Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Crónicas e confissões de uma rapariga gira e bem resolvida que (ainda) não cumpriu o papel para a qual foi formatada: casar e procriar. Caso para cortar os pulsos ou dar graças? Talvez nem uma coisa nem outra!


28
Jul16

18926921_hniZm.jpegPor (finalmente) ter chegado à conclusão de que é mais do que hora dele tomar conhecimento dos sentimentos que assolam o meu coração - até porque, para seguir em frente, preciso resolver esta pendência - e por também já não aguentar as "bocas" e cobranças de quem está por dentro deste assunto, resolvi declarar-me ao tal fulano lá do ginásio, pessoa por quem nutro uma paixão (platónica) há mais de ano e meio.

 

Dado que não sou uma pessoa convencional, logo não me vejo a abordá-lo de forma convencional, e por estar mais à vontade com as palavras escritas, decidi escrever-lhe uma carta, que será mais ou menos nestes termos. Porém, antes de lho enviar, gostaria de saber a tua opinião, tu que vens acompanhado este meu drama ao longo de vários posts.

 

"Talvez esta não seja a forma mais desejável de fazer isto, mas aqui vai. Fascinas-me! Não vejo outra forma de te dizer isso. Se me perguntares porquê, vou-te responder: "Por tudo e por nada." Por tudo aquilo que tenho visto ao longo deste tempo todo. Por tudo aquilo que deduzo que sejas. Por tudo que aspiro que venhas a ser para mim. Mas sobretudo por tudo aquilo que nunca demonstraste ser.

 

Por nada, porque (quase) nada sei de ti. Não sei do que gostas. Não sei qual o teu prato preferido. Não sei o que te faz rir. Não sei o que te comove. Não conheço o teu riso, nem a tua voz, pois nunca sequer a ouvi. Não sei se gostas do meu tipo ou mesmo da minha raça. Na verdade, sequer sei se gostas do género. Tão pouco sei se estás envolvido com alguém. Também não sei se és pessoa para te entregares aos sentimentos ou a uma outra pessoa.

 

Ainda assim, fascinas-me. Isso eu sei. Sinto-o toda vez que te vejo e a cada vez que penso em ti. Não penses que este sentimento é recente. Não mesmo! Durante meses e meses, enquanto te observava no ginásio e ia descobrindo pequenas coisas sobre ti nas redes sociais, assisti ao intensificar desse fascínio. E este chegou a tal ponto que já me sufoca, já não consigo - nem quero - guardá-lo apenas para mim. Penso que as minhas amigas já não aguentam mais ouvir-me falar de ti.

 

Ontem quando passei pela tua casa - sim, sei onde moras porque já te vi entrar (somos vizinhos) -, decidi que é mais do que hora de dar-te conhecimento do que sinto por ti. Mais não seja porque acredito que todos nós merecemos saber quando despertamos (bons) sentimentos nos outros. Isso faz de nós não só humanos dignos de afetos, mas especiais.

 

E para mim és especial, acredita nisso!"

Autoria e outros dados (tags, etc)


6 comentários

Sem imagem de perfil

De Pedro Lopes a 01.08.2016 às 11:36

Que grande "stalker" que a menina é!
Fogo então ele é vizinho e nunca metes-te conversa, blah.
Gostei do texto da carta, mas UMA carta! Realmente não será uma abordagem convencional neste século.
Penso que vai assustar a outra pessoa ao dar-lhe a carta. O rapaz ainda vai pensar " que ganda maluca que esta gaija é! Já pensou e repensou de mais sobre o assunto da não relação que tem comigo. Se ainda não me conhece e já vem com esta lenga lenga toda, imagina se isto dá nalguma coisa, não há quem a ature."
Que tal a abordagem de "engate" do ginásio, - Não te vi pela rua x no outro dia, queres ir hidratar ali no bar y junto ao ginário depois do treino.
Imagem de perfil

De LegoLuna a 01.08.2016 às 12:11

Pedro, como sempre o teu achega, ironias e picardias à parte, representa uma outra perspetiva das coisas. De facto, a ideia da carta está suspensa, pois não és o único que fez a mesma leitura: a missiva não vai cair bem e pode ser mal interpretada. Se ainda houvesse dúvidas, depois deste teu relato (fidedigno, já que és gajo, logo estás mais à vontade para pensar como ele), nunca na vida.
Volto então à estaca zero, até ter coragem para lá ir meter conversa.
Fico-te grata pela chamada à razão.
Sem imagem de perfil

De Pedro Lopes a 01.08.2016 às 12:37

Qual é o problema, do

-Olá já te vi aqui algumas vezes pelo ginásio, será que dá para ir "tomar um café" (escolha outra alternativa que goste mais) um dia depois do treino, hoje de preferência!

A respostas só podem ser:

- Não ( assim seco, e já sabes que não sai dali nada).
- Um sorriso e remarcar porque hoje já tem coisas combinadas, mas não agenda dia (foi só delicado e não tá interessado).
- Um sorriso e remarca com dia agendado. (tudo ok até agora).
- Sim, bora lá a que horas terminas (parece um gajo porreiro).

Se passar desta semana que lhe diz alguma, pense, ele vai para os algarves e vai la conhecer uma camone oxigenada, e vai pensar que é a mulher da vida dele, e nunca mais vai querer saber de mulher alguma na vida!
Imagem de perfil

De LegoLuna a 01.08.2016 às 13:19

Oh Pedro, que seria de mim sem ti? Acho que essa do Algarve já deve ter acontecido. Ao que tudo indica - por não aparecer no gym há vários dias - ele já deve ter conhecido a "camone oxigenada" só que além-fronteiras. Deduzo que tenha ido para fora, pois o carro dele permanece parado no mesmo sítio há já vários dias, logo viajou de avião.
Sem imagem de perfil

De Pedro Lopes a 01.08.2016 às 13:30

A menina é mesmo atenta, até controla o carro do moço!

Imagem de perfil

De LegoLuna a 01.08.2016 às 13:35

Não me chamou de "stalker"? Tenho que fazer jus ao título.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D