Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Crónicas e confissões de uma rapariga gira e bem resolvida, na casa dos 30, que (ainda) não cumpriu o papel para a qual foi formatada: casar e procriar. Caso para cortar os pulsos ou dar graças? Talvez nem uma coisa nem outra!

12705193_10208635324067579_8913128443409180189_n.j

Como se fossem precisos estudos científicos para atestar aquilo que qualquer pessoa com um par de neurónios funcionais é capaz de concluir por conta própria, mas aqui vai.

 

De acordo com um artigo do Observador, publicado por estes dias, ser sexy vai para além da roupa, do olhar e de um batom vermelho. Há outras formas de cativar quem está à nossa volta e que a ciência tem vindo a confirmar.

 

Seja ou não um cliché, a verdade é que a beleza nunca será suficiente para tornar uma pessoa irresistível. De pouco ou nada serve a uma pessoa ser muito bonita se não souber falar, não for interessante ou não tiver um tema de conversa. Ou seja, se não tiver conteúdo de pouco vale a embalagem, por mais atrativa que esta seja.

 

A Time juntou algumas coisas que tornam uma pessoa realmente sexy e que não implicam usar micro calções. Estas são as três mais importantes, que, não obstante serem do conhecimento geral, muitas vezes são esquecidas.

 

1. O sentido de humor é sexy

É um clássico. Toda a gente gosta de rir e é um dom saber fazer os outros darem gargalhadas. Estudos recentes mostram que embora homens e mulheres digam que apreciam o sentido de humor num potencial parceiro, não se estão a referir ao mesmo. As mulheres gostam de homens que as façam rir e os homens gostam de mulheres que riam das suas piadas.

 

2. A personalidade é sexy

Um defeito nunca vem só, e o mesmo se pode dizer de uma qualidade. Segundo estudos realizados com pessoas de várias culturas, mais propriamente de dez regiões do mundo, as pessoas agradáveis e conscientes são melhores maridos, mulheres e pais, já as que são desagradáveis e inconscientes têm mais parceiros sexuais - ou seja, exibem níveis mais altos de promiscuidade -, e têm tendência para a infidelidade.

 

3. O que nos despertam é sexy

Vários estudos têm mostrado que nós não nos apaixonamos por uma pessoa, mas sim pela forma como nos sentimos quando estamos com ela ("amo o que sou quando contigo estou", diz-te alguma coisa?). E isto demonstra-se através do conceito de 'contágio emocional': somos péssimos a explicar o que nos faz sentir de determinada maneira, mas ótimos a fazer associações. Sentir-se animado ou estimulado está muito relacionado com as pessoas que nos rodeiam, mesmo que as pessoas não sejam a causa direta desse estado de espírito. Claro que há outros fatores que tornam uma pessoa sexy, como ter temas de conversa, ter à vontade para partilhar a sua vida ou sentir que se é desejado.

 

A revista norte-americana até vai mais longe e escreve que o amor à primeira vista também é sexy e que para acontecer connosco só temos que acreditar que ele existe. Claro que tudo vai depender do conceito que cada um tem da palavra, mas estas dicas permitem, pelo menos, ter um ponto de partida por onde começar.

 

Se eu for levar ao pé da letra este artigo, serei obrigada a assumir perante ti que sou a mais sexy das criaturas. Sendo assim, porque continuo "atracada"? Ahhhh… Lembrei-me! Porque sou exigente, picuinhas e solteira por vocação.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D