Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Crónicas e confissões de uma rapariga gira e bem resolvida, na casa dos 30, que (ainda) não cumpriu o papel para a qual foi formatada: casar e procriar. Caso para cortar os pulsos ou dar graças? Talvez nem uma coisa nem outra!


a7270ffa6__750x0.jpg

 

Algumas de nós tentam manter uma relação de amizade com o ex-namorado (e falo por experiência própria), mas a verdade é que o prefixo está lá por alguma coisa. Como costumo dizer "se é ex por algum motivo é e convém não esquecer esse motivo".

 

A psicóloga Juliana Breines, que escreve para o site Psychology Today, apontou cinco das mais comuns razões que nos levam a manter uma relação com um antigo amor e explica porque devemos evitar este comportamento.

 

1. Têm amigos em comum: "Estudos sugerem que se os teus amigos e familiares querem que mantenhas uma relação com o teu ex, é mais provável que o faças", explica a psicóloga. No entanto, não é recomendável manter o contato apenas por questões sociais. "As pessoas têm o direito a estar com amigos sem a presença do ex, tal como o direito a rejeitar um convite para um evento onde o ex vai estar", afirma. Até se podem cruzar numa festa, mas isso não significa que tenhas de ser amiga dele.

 

2. Sentes-te mal por ele: Se foste tu quem terminou a relação e a outra pessoa não reagiu bem, é normal que sintas alguma responsabilidade por aquilo que aconteceu. "Mas não é da tua responsabilidade tratar do outro durante o desgosto amoroso. O teu apoio pode até estar a piorar a situação", afirma a psicológa. Isto porque esse amparo pode estar a impedir a outra pessoa de avançar para outra relação.

 

3. Sentes-te sozinha: Quando se termina uma relação, é normal sentirmos um vazio – vazio esse que pode demorar algum tempo a ser preenchido. A solução não passa por ir beber um copo com o ex ou trocar mensagens com ele, já que "isso pode levar a uma autêntica montanha-russa emocional, caraterizada pelos especialistas como uma relação pouco satisfatória, com menos amor, mais incertezas e mais problemas de comunicação do que as outras".

 

4. O ex ainda gosta de ti: "Se o teu ex ainda tem sentimentos por ti e tu já não sentes nada por ele, o melhor a fazer é deixá-lo ir à vidinha dele. Passar tempo com ele pode fazer com que te sintas bem contigo mesma – quem não gosta de ser adorado? – mas pode ser doloroso e confuso para o outro", lê-se no Psychology Today.

 

5. Ainda gostas dele: "Gostar do teu ex e ter esperança que a coisa se recomponha pode ser um motivo para continuares amiga dele, mas é também muito perigoso", explica a mesma especialista. Isto porque se a outra pessoa não te quer, há pouco que possas fazer quanto a isso, afinal quando "um não quer, dois não fica junto" (palavras minhas) – o que a irá levar a sucessivos desgostos amorosos.

 

Agora a pergunta fatal: já (em algum momento da tua vida, quando a lucidez e o amor próprio emigraram temporariamente para a terra do nunca) usaste alguma delas?

 

Eu já! E por isso digo de boca cheia que NÃO VALE A PENA. Acabou está acabado, se é para sofrer sofre-se mas o caminho é para a frente. Quem anda para trás é caranguejo e todas nós sabemos onde isso o leva: a servir de refeição a algum humano ou predador do oceano.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D