Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Crónicas e confissões de uma rapariga gira e bem resolvida, na casa dos 30, que (ainda) não cumpriu o papel para a qual foi formatada: casar e procriar. Caso para cortar os pulsos ou dar graças? Talvez nem uma coisa nem outra!

16266033_10206269934106733_2259154537941313837_n.j

Ora viva!

 

Como costuma dizer a minha maninha caçula, o rosto é o nosso cartão-de-visita e a melhor carta de recomendação. Nos últimos três semestres tenho travado uma luta titânica contra problemas na pele facial, que começou com borbulhas mutantes e retumbou em horrorosas manchas. Portanto, ninguém melhor do que eu para testemunhar o quanto custa à carteira e à autoestima feminina uma pele problemática.

 

A pensar nisso, para hoje preparei um artigo que versa precisamente sobre alguns cuidados a ter quando se deseja uma pele bonita, saudável e iluminada. Vou saltar a parte dos cuidados estéticos, dermatológicos e cirúrgicos, que disso tratam os sites especializados na matéria, e focar-me em alguns alimentos que podem revelar-se excelentes aliados da derme perfeita.

 

Amêndoas: Por conterem vitamina E, um antioxidante natural que funciona como proteção contra o envelhecimento, as amêndoas afiguram-se como um poderoso aliado da pele. As suas gorduras, muito saudáveis, fazem com que esta fique mais luminosa.

 

Chá verde: Os antioxidantes presentes neste tipo de infusão ajudam a restaurar a elasticidade da pele. A par do branco, o chá verde é igualmente conhecido por melhorar problemas relacionados com a acne.

 

Caranguejo: O zinco presente neste crustáceo fomenta a redução da inflamação, ao mesmo tempo que minimiza a aparência da acne. Também é conhecido por facilitar a produção de ácido hialurónico que proporciona hidratação à pele.

 

Grão-de-bico: Composto por proteínas cheias de aminoácidos essenciais para o crescimento e reparação cutânea, este alimento é conhecido por ajudar a diminuir as linhas e marcas escuras. Para além disso, contém ainda cobre que ajuda principalmente na manutenção e resistência da pele.

 

Laranja: Rica em vitamina C, um antioxidante natural, esta fruta conseguirá agir contra as olheiras e proteger a pele dos danos dos raios UV, ao mesmo tempo que aumenta a capacidade de cicatrização e de produção de colagénio.

 

Pimentão: O pimentão, a par da cenoura e de todos os vegetais coloridos, bem como os alimentos de origem animal (leite, sardinha e gema de ovos) contem vitamina A, que ajuda na produção de melanina e é um antioxidante natural que promove o rejuvenescimento celular e prolonga a juventude.

 

Salmão: Por conter ómega 3, uma gordura saudável que promove a recuperação, hidratação e saúde da pele, este peixe promove a produção de colagénio e elastina (dois elementos essenciais para uma pele suave e sedosa).

 

Como pudeste constatar, ter uma pele bonita e radiante não se alcança só a lavar e a passar cremes. O que comemos também têm uma palavra a dizer na sua qualidade, aliás na nossa saúde em geral. Com certeza já deves ter ouvido dizer que somos o que comemos. A mais pura verdade!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

eat-healthy.jpg

É comum as pessoas, sobretudo as mulheres, "largarem" o corpo depois do verão. Passada a época balnear o corpo volta a estar tapado, pelo que há quem deixe de se preocupar em mantê-lo fit. Este desleixo é fomentado por uma alimentação mais calórica, por uma menor ingestão de líquidos e/ou pela cessação da prática do exercício físico.

 

Tudo isto para dizer que o artigo de hoje assenta numa série de dicas que te podem ajudar a teres uma alimentação, e consequentemente, um estilo de vida mais saudável. Aponta aí:

 

1. Maior variedade de alimentos
Para um bom funcionamento, o nosso organismo precisa de mais de 40 nutrientes diferentes e não há nenhum alimento que por si só os tenha na totalidade. Por isso, varia o máximo que puderes e tenta comer um pouco de tudo.


2. Tipo e quantidade certa de hidratos de carbono
A maior parte das pessoas que tem cuidado com a linha priva-se demasiado de alimentos como arroz, batata, massa, pão e cereais. Pois fica a saber que cerca de metade das calorias necessárias diariamente provêm precisamente destes. O segredo está em comer o tipo e a quatidade certas, por isso opta pela versão integral e quantidades moderadas.


3. Mais fruta e hortícolas no prato
Sopa, salada, legumes e pelo menos 3 peças de fruta por dia devem fazer parte da tua rotina diária.


4. Olho na balança
Fica atenta à balança, de modo a manteres o peso e o índice de massa corporal dentro do aceitável.


5. Porções moderadas
Não exageres nas porções que comes, assim como não elimines nenhum alimento que seja fundamental na alimentação diária.


6. Refeições regulares
Evita passar muitas horas sem comer ou saltar refeições, pois hábitos como estes só vão aumentar o apetite e fazer com que comas bem mais do que o teu organismo precisa.


7. Mais e melhores líquidos
Adquire o hábito de beber, no mínimo 1,5l, de água todos os dias. Chás e infusões (sem açúcar) também são uma boa opção.


8. Exercício físico
Mexer-se é o método mais barato e eficaz para manter a forma física, fintar o sedentarismo e cultivar hábitos saudáveis.


9. Mudanças graduais
Não esperes milagres. As coisas não acontecem de um dia para o outro, pois mudar não é fácil. Podes começar por pequenas mudanças diariamente e vais ver que ao longo do tempo estas serão cada vez maiores e sustentáveis.


10. Equilíbrio é fundamental
Escusas de ser radical. Procura encontrar um equilíbrio e sê moderada em todos os hábitos diários. Pouco a pouco chegas lá, pelo que só tens que querer.

Autoria e outros dados (tags, etc)

16
Mar16

mw-1280.jpg

 

Por serem processados ou refinados e por serem suscetíveis de criarem adição, existem alimentos que são considerados nefastos para a saúde.

 

À cabeça dos desaconselhados está o açúcar refinado, um veneno para o nosso organismo. Quanto mais escuro for, mais vitaminas e sais minerais possui, e mais perto do estado bruto (a cana de açúcar) está. A cor branca significa que o açúcar recebeu aditivos químicos no último processo da fabricação, o refinamento.

 

No lote dos alimentos proibitivos incluem-se bolachas, tostas, snacks salgados, chocolate branco ou de leite, sumos de fruta (especialmente se açucarados), bolos, doces e sobremesas tradicionais (por conterem açúcar refinado), pão branco, pão industrializado de longa duração, batata branca, fast food, refeições prontas, frutos secos salgados ou fritos, alimentos fritos, refrigerantes de todo o tipo e cereais de pequeno-almoço.

 

As comidas que encabeçaram a lista das mais aditivas, segundo um estudo publicado no jornal norte-americano Plos One sobre "alimentos que geram adição", liderado por Nicole Avena, foram (por esta ordem): piza, chocolate, batata frita, bolachas e gelados. E os que mais causavam desconforto eram os muito processados.

 

"Vários estudos sugerem que a comida muito apaladada e muito processada pode provocar mudanças de comportamento e mudanças cerebrais semelhantes às dependências como a das drogas ou do álcool", explicou Nicole Avena.

 

Companheira, volto a frisar que nunca é tarde para reeducarmos a nossa alimentação e apostarmos numa vida mais saudável. Portanto, hoje é um bom dia para se começar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

black-lady-and-label.jpg

 

O site Vida Ativa tem-me sido bastante útil, não só pelos seus (sábios) conselhos sobre um estilo de vida saudável, da qual sou adepta assumida, mas também pelo vasto e interessante cardápio de temas com que agracia diariamente os leitores.

 

O post de hoje, dia em que a dona inspiração amuou porque não a deixei por o nariz para fora de casa - queria ir ao ginásio galar o "tal rapaz" -, inspira-se num dos seus artigos, que fala sobre os 10 alimentos que devem constar da lista de compras de qualquer mortal zeloso da sua boa saúde e forma física.

 

1. Alho (não sou apreciadora, mas consumo exatamente por causa dos seus benefícios)

Além de ser ótimo para condimentar as refeições, o alho tem inúmeros benefícios para a sua saúde, tais como: prevenção de úlceras ou cancro do estômago, redução dos níveis de mau colesterol (LDL), combate ao envelhecimento precoce ou reforça o sistema imunitário, por exemplo.

 

2. Verdes (sobretudo espinafres, brócolos, feijão verde, pimentos e ervilhas)

Ricos em fibras, os vegetais de folhas verdes estão repletos de vitaminas e minerais que podem ajudar na proteção de doenças cardiovasculares, diabetes e até mesmo cancro. Pode-se consumi-los em cru ou cozinhados ou incluí-los na sopa (souping) ou em sumos (juicing).

 

3. Peixe (a base da minha alimentação)

O salmão, sardinha, atum ou cavala, por exemplo, são peixes gordos e ricos em ómega 3, que ajudam a reduzir o colesterol e a regular os triglicerídeos. Da nossa lista de compras também podem fazer parte os peixes magros, como o pregado, a pescada ou o robalo, por exemplo.

 

4. Carnes brancas (não costumo comprar carne de todo, mas a ser antes brancas que vermelhas)

Frango, coelho ou peru são bons exemplos de carnes brancas (ou carnes magras) que deves incluir na tua alimentação por serem ricas em proteínas (essenciais na recuperação e regeneração muscular) e com menor teor de gordura saturada em relação às carnes vermelhas.

 

5. Berries (compro uns do Pingo Doce, congelados a 2,99 euros o saco de 400 gramas)

Morangos, mirtilos, framboesas, amoras, por exemplo. Estes frutos têm vários benefícios para a sua saúde, razão mais do que suficiente para serem presença constante na lista de compras. Poderosos antioxidantes, os frutos vermelhos ainda ajudam a regular os níveis de colesterol e a flora intestinal, atuam a nível do sistema digestivo e ajudam a prevenir infeções, por exemplo.

 

6. Ovos (dá para aproveitar a clara e fazer aquela máscara fantástica)

Fontes de proteínas e nutrientes essenciais, os ovos não devem faltar em casa, já que contribuem (por exemplo) para o bom funcionamento cerebral e cardiovascular. Além disso, opções de confeção não faltam (nada de inventar bolos ou sobremesas).

 

7. Laticínios (o leito dispenso, mas os outros nunca faltam no frigorífico)

Como iogurtes, queijos ou leite, por exemplo. Este tipo de alimentos são ricos em cálcio (essencial para os ossos) e importantes fontes proteicas. Lembra-te de, sempre que possível, optar pelas versões magras, evitando assim o consumo de gorduras saturadas, prejudiciais ao nosso organismo.

 

8. Cereais (nada de cair na tentação de levar aqueles de pacotes que são autênticas bombas calóricas)

Pão, arroz, aveia, quinoa, trigo-sarraceno ou milho são apenas alguns exemplos. Ricos em fibra, estes ajudam a melhorar a função intestinal e são bons aliados para quem quer regular o peso, já que o ajudam a controlar o apetite.

 

9. Especiarias (o segredo dos pratos passa por eles)

Com propriedades anti-inflamatórias, elas são o substituto ideal do sal, um veneno para a pressão arterial. Além disso, também podem ajudar a acelerar o metabolismo, tendo em conta a capacidade termogénica de algumas delas (canela e pimenta, por exemplo), auxiliando a perda de peso.

 

10. Água (trocava este item por vinho tinto, mas como a autoria da lista não é minha, nada de inventar)

Bane da tua dieta alimentar os sumos, refrigerantes e bebidas açucaradas. A água foi, é e sempre será a nossa melhor aliada para manter o organismo hidratado e evitar a retenção de líquidos e ajudar a manter o peso ideal.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D