Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Crónicas e confissões de uma rapariga gira e bem resolvida que (ainda) não cumpriu o papel para a qual foi formatada: casar e procriar. Caso para cortar os pulsos ou dar graças? Talvez nem uma coisa nem outra!


broken_heart_by_admx.jpg

Viva!

 

Quando envolve sentimentos verdadeiros, dificilmente um rompimento, seja de que natureza for, passa incólume na vida de alguém. Separação deixa marcas, é indiscutível. Nos casos em que apenas uma das partes assim o deseja, estas podem ser tão impactantes ao ponto de mudar, de forma irreversível, a nossa essência.

 

Infelizmente, esta é uma realidade inerente à condição humana, intrínseca à faculdade de nos relacionarmos com os outros. É com muita pena que afirmo não conhecer criatura humana que nunca tenha saboreado o gosto amargo de uma rutura. Da parte que me toca, só posso dizer que mutilaram-me o coração de todas as formas possíveis e imagináveis, ao ponto deste nunca mais encontrar forças para voltar a entregar-se sem reservas.

 

De entre as inúmeras razões que determinam o fim de uma relação (recente ou duradoura, é indiferente), existe uma que custa mais que todas as outras. Acaso, fazes ideia a qual delas me refiro? Não? Eu digo-te: ser trocado por outra pessoa!

 

Mais do que uma constatação pessoal, este é um dado empírico, comprovado pela ciência através de um estudo recente da Cornell University, que concluiu que ser trocado por outra pessoa faz com que o rejeitado se sinta excluído e perca o sentido de pertença, podendo isso ter implicações complexas a nível emocional. E se essa rejeição não vier acompanhada de qualquer tipo de justificação ou pedido de desculpa, a tristeza pode assumir proporções dantescas.

 

Eu, de nome de batismo Sara e nome de guerra Legoluna, atribuo medalha de mérito a este estudo. Quando me aconteceu, senti-me tão pequena, tão miserável, tão incompetente, tão indigna de ser amada... A tristeza por constatar que os meus melhores sentimentos não foram suficientes para alguém querer permanecer ao meu lado é algo que não desejo nem ao meu pior inimigo. E olha que sou pessoa para desejar cobras e lagartos aos meus desafetos :-)

 

Single mine, quero saber o que tens a dizer sobre o assunto. Concordas que este é o tipo de separação mais doloroso e difícil de ultrapassar? Também já passaste por isso? Se sim, conseguiste superar?

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D