Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Crónicas e confissões de uma rapariga gira e bem resolvida que (ainda) não cumpriu o papel para a qual foi formatada: casar e procriar. Caso para cortar os pulsos ou dar graças? Talvez nem uma coisa nem outra!


16
Dez16

remembering-your-first-heartbreak-155-1420476589.j

Ora viva!

 

Se dúvidas houvesse, aqui tens (mais) uma prova de que aqueles que me seguem também possuem o bichinho da escrita poética. Este é um texto do nosso Romeu algarvio, apaixonado por uma Julieta que não soube mostrar-se à altura do seu afeto. A pedido dele, partilho contigo os seus desabafos sentimentais.

 

"Gostava de acreditar em ti mas não consigo.
Por te conhecer tão bem que não consigo.

Por te amar tanto que acabo por te conhecer.
Desculpa.
Desculpa-me por tudo.
Por nunca ter sido capaz de te fazer feliz.
E por não te fazer futuramente.
Mas ambos sabemos do que estou a falar.
Não vale a pena negar, não vale a pena gritar, não vale a pena discutir.
Eu não valho a pena.
É por não valer que não vamos mais repetir.
Sabes bem do que falo.
Sabes que no fundo não mereço isso.
Talvez mereça, mas não dessa forma tão fria.
Fizeste uma escolha, mas tens de entender que eu não posso fazer parte dela.
Nós os dois sabemos que o amor é um sentimento bonito, por isso vamos deixá-lo ser bonito para sempre.
Tivemo-lo!
Eu estraguei, arrependo-me, as intenções seriam redimir-me perante ti, perante a tua família, mas nestas condições tenho que aceitar.
E tu tens de aprender, tal como eu, a viver sem me ter na tua vida.
O que sentimos foi a coisa mais pura que pode existir, e quem disser o contrário é porque nunca sentiu nada nem lá perto.
Mas temos os dois de ser honestos.
Disseste-me que não brincasse contigo, fizeste a tua cena de ciúmes, compreendo, por gostares de mim.
Mas não brinques mais, meu amor.
Tu sabes o quanto dói, porque também te dói a ti.
A possibilidade de eu ter outra pode assustar-te, e acredita que eu sei isso, porque sempre me assustou a possibilidade de haver outro na tua vida.
E sabendo que há, continua a assustar, é um pesadelo na minha cabeça.
Sei que o vais negar, sei que te vais enervar, mas respira fundo, não te enerves, está tudo bem princesa, vai estar sempre tudo bem.
Não sei quando vou ter coragem para to dizer.
Sou tão medricas que não tenho coragem.
Ficar sem ti assusta.
Perder-te é tão assustador.
É perder todos os nossos planos é jogar fora a casa que compramos e só imaginar nela os momentos que iríamos viver no início do ano, que já não vão ser vividos.
É esquecer todas as promessas, todos os beijos, todos os abraços, todas as noites juntos, todas as manhãs a dois.
É esquecer aquelas manhãs de inverno que faltávamos ao trabalho só para ficar a manhã inteira na cama, fazer amor, dormir, fazer amor, dormir, sem sequer comer coisa alguma até às quatro da tarde.
É esquecer que és o meu porto seguro e que eu sou o teu: o teu Porto, o teu saco de pancada, o teu analgésico.
É esquecer todos os momentos e tornam-se ainda mais difíceis porque foram tão intensos.
É esquecer que um dia me disseste que querias cuidar dos meus filhos porque sentias que eram teus.
É esquecer que tencionávamos ser pais novamente em breve.
É esquecer que estivemos mesmo por um triz, para nos casarmos às escondidas de tudo e todos.
Porque fomos loucos, e vivemos o amor como ele deve ser vivido.
Perder-te é perder uma grande parte do meu presente.
Porque o amor que sentimos é tão bonito que nada consegue estragá-lo.
Se eu uma dia tiver coragem para te dizer isto, não discutas, meu amor.
Está tudo bem, vai tudo correr bem.
Lembras-te dos pormenores?
O facto de eu ser atento aos pormenores.
Amavas isso em mim.
Hoje pareces odiar.
Eu conheço o meu amor, a mulher da minha vida, posso estar longe mas sei cada pedaço de ti.
Espero que ele também conheça, eu quero que ele te ame.
Afinal, ele realmente te faz feliz.
Espero que essa presença seja tudo o que precisas.
Sei que somos diferentes, eu precisaria de ti tal como tu de mim.
Mas sei que sou incapaz de fazer o que fazes.
Como tão bem sabes, não sou perfeito e cometi os meus erros contigo.
Talvez haja uma próxima oportunidade, numa outra ocasião onde passaremos a ser novamente só nos, e eu possa redimir e compensar-te pelo que tu realmente mereces: a felicidade.
E eu?
Eu vou ser teu.
Embora já não sejas minha.
Mas eu vou ser teu até que digas o contrário.
Sou teu.
Não tenho ideia de estar com alguém só porque sim.
Talvez precisarei para não pensar em ti, mas não quero fazê-lo.
O meu coração estará contigo, até entenderes devolver.
Até lá, este amor será sempre o que me move até ti.
Amo-te
!
"

Autoria e outros dados (tags, etc)


1 comentário

Imagem de perfil

De Malik a 16.12.2016 às 14:09

Amou, viveu.
Ama, está vivo.
Os erros pagam-se. Alguns de forma bem cara...

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D