo é um tema que nunca se esgota, mais não seja porque é-me deveras deleitante, para não dizer sublime. Não tenho qualquer problema em assumir que valorizo muito mais o beijo do que o que (geralmente) lhe costuma suceder. Quando se beija só por beijar, sem segundas ou terceiras intenções, aí sim é o êxtase total. Só lamento que tantas pessoas desconheçam ou subestimem a sua importância, em detrimento de um contacto físico mais íntimo (sexo).

 

Por considerar que nós as discípulas de Vénus somos merecedoras de mais e melhores beijos, esta crónica versa sobre três curiosidades inerentes a este ato:

 

1. Estatísticas apontam que 53 por cento das mulheres preferem beijar um homem que tenha a barba feita. Cá para mim isto justifica-se pelo facto de que uma pele lisinha ser muito mais afrodisíaca e apelativa ao toque. Para que não restem dúvidas, digo que a nossa posição em relação a pelos faciais é a mesma que a dos homens em relação à depilação na zona púbica. Capice?

 

2. Para além da boca, o sítio onde mais gostamos de ser beijadas é o pescoço. Eu pessoalmente adoro no canto da boca e na parte de dentro dos cotovelos. O curioso é que apenas 10 por cento dos homens gosta de sentir os lábios nessa parte do corpo. Eu cá sei onde gostam eles de sentir os lábios... tu também sabes, não te faças de desentendida!

 

3. As principais queixas femininas em relação aos beijos deles é por não variarem muito. Mais parecem autómatos, porque não dizer, robots. Já nem falo daqueles beijos ansiosos, fugazes e destituídos de qualquer carga de entusiasmo. Tão focados em chegar ao destino do que propriamente em apreciar a viagem, eles acabam por descurar este importante gesto de amor, afeto, atração e tesão. Rapazes, vejam a coisa desta forma: uma mulher bem beijada é mais do que caminho andado para uma boa performance sexual. Ainda há dias, aqui disse que uma mulher satisfeita, é adoravelmente generosa na hora de retribuir. Ai não?

 

Moral da estória: queremos beijos demorados, voluptuosos, apaixonados, húmidos. Essencialmente, sentidos. Onde e como for, o importante é que quem os dê seja criativo, ousado e empenhado.

Autoria e outros dados (tags, etc)

14021485_10210385931951682_5237131926236494182_n.j

Ora viva!
 
Feito o match, é hora de rever a matéria dada no que toca à sedução/manutenção do interesse dele pela nossa pessoa. Comecemos então por lembrar que a conquista, estejamos a falar de namoro, casamento ou um mero flirt, é apenas a primeira etapa de algo que pode (ou não) evoluir para compromisso. É precisamente aqui que o poder de cativar alguém faz toda a diferença.
 
Por natureza, o sexo oposto – mais conhecido por espécie masculina que todas as mulheres gostariam de decifrar – é bem menos expressivo no que toca a sentimentos, sobretudo no início da relação. Quantas de nós não viveu aquele momento em que doaria um rim, sem sequer pestanejar, se isso lhe permitisse ler a mente, o coração e, porque não, a alma do "seu" gajo?
 
No intuito de nos ajudar a melhor entender os sentimentos masculinos, especialmente o que mais lhes toca o coração, o site Your Tango revelou oito coisas relacionadas com as mulheres que os homens secretamente adoram, mas não partilham porque gostam de apreciar calados e no seu íntimo:
 
1. Pousas a cabeça no peito dele
Este tipo de intimidade, sobejamente apreciado por ambos os sexos, além de revelar o quão segura te sentes com ele, vai despertar o seu lado protetor.
 
2. Mandas mensagem primeiro
Pode até não parecer, mas terem de ser os primeiros a dizer alguma coisa à mulher representa uma enorme pressão para os homens. Além do medo de serem rejeitados, não sabem bem o que dizer. Por isso é um alívio para eles quando somos nós a tomar a iniciativa.
 
3. Verbalizas o quanto o estimas
Ainda que ele consiga decifrar as tuas emoções, nada como dizer por a+b o quanto gostas dele e aprecias o esforço que ele faz por ti e pela vossa relação. Declarações de afeto é algo que lhes toca fundo, por mais que não demonstrem.
 
4. Brincas com o cabelo dele enquanto ele conduz
Outro gesto que costuma deixá-los derretidos. Desde que não o distraias, ele vai recompensar-te com um belo sorriso.
 
5. Falas bem dele em público
Quem não gosta de ser elogiado, ainda para mais em público? Se não estiver à espera, então... Tem é cuidado para não exagerares na dose, já que corres o risco de parecer lamechas, acabando por deixá-lo embaraçado.
 
6. Escutas o que ele diz
Ouvir para compreender (e não para responder) é uma caraterística crucial em qualquer tipo de relação. Por isso dar-lhe atenção total enquanto ele fala é a melhor prova do quanto te importas com ele e com aquilo que ele partilha contigo.
 
7. Mandas mensagens quando sais com os teus amigos
Perceber que pensas nele mesmo estando com os teus amigos, vai deixá-lo feliz, orgulhoso e seguro do teu afeto por ele.
 
8. És afetuosa do nada
Pequenos gestos de carinho, como dar-lhe a mão, fazer-lhe uma festinha na cara ou beijá-lo de leve quando ele menos espera, contam muitos pontos na apreciação dele e na forma como te vê enquanto companheira.
 
Por mais fechados que sejam, esta crónica mostra que, afinal, não é assim tão difícil cativar os homens. O desafio é encontrar um exemplar merecedor destes passos. E mais não digo! 

Autoria e outros dados (tags, etc)

06
Out16

promo252032111.jpg

Para mim, o beijo é um tema que nunca se esgota, mais não seja porque é-me algo muito prazeroso, para não dizer a melhor coisa do mundo. Não tenho qualquer problema em assumir que valorizo bem mais o beijo do que o que (geralmente) lhe costuma suceder. Quando se beija só por beijar, sem outra finalidade, aí sim é o prazer sublime. Só lamento que tantas pessoas desconheçam ou subestimam a sua importância, em detrimento de um contacto físico mais íntimo (sexo).

 

Por aspirar voltar a sentir o gosto de um beijo comme il faut e por considerar que os homens que passaram, ou hão de passar, pela minha vida precisam estar por dentro do verdadeiro poder de um beijo, o artigo de hoje versa sobre três curiosidades sobre este gesto de amor.

 

1. De acordo com as estatísticas, 53 por cento das mulheres preferem beijar um homem que tenha a barba feita. Cá para mim isto justifica-se pelo facto de que uma pele lisinha ser muito mais afrodisíaca. Para que não restem dúvidas, digo que a nossa posição em relação a pelos faciais é a mesma que a dos homens em relação à depilação na zona púbica. Fui clara?

 

2. Para além da boca, o sítio onde mais gostamos de ser beijadas é o pescoço. Eu pessoalmente adoro no canto da boca e na parte de dentro dos cotovelos - fico hum... O curioso é que apenas 10 por cento dos homens gosta de sentir os lábios nessa parte do corpo. Eu cá sei onde gostam eles de sentir os lábios... tu também sabes, não te faças de desentendida!

 

3. As nossas principais queixas em relação aos homens no que ao beijo toca é que por não variarem muito. Mais parecem autómatos - para não dizer robots -, sem falar nos beijos repetitivos e destituídos de qualquer carga de entusiasmo. Tão focados em chegar ao destino do que propriamente em apreciar a viagem, eles acabam por descurar este importante gesto de amor, afeto, atração e tesão. Rapazes, vejam a coisa desta forma: uma mulher bem beijada é mais do que caminho andado para uma boa performance sexual. Por estar feliz e satisfeita, ela vai caprichar na hora de retribuir. E como...

 

Queremos vários beijos longos, apaixonados, húmidos e sobretudo sentido, seja onde for: no pescoço, nas orelhas, chupões (com moderação), mordidelas, lambidelas… o que importa é serem criativos, ousados e dedicados.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Unmasking-Prince-Charming.-Melbourne-Fringe.jpg

Para hoje um reprise de um artigo publicado há uns mesitos sobre uma nova espécie de sedutores: Cinderfella.

 

Afinal alguém tratou de dar um nome àquele tipo de gajo que está desesperado por trocar calores e ansioso pelo O (de orgasmo) com que me deparo praticamente todos dias na rede (sim, por cá continuo, afinal enquanto há vida, há esperança) e na vida real. Nessa então... é o que mais há.

 

Segundo Michelle Martin, bloger do Huffington Post e inventora do conceito, estes tipos nada mais são do que "Cinderfellas", isto é "homens que se sentem desesperados por uma relação emocional e física íntima. Querem paixão! Querem fogo-de-artifício! Querem sentir-se vivos! Querem ser retirados de uma vida solitária. E querem isto tudo logo no segundo ou no terceiro encontro", considera Martin.

 

De acordo com esta, o Cinderfella é atraente, romântico e carinhoso, mas é também carente e obsessivo. Não gosta de conflitos, mas adora situações dramáticas. A autora diz mesmo que, na maioria dos casos, são homens que se divorciaram recentemente.

 

Por experiência própria, e acredito que a maior parte das fêmeas que preencham os requisitos mínimos de beleza e sex apeal também, subscrevo totalmente esta teoria da Martin. O que não me falta é estórias de gajos que querem passar, em modo via verde (ou seja, sem pagar portagem nem fila de espera), do "olá como te chamas" para o finalmente.

 

Afinal, no auto (sim, auto!) da sua deficiência emocional, a corte é pura perda de tempo, portanto bora lá dar o corpo ao manifesto, sem muita fita, paleio, expectativas ou promessas de sentimentos mais profundos que a tesão. O que importa aqui é despejar os colhões, de preferência a custo zero: zero sentimento, zero despesa, zero compromisso, zero fidelidade, zero relação, zero apego.

 

O que lhes salva a vida, o ego e os colhões, é que para cada Cinderfella há sempre uma fulana qualquer disposta a aderir às suas causas. Generosas elas, liberais, desapegadas e muito (mal) resolvidas. Tudo que esta solteira aqui não é. Nem pretende ser.

 

Felizes daqueles que não complicam e se contentam com aquilo que lhes aparece à frente. Quando pouco se espera da vida, pouco dela se recebe!

Autoria e outros dados (tags, etc)

07
Set16

desktop-img3.st.jpg

Para quem está de fora, um dos principais motivos porque permanecemos solteiros prende-se com a ineficácia do nosso poder de atração. Pelo menos é que ouço over and over again. "Tens que aprender a atrair o tipo certo de homem e não esses losers da vida – com isso entende-se fracassados, traumatizados, indisponíveis, mimados, imaturos, tarados, promíscuos ou mulherengos – que não te levam a lado nenhum".

 

Nesta ótica, a culpa morre no lado de quem está só, ou seja, o problema está em mim e não nos gajos que cruzam o meu caminho ou simplesmente no azar, que este tem sempre uma palavra a dizer em tudo que nos acontece. A ser assim, cabe-me a mim resolver o assunto. E a solução mais óbvia e imediata para me dar bem no amor, pelo menos na opinião daqueles que não se cansam de dar bitaites na minha vida, parece residir na sedução. Como é que nunca pensei nisso antes?

 

É precisamente sobre a sedução que versa o artigo de hoje, mais concretamente sobre as razões - empíricas e não sensoriais - que nos fazem atrair ou ficar atraídos por alguém. Razões essas que vão para além da aparência física. Pelo menos é isso que defende um estudo publicado no jornal PNAS, que atesta que nos sentimos atraídos por pessoas cujas emoções podemos facilmente entender, o que pode ser explicado, em parte, devido à correspondência do circuito neurobiológico.

 

Silke Anders, professor de neurociência afetiva da Universidade de Lubeck e coordenador da pesquisa, considera essencial que uma pessoa consiga "entender as intenções e motivações do outro, antecipar as suas reações e adaptar o seu próprio comportamento em conformidade com isso." "Se os sinais emocionais enviados por uma pessoa forem corretamente processados pelo cérebro da outra, então o sistema de recompensa da segunda dispara e vai fazer com que ela se sinta atraída pela primeira", remata o investigador.

 

Trocado por miúdos: quem quer ter (mais) sucesso nas performances sentimentais deve esquecer o "ser-se misterioso" e mostrar as emoções o mais claramente possível. Ora aí está o que não me canso de apregoar: pessoal deixem-se de joguinhos e expressem claramente os vossos sentimentos ou intenções.

 

A meu ver, ninguém com mais de 20 e em plena faculdade das suas capacidades cognitivas, consegue encontrar disposição ou paciência para infantis e inúteis esquemas mentais, de que muitos insistem em deitar mão. Pessoalmente, ao invés de estimularem e intensificarem o meu interesse, cansam-me de morte e fazem-me perder logo o encanto. Homem com H maiúsculo deve saber o que e quem quer e manifestar as suas intenções (sejam elas boas ou más) de forma sincera e inequívoca. 

 

Assim, se houver mutch da outra parte, teremos ação. Caso contrário, next toooooo, que este planeta é habitado por bilhões de corações.

Autoria e outros dados (tags, etc)

21
Jul16

abde4290d.jpg

Já aqui tinha falado sobre a autora e mediadora de casal Margarida Vieitez, aquando do artigo 10 obstáculos que te afastam do amor. Hoje volto a citá-la, a propósito do seu livro O Melhor da Vida Começa aos 40, uma espécie de manual de sobrevivência para quem está (ou pretende estar) no mercado das relações amorosas.

 

A revista Activa esteve à conversa com ela e deixou-nos algumas instruções para sermos bem-sucedidas na arte da sedução:

1. Arrumar a casa antes de receber visitas

Após o término de uma relação, e antes de partires para outra, é importante fazeres um trabalho interior de reflexão, mais não seja para não voltares a passar pelo mesmo. É por isso que esta profissional recomenda que não devemos voltar imediatamente ao 'mercado', já que há um luto a fazer da relação anterior. É preciso arquivar os sentimentos, arrumar as ideias, apaziguar o coração e estar aberta a um novo amor, antes de se partir à conquista.

 

2. É na rua que a vida acontece (e não em casa)

Com isso quero dizer que é preciso conhecer pessoas novas ou voltar a conviver com antigas. Sair à noite costuma ser a primeira aposta. A volta à discoteca - local de engate por excelência - pode ser um bom ponto de partida. O que não faltam por aí são opções, há discotecas para todos os gostos. O importante é que te escolhas aquela(s) onde te sintas à vontade e a ela(s) te fidelizes. A não ser que sejas uma destemida como eu, que sai sozinha para a night, convém ir com uma amiga ou com um grupo de amigos.

 

3. Convém estar a par das regras do 'jogo'

Uma vez na night, o que fazer? Antes de mais, observa o que se passa à tua volta. Presta atenção ao ambiente e ao tipo de gajos que abordam (ou não) as raparigas. Já se sabe que eles primeiro olham, depois voltam a olhar, para, no fim, abordarem (se sentirem que estamos recetivas). A experiência mostra que mais para o final da noite muitos começam a demonstrar ansiedade (até mesmo desespero), porque há quem esteja efetivamente à caça e não queira voltar para casa desacompanhado. "À medida que a noite avança nota-se a sedução – e a ansiedade – a subirem de nível", observa Vieitez.

 

4. O sexo deve ser a consequência e não a causa

O mistério continua a ser um fator crítico de sucesso em matéria de sedução. "Eu defendo que não deve haver sexo no primeiro encontro. Aconselho vivamente as mulheres: quanto mais tempo demorar a haver intimidade, mais sólida a relação. Claro que não há um número de encontros específicos, mas façam durar", recomenda. Ou seja, recuperem a arte de namorar à moda antiga: vão ao cinema, passeiem, beijem, façam programas juntos, conheçam-se, e aí avancem. "Claro que as hormonas e os 40 anos não ajudam: temos aquela sensação de que já não há tempo a perder. Mas quando a intimidade é imediata, o que eu noto é que geralmente as pessoas deixam de se ver. É como se o sexo impedisse a intimidade emocional. E os homens ainda pensam muito em termos de 'está conquistada, vamos a outra'. Por isso eu acho que continua a fazer sentido o fazer-se difícil."

 

5. Há que estar preparada para todo o tipo de camafeus

Economiza nas expectativas, ou seja, não esperes muitos deles... Se nós estamos carentes, eles estão inseguros. "Não sabem conquistar uma mulher, não sabem o que dizer, nem como comportar-se." E não te esqueças que a nossa independência assusta-os, e muito. Assusta-os sobretudo que não precisemos deles. Sem falar que, de facto, não nos percebem. Por não conseguirem atinar com o que queremos ou esperamos deles, sentem-se muito perdidos.

 

6. Príncipes Encantados só mesmo para algumas sortudas (e para as princesas da Disney, claro!)

O ideal da alma gémea, que nos é imputado desde a mais tenra idade, é um pau de dois bicos que filtra tanto que no fim pode não sobrar nada. Isto é, tudo o que não se encaixe nesse padrão não serve. "Por outro lado, estamos muito egoístas, muito virados para nós próprios, qualquer contrariedade nos afasta (o tal amor líquido de que falei no post anterior). E depois de uma certa idade já não estamos para aturar uma data de coisas. "Já não queremos lidar com controlo, ciúme, conflitos. Isso é bom. Mas também temos de ser tolerantes. Não temos de encontrar a alma gémea. Temos de perceber se conseguimos formar uma equipa com aquela pessoa, se existe um projeto de vida em comum, interesses convergentes, se aquela pessoa nos faz feliz e se contribui para a nossa felicidade."

 

7. Quem quer pescar tem que usar a rede

O passo seguinte é navegar pela rede. Facebook, Tinder, OkCupid, Snapchat, Instagram, são só alguns exemplos das opções ao teu dispor, pelo que é só escolheres. Após o primeiro contacto é começar a falar. E aqui basta uma frase ou duas para uma mulher perceber com o que conta. "A frase típica de todos eles é: 'Vamos tomar um café' (risos). "Que falta de imaginação, os homens precisam de melhorar as suas técnicas de sedução e abordagem, porque as mulheres estão sedentas de algo diferente!"

 

8. A intuição feminina não falha

Quando frente a frente, a tomar o tal cafezinho, se notares que há coisas que te deixam com urticária nos primeiros minutos, nexxxxxt to, que não vale a pena. Há comportamentos que nos mostram logo que estamos a perder o nosso tempo. O exemplo mais flagrante é ele não largar o telelé por nada deste mundo, seja para mandar sms, atender chamadas ou navegar na rede. Claro que isto pode ser insegurança e nervosismo. Quero lá saber. Para mim é, acima de tudo, sinal de falta de interesse, saber estar e educação. "Há coisas que não se dizem num primeiro encontro. Não se fala sem parar de si próprio. Não se fala das ex-namoradas. Não se conta a vida toda", alerta Vieitez.

 

9. Convém perceber se estão sintonizados

"As mulheres têm de estar atentas aos sinais que indicam aquilo que os homens querem, em vez de entrarem em negação. E não devem esperar que eles as esclareçam, porque eles não esclarecem." Então, se ele não esclarece como é que eu sei? "Tem de perceber pela conversa. Perceber como ele se dá com os pais, por exemplo, que é fundamental. Má relação, falta de afeto, distanciamento, conflitos? Temos ali um homem problemático. Depois falar sobre as relações anteriores, tentando perceber que homem está ali." Há muitos homens casados na noite. Há pessoas casadas, ou malcasadas, ou em relações, que estão ali simplesmente para engatar. E inclusive, se conhecem alguém, continuam a investir nas duas relações ao mesmo tempo.

 

10. Homem funciona assim: "se grudas ele chuta, se chutas ele gruda!"

Por melhor que tenha corrido o primeiro encontro, encara a coisa com leveza e sem grandes expectativas nem ilusões. Vai aproveitando o momento, um dia de cada vez. "As mulheres pensam logo 'que bom, arranjei namorado!' e desatam a pôr fotos dos dois juntinhos no Facebook. Relaxem, conheçam-se, deixem rolar. Não stressem, não forcem, não queimem etapas." Ele manda-te um sms? Não respondas logo. Ele envia-te um smile? Não mandes dez de volta. Eles têm de sentir que estão a conquistar, senão perdem o interesse." Ó céus! Isto não é um bocado pré-histórico? "Continua a ser assim. Elas não devem estar logo disponíveis. Tornem-se difíceis... Não, não facilitem muito. Alimentem, mas em minidoses."

 

Depois disso, só me resta desejar-te (a ti e sobretudo a mim) boa sedução.

Autoria e outros dados (tags, etc)

bigstock-Couple-Relaxing-In-Bed-Wearing-46447144.j

 

A edição norte-americana da revista Cosmo aponta sete situações que fazem um homem ficar cada vez mais apaixonado pela mulher com quem andam. Caso estejas numa relação, quem sabe este artigo não te ajuda a fazer um ponto da situação do quanto andas a caprichar na sedução.

 

7 coisas que deixam um homem mais apaixonado

Quando o fazes rir
A boa disposição é contagiante e todos os homens gostam de mulheres bem dispostas e com humor, que saibam desfrutar dos momentos com algumas gargalhadas.

 
Quando adormeces no colo dele
Planearam assistir a uma maratona de filmes em tua casa, mas estás muito cansada e adormeces no colo dele. Ele adora essa intimidade, é uma maneira de se sentir mais perto de ti.


Acordar lado a lado
Despertar colado a ti tem um significado muito especial para ele. É sinal de que leva a vossa relação a sério e que podem passar ótimos momentos juntos.


Quando passam o dia na cama pela primeira vez
24 horas dedicadas só a ti. Tomam o pequeno almoço, conversam sobre os vossos planos, vêm filmes atrás de filmes e ainda trocam muitos mimos.


Quando ele fica sem te ver
Às vezes um tempo separados é importante para perceberem se querem estar mais tempo juntos, ou não. Sentir falta também faz parte do amor.


Quando sente apoio
Ter-te por perto nos bons e nos maus momentos é muito importante para ele. Dá-lhe segurança, e sabe que pode contar contigo em qualquer momento da sua vida.


Quando têm bom sexo
Ele gosta de te ver ter prazer, o gostar de ti significa isso mesmo, também pensar em ti. Essa conexão só vos irá unir, ainda mais.

 

Meu bem, depois do que acabaste de ler, assumes-te como sedutora ou desleixada?

Autoria e outros dados (tags, etc)

COMO-A~1.JPG

 

É certo e sabido que a atitude é a forma mais eficaz e impactante de nos darmos a conhecer sem necessidade alguma de abrirmos a boca. Até a ciência já reconhece como a linguagem corporal é importante e como uma simples postura segura e autoconfiante pode ser fundamental para cativar a atenção de outra pessoa.
 
De acordo com o Mind Body Green, na hora de seduzir e de ficar na memória de alguém, não há nada mais eficaz do que seguir estes três simples passos:
 
1. Deixar bem claro que manda na própria vida amorosa
De acordo com este site, as mulheres que se mostram desapegadas e que não revelam qualquer tipo de dependência dos afetos dos parceiros são as que mais atarem, já que não exercem algum tipo pressão na relação (e na cara-metade).
 
2. Cortar laços com facilidade
As mulheres tornam-se mais atraentes quando se mostram capazes de acabar com um compromisso sempre que acontecem situações e comportamentos inaceitáveis. Um homem aprecie e respeita quando a mulher o põe no seu devido lugar.
 
3. Respeitar preferências
Uma mulher que segue as suas ideias, que defende os seus pontos de vista e que se mantém fiel aos seus hábitos sem, por isso, obrigar a cara-metade a seguir à risca o mesmo caminho é mais atraente do que aquela que faz de tudo para moldar o companheiro, transformando-o numa versão masculina sua.
 
O mundo está bastante precisado de mais mulheres atraentes do que propriamente bonitas. A impressão que tenho é que, cada vez mais, se investe na embalagem e menos no conteúdo. E quando os homens deparam-se com alguém com um conteúdo precioso, não sabem muito bem o que fazer com este. Ou sentem-se intimidados, complexados ou entediados, já que sabem que esse tipo de mulheres não é de se deixar cair facilmente na lábia de um malandro qualquer da vida.
 
E tenho dito! Por hoje é tudo, mas amanhã volto com mais.

Autoria e outros dados (tags, etc)

vinho-tinto.jpg

 

Que o vinho é bom já a humanidade descobriu há muito (por algum motivo é chamado o néctar dos deuses). Que ele inebria, envolve e confere um sabor especial a uma refeição, também. Que é uma presença amiga em cenários de requinte, luxúria, sedução, romance, relax e diversão, sem dúvida!

 

Agora vem a Universidade de Alberta, no Canadá, dar-nos mais um argumento de peso a favor do consumo (moderado) desta bebida. De acordo com um estudo por eles realizado, uma taça da variante tinto todos os dias (sobretudo ao jantar), além de fazer bem ao coração e à saúde no geral, equivale a 30 minutos de exercícios físicos. Este efeito é causado por uma substância chamada resveratrol, conhecida por beneficiar o sistema circulatório, podendo também ajudar na prevenção de doenças como o Alzheimer. A pesquisa releva ainda que o efeito ajuda a prevenir o envelhecimento precoce dos músculos, e aumenta a densidade óssea assim como melhora a circulação sanguínea.

 

Esta tese só vem reforçar os resultados obtidos por universidades como o The University of New South Wales, na Austrália, e o Harvard, que também já haviam associado o vinho à nossa longevidade.

 

Como uma adepta assumida do exercício físico praticado à moda antiga, à custa de muito súor, músculos doridos e uma motivação feroz, não é minha intenção substituir o ginásio por uma taça de vinho, mas sim combinar as duas coisas, por forma a minimizar tanto quanto possível o impacto da idade na minha beleza, saúde e bem-estar.

 

Proponho um brinde a este néctar divino, que ele bem merece. Salut!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D