Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Crónicas e confissões de uma rapariga gira e bem resolvida, na casa dos 30, que (ainda) não cumpriu o papel para a qual foi formatada: casar e procriar. Caso para cortar os pulsos ou dar graças? Talvez nem uma coisa nem outra!


03
Dez15

Não implores amor

por LegoLuna

thumbs.web.sapo.io.jpg

 

Hoje trago comigo um (inspirador) artigo com que me deparei há dias no site Coffee Break. Em forma de poesia, o(a) autor(a) consegue tocar-nos o coração, acionando assim aquele botão de autoestima e/ou amor-próprio de que, volta e meia, nos esquecemos, quando a carência, a solidão ou a pressão social nos initmida.

 

Não implores amor.
Nem por um segundo.
Nunca.

Não peças algo que tem que ser dado de boa vontade.
Não pechinches por um sentimento que tem que vir sincero.

Tudo o que acontece de forma natural, acontece melhor.
Sabes aquela vontade cada vez maior de falar com alguém?
Aquela vontade incessante de saber mais sobre aquela pessoa, de estar mais com ela, de ter mais dela.
E ter isso de volta. Sem forçar ou insistir.
A atração simplesmente acontece.
As coisas fluem.
É natural.

Não vale a pena forçar uma situação que nitidamente não é para ser.
Tudo o que é colocado sob pressão só encontra um resultado: explosão.
Então pressionar alguém a estar contigo é burrice.
Forçar alguém a amar-te é idiota e perda de tempo, não vai acontecer.
O único resultado disso é deceção e mágoa.
Em ti e no outro.

E isso aplica-se às pessoas que tu acabaste de conhecer e a relacionamentos curtos e longos.

O máximo que tu podes fazer é dar motivos para que alguém goste de ti.
É seres uma ótima companhia, um ótimo companheiro.
Melhor, sê quem tu gostarias de estar junto!
Sê aquela pessoa inteligente, bem-humorada e que tem a conversa interessante.
Sê aquela pessoa do abraço bom, aquela pessoa carinhosa que ilumina a sala.
Sê aquela pessoa que ninguém quer sair de perto.
O melhor que tu podes fazer é dar motivos para que alguém fique.
Porque mesmo que a pessoa vá… ela volta.
Volta porque quis.
Porque tu a fizeste voltar.
Sem pressão, sem pedir.

Não te vejas, nunca, na situação em que tu precisas pedinchar carinho e atenção.
Dentro de um relacionamento isso é uma das piores coisas que pode acontecer.

Acredita, quando uma pessoa está mesmo a fim de algo ou alguém ela move montanhas, nada é difícil o bastante para impedi-la.
Então se ela precisar ser romântica, carinhosa, fazer surpresas ou declarações, ela fará!
Quando não está a fim, ou está acomodada, tudo parece penoso, tudo é difícil, tudo parece sacrificante.
E se tu chegaste ao estado de ficares feliz pelo menor mimo que seja… tu estás a implorar.
A entrega na relação tem que ser igual, tem que vir dos dois.
Não da mesma forma, já que cada um tem seu jeito, mas na mesma intensidade, sim.
Não te satisfaças com migalhas, mas também não fiques a implorar por afeto.
Toma uma atitude.

Porque antes de tudo tu tens que amar a ti mesma. E isso é tão óbvio!
Quando tu te amas, tu crias espaço para que outro alguém possa se aproximar e te amar também.
Quando tu te iluminas, tu acolhes mais sorrisos.
Quando tu paras de implorar amor, tu estás pronto para entregar o teu.
E receber o amor que tu mereces.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D