Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Crónicas e confissões de uma rapariga gira e bem resolvida, na casa dos 30, que (ainda) não cumpriu o papel para a qual foi formatada: casar e procriar. Caso para cortar os pulsos ou dar graças? Talvez nem uma coisa nem outra!


7-data-recovery-suite-00-pplware1.jpg

 

Em dia de Champions, com o meu idolatrado FC Porto a ganhar por dois a zero, e cansada pra caramba, eis-me aqui para honrar o nosso compromisso e "parlapiar" um pouco sobre a rubrica definida para as terças: "Trabalhe para viver, mas não viva para trabalhar!". 

 

Hoje a inspiração não abunda pelos lados da Manhattan pombalina, o bairro mais cool da cidade e do qual sou uma orgulhosa residente, mas ainda assim quero partilhar contigo uma dica muito útil a nós que andamos à cata de emprego: a melhor altura para responder a um anúncio.

 

A tarde, mais precisamente entre as 15 e as 17 horas, tornou-se a minha hora mágica, isto é, tenho notado que os recrutadores reagem quase de imediato à minha candidatura. Ainda ontem pude constatar isso; menos de duas horas depois de ter enviado a mensagem fui convocada para uma entrevista.

 

A esta altura do expediente, os recrutadores, gestores ou responsáveis de recursos humanos já terão regressado do almoço; já terão tomado o seu cafézinho, já terão cumprido o protocolo da "conversa a meio do dia" com os seus cônjuges, parceiros, affairs, amigas coloridas, mãezinhas, animais de estimação e coisas semelhantes; já terão ido às redes sociais (enquanto ingeriam a refeição); já terão ido aos lavabos; portanto já não haverá desculpas para não estarem de facto a cumprirem o papel que lhes cabe: selecionar potenciais candidatos ao cargo que se pretende ocupar. E como a esmagadora maioria das respostas chegam via correio eletrónico, é nesse período de tempo que estarão exclusivamente dedicados à inbox do outlook (nalguns casos serve o gmail mesmo, mas se for hotmail nem te dês ao trabalho de responder e acho que não preciso explicar o porquê).

 

Se formalizarmos a candidatura nessa altura, esta é analisada imeditamente e caso a pessoa tenha ficado cativada pelo vosso marketing pessoal, dificilmente deixará de ligar para marcar uma entrevista connosco.

 

Meu bem, caso também estejas a viver este drama moment que é o desemprego, segue este meu conselho e depois diz-me se se confirma ou não. Mas atenção, tens é que te vender bem, ou seja, apresentar um currículo à medida da oferta e uma carta de apresentação impossível de resistir.

 

Quem é amiga, hã? Com amigos assim só fica desempregado quem não segue este blog.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D