Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Crónicas e confissões de uma rapariga gira e bem resolvida que (ainda) não cumpriu o papel para a qual foi formatada: casar e procriar. Caso para cortar os pulsos ou dar graças? Talvez nem uma coisa nem outra!


14
Jul16

zerolactose.jpg

Há dias a Tercia ofereceu-me um convite para a Feira Alternativa de Lisboa. Admito que só me dispus a deixar o conforto do meu lar num domingo – é o único dia da semana em que não gosto mesmo de por o pé na rua, ainda por cima em dia da final do Euro 2016 – mas foi tão amável o convite desta minha amiga, conterrânea, vizinha e colega de ginásio e de solteirice que não tive como.

 

Portanto, lá tive eu que enfrentar o sentimento de lesmice, típico de domingo, o sol escaldante e a escassez da carreira 767 e abalar-me até Alvalade. E não é que a feira revelou-se uma agradável e didática surpresa, superando largamente as mais otimistas expectativas?

 

Havia de tudo e mais: cosmética natural; alimentação saudável; suplementos alimentares; artigos esotéricos; consultas de tarot; as mais variadas terapias para o corpo, mente e alma; leituras de mãos e cartas; todo o tipo de meditação; massagens; comidas do mundo; cristais; amuletos; vestuário; calçado; bijuteria; artigos para o lar; tratamentos de beleza; ou seja, uma infinidade de produtos e serviços o mais natural, saudável e benéfico possível.

 

Perante aquele cenário, esqueci o calor, ignorei o corpo húmido de suor, mandei à fome às favas e parti à descoberta daquele encantado mundo alternativo. Não vou detalhar tim tim por tim tim tudo o que vi, adquiri e experimentei por lá, porque nunca mais saía daqui e acabaria por desviar-me do tema deste artigo.

 

Numa barraquinha de suplementos alimentares, questiono o expositor sobre qual o mais indicado para combater a acne – sim, à beira dos 40 anos e ainda me debato com algo que é suposto ter ficado sanado lá trás no tempo. Na adolescência tive imensas borbulhas, mas estas acalmaram-se na idade adulta, ficando reservadas a ocasiões especiais como menstruação, ingestão de comida mais gordurosa ou descontrolo emocional.

 

Há uns anitos já que a minha pele não conhecia mais do que umas quantas borbulhas esporádicas. Desde que fui de férias lá para a terra, há coisa de um ano, tudo mudou. Agora ando com uma crise de acne que até mete medo. E não é uma acne normal, pois não cede nem a cremes (caríssimos, por sinal), nem a tratamentos profissionais, e muito menos à atenção redobrada com a alimentação e com os cuidados de limpeza. É algo mais, eu sei, já que não nem mesmo reage à medicação, ando a tomar antibióticos que a dermatologista me receitou para infeções cutâneas – altamente eficazes numa outra ocasião, mas que agora parecem nulas.

 

Voltando à barraquinha de suplementos, um conhecido com quem tinha cruzado instantes antes, ao ouvir a minha pergunta, responde de prontidão: "não precisas de suplementos para resolver esse problema". Quando lhe pergunto porquê, diz-me ele que já não tinha idade para ter espinhas (que novidade!) e que o meu problema não passava de alergias - como é que ele podia saber isso? De facto, como já aqui mencionei n vezes, ando com alergia a tudo e mais alguma coisa.

 

A esta altura da conversa, abeira-se de nós um outro senhor (que nunca tinha visto mais magro) e resolve dar o seu contributo à conversa. Pelo que pude deduzir, o dito é um expert na matéria, pelo que, sem hesitação ou falinhas mansas, fez-me um diagnóstico fiel do estado da minha saúde: os intestinos não funcionam como é suposto (disse que pôde ver isso através dos meus lábios) e as alergias podem advir de uma intolerância ao leite e derivados.

 

Mal conseguia disfarçar o meu interesse no rumo que aquela tertúlia improvisada estava a tomar. Perante a descrição que lhe fiz do meu estado de saúde (e de beleza, por consequência), este foi perentório na prescrição: cortar de imediato com todo e qualquer produto lácteo. Ainda tentei argumentar que não consumia leite, apenas iogurte e requeijão, e que ao retirar esses produtos da minha alimentação o meu organismo iria ressentir-se da falta de cálcio. De nada valeu. Categórico, rematou ele: "experimenta e depois vês se a coisa não melhora. Quanto ao cálcio, tens imensas opções, como a aveia, a quinoa e o feijão."

 

Recomendou-me ainda que evitasse o açúcar e o trigo. Nesse quesito garanti-lhe que já estava tudo sob controlo, pois, nas raras vezes em que preciso recorrer diretamente a esta substância, faço uso da versão mel ou canela.

 

Portanto, o problema parece, de facto, residir na lactose, o açúcar naturalmente presente no leite. Abreviando o parlapiê que o texto já vai para longo, já há quatro dias que não consumo nenhum produto lácteo e, coincidência ou não, parece que a coisa acalmou. Como estou menstruada, só vou ter a certeza daqui a mais uns dias.

 

Não acredito que o iogurte me cause intolerância, porque sempre o consumi, mas já o requeijão, com maior teor de lactose, só há coisa de quatro meses o introduzi na minha alimentação. É, portanto, altamente provável que seja realmente intolerante ao leite, coisa que nunca bebi nem quando bebé. Em Cabo Verde fartei-me de bebê-lo, mas na versão fermentada, que adoro. E foi precisamente a partir dessa altura que começaram a aparecer, para não mais irem embora, monstruosas espinhas nesta minha face tão adorada e mimada pela dona.

 

Para já, vou continuar sem consumir qualquer derivado seu e ver como corre a coisa. Mais tarde, voltarei à minha alergologista para confirmar in vitro esta questão.

 

Há já algum tempo que ouço falar de intolerância ao glúten e à lactose, e de como várias celebridades têm cortado esses itens da sua dieta, mais para manter (ou recuperar) a linha - parece que ao retirar a lactose da dieta, a pessoa desincha, já que o intestino é regularizado, o corpo funciona melhor, por consequência, ocorre uma perda de peso.

 

No meu caso, a ruptura será essencialmente por uma questão de saúde, mas se com isso conseguir ficar (ainda) mais fit, não me importo mesmo nada. Seria uma espécie de bónus, uma mais do que justa compensação por todos os problemas com que me tenha deparado nos últimos tempos.

Autoria e outros dados (tags, etc)


13 comentários

Sem imagem de perfil

De Pedro Lopes a 14.07.2016 às 16:55

Nunca fiando nas "mezinhas" que te indicaram e não sendo preciso qualquer desculpa, dizem que isto também ajuda a cura do acne :)

http://www.acneaseeu.com/acne-treatment-blog/can-sex-help-treat-acne-the-7-skin-health-benefits-of-sex.htm
Imagem de perfil

De LegoLuna a 14.07.2016 às 20:34

Ka ka ka ka ka. Agora foste maldoso. Achas que não sei disso? Para mim, o sexo é cura para praticamente todo o tipo de mal físico e mental. Já até escrevi sobre isso aqui no blog. Por ora, tenho é que me contentar com os fármacos mesmo. Ficas a dever-me uma por causa deste teu comentário, Pedro.
Imagem de perfil

De Sr. Solitário a 14.07.2016 às 17:12

Existem produtos muito bons sem lactose!
Imagem de perfil

De LegoLuna a 14.07.2016 às 20:29

Estive a cuscar as ofertas disponíveis no mercado, mas confesso que não me cativou muito. Não vi nenhuma versão do iogurte grego sem lactose. Fico-te na mesma agradecida pela indicação.
Imagem de perfil

De Marta Elle a 22.07.2016 às 10:11

O Hallibut em pomada ajuda a cicatrizar as borbulhas mais depressa.
Sem imagem de perfil

De tron a 22.07.2016 às 11:30

Vi o seu blog nos destaques e acho que o seu dermatologista deveria de dar decisão se as suas borbulhas têm alguma ligação com a lactose.
Tenho reparado que existe hoje em dia uma quase paranóia anti-lactose e anti-gluten que os médicos na comunicação social têm despido de argumentos e que cada caso é um caso
Sem imagem de perfil

De Pedro Lopes a 22.07.2016 às 12:30

Lembrei-me desta imagem,

http://static1.squarespace.com/static/53a60116e4b0488fb14d69d8/t/53f40b46e4b0e74a86aa5c03/1408502599835/Gluten+free+haircut
Imagem de perfil

De tron a 22.07.2016 às 13:29

está boa sim
Imagem de perfil

De LegoLuna a 22.07.2016 às 14:56

Andamos de bom humor, mister P.?
Imagem de perfil

De LegoLuna a 22.07.2016 às 14:56

Caro tron, antes de mais obrigada pelo seu achega. Gosto de saber o que pensam os outros dos assuntos que aqui abordo. E pelo seu comentário, deu para deduzir que sabe do que fala (especialista na área?).
Pelos outros não posso falar, mas, no meu caso, a ostracização destes alimentos têm fundamento sim.
Como pessoa formada e informada é óbvio que pretendo legitimar esta minha decisão junto da minha alergologista. Ainda não fiz isso por limitação financeira, mas é coisa que está agendada para assim que possível. O facto é que, em menos de duas semanas, tive a prova de que a minha pele estava a ser castigada por algo que andava a ingerir. Cortei o iogurte, o requeijão e o pão de cereais e vi melhoras claras: as borbulhas desaparecem a olhos vistos, a pele vai alisando e as manchas aos poucos esbatendo. Coincidências? Não creio! Resta confirmar junto da especialista a qual deles é que sou intolerante. Desconfio que são os cereais, mas até prova do contrário nada de lactose.
Aquele abraço amigo.
Imagem de perfil

De tron a 22.07.2016 às 19:44

Não sou especialista apenas tenho alergia a sardinhas e a soja e intolerância ao girassol e por isso nada de comida chinesa e chocolates têm que ser escolhidos a dedo porque as marcas brancas de supermercado têm demasiada lecitina de soja.
sei que tive algum contacto com algo que faz alergia alimentar quando fico com comichão na garganta ou fico com diarreias quase incontroláveis ou em casos mais extremos a asma que não incomoda há 4 anos exactos (em termos de crises grandes a precisar de assistência hospitalar) começa-me a chatear e puxo da bomba
Imagem de perfil

De LegoLuna a 22.07.2016 às 20:49

Achava eu que sofria...
É nestas horas que me apercebo que estou mesmo a ficar velha.
Ka ka ka
Imagem de perfil

De tron a 22.07.2016 às 23:41

nunca estamos velhos desde que estejamos jovens de mente

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D