Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Crónicas e confissões de uma rapariga gira e bem resolvida que (ainda) não cumpriu o papel para a qual foi formatada: casar e procriar. Caso para cortar os pulsos ou dar graças? Talvez nem uma coisa nem outra!


23
Nov15

502285.jpg

 

Qual de nós nunca viveu o drama de querer acabar uma relação, mas por respeito ao sentimento do outro, passou dias a tentar encontrar a melhor forma de o fazer? Hoje em dia há uma solução, bem simples até, e bastante menos desgastante do ponto de vista emocional.

 

O primeiro passo é escolher como se quer terminar a relação: carta, e-mail, SMS ou telefonema. Depois basta desembolsar uma certa quantia, irrisória se pensarmos que se estará prestes a destroçar o coração de outra pessoa, e voilá!, a relação acabou.

 

Pode parecer insólito, mas trata-se da mais recente proposta da The Breakup Shop, que a partir de 9,40 euros, encarrega-se de fazer pelo cliente este penoso serviço.

 

O mais curioso é que a empresa foi criada com base na ideia de que todas as pessoas merecem estar solteiras. Além disso, é sublinhado que é bom as pessoas terem noção do que significa o fim de um relacionamento. A lógica que os irmãos canadianos, Mackenzie e Evan, seguiram foi: se há serviços para juntar pessoas porque não existirem serviços que as separem.

 

Assim até parece fácil, mas ambas sabemos que não é, muito pelo contrário, tudo que envolve afetos é por demais complexo. Mas que a ideia é inovadora e facilitadora, lá isso é. Nem quero imaginar se a moda pega por estas bandas...

Autoria e outros dados (tags, etc)


3 comentários

Imagem de perfil

De Sara a 23.11.2015 às 15:11

Uih, facilita por um lado mas complica por outro. E não se dá a cara pela decisão que se tomou ainda pode deixar a outra parte mais magoada. Muito complexo este assunto
Imagem de perfil

De Fatia Mor a 23.11.2015 às 21:46

Já nada me espanta. Tudo está facilitado nos dias que correm, até as separações. E parece-me que há muitas pessoas que recorreriam a esse serviço para não terem que ficar a lidar com as lágrimas, o choro ou a raiva de forma imediata... até porque a longo prazo isto é capaz de deixar ainda mais ressentimentos...
Imagem de perfil

De LegoLuna a 24.11.2015 às 15:50

Meninas, partilho do vosso ponto de vista, mas, no meu caso particular, penso que preferia qualquer coisa (inclusive um fora encomendado) a ter que levar com aquela velha lenga-lenga "és uma pessoa espetacular, mas o problema não és tu, sou eu!" Penso que custaria mais ouvir da boca de um estranho, um mero mensageiro, do que de alguém a quem dedicamos sentimentos, planos, expetativas e sonhos.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D